segunda-feira, 27 de junho de 2011

Juiz que invalidou primeira união estável gay do país nega homofobia

O juiz Jeronymo Vilas Boas, que anulou a primeira união estável de um casal homossexual em Goiânia, negou que seja homofóbico: "de modo algum", respondeu o juiz que é vice-presidente da Associação do Magistrados do Brasil.

Ele afirmou ainda que o casal não pode ser considerado como uma família. "Declara o artigo 16, que constitui família o núcleo formado por homem e mulher", disse ele ao argumentar os motivos de sua decisão. As informações são do Fantástico.

Após a anulação do juiz, o casal viajou até o Rio de Janeiro para realizar uma nova união, já que a primeira havia sido anulada.

No entanto, a corregedoria de Justiça de Goiás revogou a decisão do juiz, e validou a primeira união.

Ao falar sobre a possibilidade de uma punição, Vilas Boas disse que "medo" não faz parte de seu vocabulário.

O magistrado é pastor da igreja Assembleia de Deus e diz que já contrariou suas convicções religiosas em decisões sobre pedidos de isenções de impostos, e se disse seguidor de Karl Heinrich Marx, idealista do pensamento comunista, e de Martin Luther King, pastor protestante e ativista americano.

Nenhum comentário: