terça-feira, 15 de maio de 2012

A Igreja cristã e o casamento homossexual

.
Barack Obama e o Pastor Rick Warrem



João Cruzué

Tenho acompanhado a movimentação das peças de xadrez das eleições majoritárias  americanas de novembro próximo. Enquanto no Brasil os evangélicos peitaram as propostas antibíblicas e foram bem-sucedidos com Lula e Dilma, quem está sendo cortejado pelo presidente Obama nos Estados Unidos é o movimento gay. Isto mostra que o deus dos políticos não é YHWH, mas o poder. 

A grande Igreja cristã que revolucionou o mundo com a moral bíblica, depois de dois milênios, tem se mostrado débil, perdendo espaço em todo mundo até para o movimento homossexual. O casamento gay é hoje uma realidade em ascensão em todos os países chamados cristãos, e no Brasil, inclusive, é só uma questão de tempo.

Não sou um "cara" pessimista. Lido com  fatos e com a realidade.  Na posse de Obama em 2009, os pastores Rick Warrem e Joseph Lowery foram convidados para celebrar a liturgia religiosa cujo ápice foi a oração da bênção da posse. O sagrado e o político. Quase quatro anos depois, Obama provoca a ira dos cristãos, dizendo-se favorável ao casamento gay para agradar, com base em pesquisas, a 52% dos americanos.
Curiosidades. Enquanto George W. Wood, superintendente das Assembleias de Deus americana, se manifestou publicamente contrário à opinião do presidente através decomunicado formal, Kelly Boggs - um colunista da imprensa Batista americana apenas comentou a contradição entre opinião pública (favorável) e resultados de referenduns populares (desfavoráveis) à união civil de pessoas do mesmo sexo.

Faço a seguinte análise: Será que o presidente não sabia da reação dos líderes das Igrejas cristãs americanas? É claro que sabia, mas algum conselheiro da sua campanha levou em conta que os homossexuais americanos são quase 25% da população. 

A mesma decisão foi feita nas eleições presidenciais de 2008 no Brasil, só que os quase 25%  da população daqui - que decidiriam a vitória de Dilma Roussef - eram os evangélicos.

 A grande nação evangélica americana, infelizmente está caída diante de Deus. 

E na raiz deste fato uma verdade não pode ser negada: Os escândalos de prostituição de pastores e pedofilia de padres foram solapando a cada década o depósito moral da Igreja. Se no Brasil de hoje os evangélicos são a força que decide nas urnas os mandatos de presidentes, governadores e prefeitos, nos Estados Unidos esta força não está na Igreja. E não está por que suas lideranças perderam a força moral tal como Sansão depois que ficou sem os cabelos. Com a perda do respeito diante dos membros por deslizes vários, os cristãos americanos relativizaram as verdades Bíblicas e racionalizaram a constituição de uma família.

A Igreja evangélica brasileira caminha na mesma direção.

Diante dos assuntos que interessam aos crentes, as lideranças das Igrejas estão indiferentes. Vivem em um mundo de faz de contas. Igreja de faz de contas. Seus maiores expoentes: Bispo Macedo, Apóstolo Valdemiro, Estevam Hernandes, Missionário R. R. Soares não dão um pio sobre casamento gay. Minha impressão é que estão encantados pelos feijões milagrosos que os levaram ao palácio do gigante onde há uma gansa que põe ovos de ouro. Diante disso os membros das Igrejas estão ficando decepcionados. Frustrados. 

O que era tão combatido como pecado há décadas, hoje já foi tudo racionalizado - não faz mal! Os pecados bombásticos de prostituição é só uma questão de tempo. A relativização dessas prostituições de líderes entre seus pares também é um fenômeno que vai ser copiado dos pastores americanos. 

Com a credibilidade lá embaixo e os crentes se sentindo como otários, não me admira nem um pouco que o casamento gay é - infelizmente - uma realidade a ser esperada nos próximos anos.  Quando Paulo escreveu a Timóteo: "Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus..." não estava desconsiderando os novos "emergentes" à testa das Igrejas brasileiras, encantados com riquezas e poder político secular.

Se no dia de amanhã o pastor de uma grande denominação for obrigado, por força de  lei, a celebrar um casamento gay dentro da sua  Igreja (e isso já acontece na Suécia e no Canadá) não me venha colocar toda culpa na secularização dos crentes. Uma frase do Pastor Martin Luther King resume bem a omissão destes pastores: "Nossas vidas começam a perder o sentido, no dia em que ficarmos calados diante de coisas que importam".

E como estão ficando  calados perante a  opinião pública (excluindo os de sempre) no tempo emque se deve falar, quando o momento conveniente chegar, os inimigos da família heterossexual não hesitarão nem se manterão indiferentes.  Não é assim que eu desejo, mas os fatos apontam para uma realidade global.  Escrevi esta crítica porque ainda creio em mudanças e no avivamento da Igreja - conforme está escrito em  II Crônicas 7:14.

Samuel diante do Sacerdote Eli

domingo, 29 de abril de 2012

Rubinho vê frustração com 10º lugar e revela "maior emoção da vida" em prova no Anhembi

Décimo colocado na São Paulo Indy 300 neste domingo, Rubens Barrichello deixou o carro da KV Racing abatido com o resultado final na classificação da prova, depois de ter andado no grupo dos cinco primeiros. No entanto, o veterano de 39 anos afirmou que a oportunidade de corre junto à torcida  no sambódromo foi a maior emoção de sua vivência nas pistas.

No final dei uma sorte, passei meio da confusão toda e consegui chegar em 10º. Não dá para falar que estou extremamente feliz mas foi a maior emoção da minha vida, passar naquele sambódromo. Nunca vi um público tão junto", declarou Rubinho após sua quarta corrida na Indy.

Rubinho ainda admitiu que chorou durante o desfile de pilotos antes da prova, quando percorreu o circuito do Anhembi ao lado do companheiro de equipe EJ Viso

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Evento evangélico reunirá centenas de pessoas para debater sobre relacionamentos

Evento evangélico reunirá centenas de pessoas para debater sobre relacionamentos

O Rio será palco do primeiro encontro gospel organizado pelo maior portal de relacionamentos evangélico da América Latina, AmorEmCristo.com, que falará sobre namoro, casamento e sexo.

 

Um comportamento cada vez mais polêmico será tema do primeiro Encontro AmorEmCristo: "É pra ficar ou pra valer?". Além de debater a conduta que tem gerado muitos questionamentos entre pessoas de todas as idades, o evento reunirá os pastores Olavo Feijó e Sérgio Fernandes para debater assuntos como amor, namoro e sexo no universo evangélico. No próximo dia 28 de abril, a partir de 9h, na Barra da Tijuca, também haverá palestra do CEO do site www.amoremcristo.com, maior site de relacionamento evangélico da América Latina, Carlos Vinícius Buzulin, sobre internet e relacionamento seguro. A expectativa, segundo os organizadores, é reunir centenas de pessoas com o intuito de interagir sobre esse comportamento baseado nos ensinamentos bíblicos.

 

"Talvez por insegurança, modismo ou medo do compromisso, muita gente acaba optando por "ficar" ao invés de encarar um relacionamento "pra valer". Através das palestras, pretendemos ajudar na criação de um alicerce, pautado na Bíblia, para contribuir na estruturação e construção de famílias sólidas", afirma Carlos Vinicius Buzulin. Com ingressos a R$50 (antecipados), o participante poderá aproveitar um dia inteiro de atividades sobre o tema. Para adquiri-lo, o interessado deve acessar o sitehttp://www.descontogospel.com/ e, para mais informações, ligar para (21) 6941-7672. No valor, já está incluso coffee break e material de apoio.

 

O dia será repleto de atividades. Pela manhã, o fundador do site www.amoremcristo.com, criado em 2003, que hoje possui quase dois milhões de usuários, Carlos Veiga Magalhães, será o responsável pelas boas-vindas ao público.  Em seguida, o pastor Sérgio Fernandes, autor e escritor das devocionais, Palavra que Transforma, realizará a palestra "Existe um escolhido (a) de Deus pra mim?". Ainda antes do almoço, fechando a manhã, Carlos Vinicius Buzulin falará sobre o tema "Internet e Relacionamento Cristão". Já após o almoço, haverá o Ministério de Louvor e adoração. Fechando o Encontro com 'chave de ouro', o veterano pastor Olavo Feijó comandará um 'quiz interativo'. Autor e escritor das devocionais Gotas Bíblicas, Feijó responderá as perguntas dos participantes sobre namoro, amor, sexo e outros assuntos.

Att.,

Manuela Paiva

(21)9429-1531

Jornalista | Assessora de imprensa

 

RioPress Assessoria de Imprensa

www.assessoriadeimprensa.net

21.2578-4304 | Av. Rio Branco, 31/1.307. Centro. Rio de Janeiro. RJ. Cep. 20090-003

11.3042-9641 | Rua Clélia, 2.145/52. Vila Romana. São Paulo. SP. Cep. 05042-001

Skype: riopress.2012 | Twitter: @riopresscursos 

Facebook: http://www.facebook.com/riopress 

Linkedin: http://www.linkedin.com/profile/edit?trk=hb_tab_pro_top

 

domingo, 22 de abril de 2012

Pastor Silas Malafaia assinou com a Band TV um novo programa. A partir de domingo,



Pastor Silas Malafaia assinou com a Band TV  um novo programa. A partir de domingo, 06 de maio de 2012, em horário nobre do meio-dia à uma da tarde, o líder da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Vitória em Cristo, Pr. Silas Malafaia, comandará um  programa evangélico, todos os domingos, pelos próximos dois anos.

A julgar pelos comentários do pastor, é bem possível que ele tente  um formato parecido com o utilizado pelo Pastor Ronaldo Didini no início dos anos 90 na TV Record, pelo Pastor Ronaldo Didini, que a cada programa trazia um debate interessante.

Pode dar  certo porque o Pr. Malafaia é bom comunicador. Mas para que isto prospere, creio que ele precise sentar um pouco no divã para se mostrar mais calmo e resolva sua agressividade verbal, pois com certeza o Pastor é um homem de paz, só que do jeito que ele tem falado, parace que não.Nisso pode usar como exemplo o modo calmo que o Pastor Ronaldo Didini dirigia o programa antigo.

Imagino que ele não fará um programa de uma nota só, confrontando  radicais gays. Aí, a coisa vai se apequenar. Há coisas muito mais urgentes para se debater para trazer de volta a credibilidade da Igreja Evangélica que vem perdendo pontos diante da sociedade brasileira quando mostra um lado avarento, na base do "É dando que se recebe". Cristo nunca disse tal coisa. Ao contrário, Paulo citando o Senhor disse: "Melhor coisa é dar que receber."

O Pastor tem a oportunidade de conduzir o debate para onde ele se torna necessário. Como por exemplo a institucionalização da corrupção no país. A questão da Educação, da Saúde e Assistência Social cujos três orçamentos juntos, em 2012, são menores que os juros que o Governo Federal vai pagar a banqueiros.

E sobretudo, não se deve esquecer de uma coisa desprezada: Pastores e bispos pedem muito dinheiro e vêm retribuindo apenas com palavras. O projeto do Senador Marcelo Crivella - a Fazenda Canaã na Bahia - foi um bom começo, mas parece que seu objetivo era apenas midiático, pois parou, e não se fez mais nada. Como entrada foi muito bom, mas cadê o prato principal? Por que parou?

Se o Pastor Silas Malafaia tiver a humildade de se aconselhar com os pares e decidir trabalhar não somente com palavras, mas com atitudes, tem tudo para resgatar a credibilidade nos pregadores neopentecostais, que tem usado continuamente o Evangelho apenas como meio e não como fim. 
Chega de haras de cavalos, fazendas de gado e Rede de TV - comprados com dinheiro de dízimos e ofertas especiais.  Sei que estes bispos e apóstolos alegam que vendem muitos livros e podem comprar tudo aquilo. Interessante! Por que não usam da mesma generosidade que recebem dos membros da Igreja?

Vamos em frente Pastor. Como contribuinte do seu Ministério, desejo que acerte e prospere. E parafraseando o conselho de Sergio Motta a FHC: "Não se apequene".


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Demóstenes negociou verba para beneficiar empreiteira



Escutas e relatório do Ministério Público Federal apontam que o senador Demóstenes Torres (ex-DEM, atualmente sem partido) usou o cargo para negociar um projeto de R$ 8 milhões em favor da Delta Construções, informa reportagem de Fernando Mello e Leandro Colon, publicada na Folha desta quarta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Na gravação, ele condiciona o envio de verba para obra em Anápolis (GO) à escolha da Delta para tocar o projeto.

O senador diz a Cachoeira que o prefeito de Anápolis lhe pediu ajuda para fazer um parque. "Falei pra ele... que ele desse preferência para vocês", diz.

Um dia depois, Cachoeira relata a conversa para um diretor da Delta.

Para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, há evidências de que Demóstenes atuava como "sócio oculto" da Delta, empresa que desde 2007 é a que mais recebe recursos do governo federal, principalmente por obras do Programa de Aceleração do Crescimento.

A defesa de Demóstenes nega pedido de favorecimento à empresa, que diz não ter relação com ele.

Leia a reportagem completa na Folha desta quarta-feira, que já está nas bancas.