quinta-feira, 7 de julho de 2011

A Bíblia Sagrada, alvo do PL 122



João Cruzué

Tenho visto a crescente atividade do povo evangélico em defesa da fé da e liberdade de expressão e opinião em todas as mídias, espaços e oportunidades. São públicas as ações do Pastor Silas Malafaia e dos parlamentares evangélicos oferecendo forte resistência ao ativismo gay diante da sociedade brasileira. Mas o principal alvo dos ativistas homossexuais é outro. A Bíblia Sagrada. Há tempos eles dizem que ela é um livro homofóbico.

Mas pelo que entendo dela, ali não há uma palavra que incentiva a discriminação e a ofensa a gays no Novo Testamento, ou seja, a "constituição divina" em vigência, desde o momento que Jesus Cristo exclamou: Tudo está consumado.

E por desprezar todas as opinões e ideias que não convergem para seus interesses, os ativistas gays declaram tudo "homofóbico". E se não ficarmos atentos, corremos o risco de não poder pregar a Palavra de Deus da forma como ela é há 2000 anos.

A defesa da Constituição é muito importante, mas para nós evangélicos a defesa da Bíblia Sagrada como a palavra de Deus é primordial.

Nenhum comentário: