segunda-feira, 20 de junho de 2011

Celebrando o Centenário da IEAD com consciência

Victor Leonardo Barbosa

Blog Geração que lamba

Texto: Hebreus 11: 32-40.

Introdução:

Não há como fugir do fato de sermos assembleianos, e logicamente com isso estarmos vivenciando um acontecimento distinto em nossa vida cristã e na história de nossa denominação, que nesta semana completa 100 anos de história. Tal celebração de 100 anos provocou grande alvoroço, polêmica e partidarismo em nosso meio, o que certamente pode nos levar a não ter o ânimo suficiente para participar dessa importante festa, todavia vários fatores devem ser levados em consideração para não somente comemorarmos, mas comemorarmos de forma consciente e sadiamente bíblica. Listei algumas dessas razões:

Razões:

-Devemos celebrar em memória dos pioneiros.

Assim como os heróis da fé, no texto de Hebreus, que ficaram marcados nas páginas sagradas como exemplos e testemunho de uma genuína vida espiritual, tendo seu nomes registrados na galeria da fé, temos na história de nossa denominação vários homens como Daniel Berg, Gunnar Vingreen, Samuel Nystrom, Bruno Skoliwoski, Nels Nelson e tantos outros que nos deixaram uma marca profunda de amor sofrimento e caráter cristão. Temos também o exemplo pastoral de Francisco Pereira do Nascimento, o qual possuía grande intimidade com minha família, sendo por várias vezes lembrado com carinho por parte de minha a avó. Não podemos ter dúvida que somos o fruto do esforço desses homens que tanto se dedicaram a obra de Deus.

A memória desses homens nos incentiva a celebrar o centenário, mas deve andar em conjunta com mais uma razão.

- Devemos celebrar em memória dos que já se foram.

Quantos piedosos irmãos gostariam de celebrar o centenário da denominação que eles formavam em louvor a Deus? Tantos e tantos irmãos, genuínos crentes, que amavam tal denominação e tanto testemunharam de sua qualidade? Tenho como motivação pessoal a figura de minha avó, falecida há alguns meses atrás, que esperava ansiosa por tal data. Nós, como crentes demos origem a essa instituição, não devemos a menosprezar devido aos problemas do atual sistema que a tanto prejudica. Levando isso em conta, passemos a outra razão:

- Em benefício da comunhão.

Muitos irmãos e pastores genuínos fazem parte desta denominação, sendo que o centenário, se celebrado de forma positiva pode nos trazer grande benefício espiritual e recreação santa. Temos a oportunidade de conhecer irmãos e obreiros de outras partes do país que estarão nesta festa, assim também como reencontrar obreiros que moram fora do Pará.

Alguns preferiram não participar do evento, como o amado pastor Geremias do Couto, sendo este um homem que traria grande alegria se viesse a Belém, porém apesar de suas razões diferiram quanto as minhas apresentadas aqui, as considero boas e legítimas e tratarei um pouco mais sobre isso adiante. É importante que se diga que para que tal comunhão e alegria no momento da festa permaneçam e não haja frustrações desnecessárias, é importante que tenhamos consciência de como não celebrar tal festa. Como por exemplo:

a) Não celebrando de forma partidária: É por demais óbvio que a igreja Assembléia de Deus começou em Belém, ninguém pode tirar de Belém essa glória, todavia as atuais intrigas envolvendo a liderança da CGADB e a Igreja-Mãe acaloraram o debate e deram bastante combustível para a propaganda ideológica e política, tal embate só trouxe cansaço e problemas e revela-se sendo inútil as portas da celebração. Chega de partidarismo e busquemos comunhão com genuínos crentes.

b) Não ignorando os problemas que nos cercam: Nossa denominação possui graves problemas estruturais, administrativos e pastorais. Não há dúvida que veremos um pouco desses problemas durante as celebrações. Um exemplo disso é a presença de pessoas que não trazem nenhum bem a esta denominação, talvez alguns irmãos se ofendam com minhas afirmações mas creio eu que é necessário dizer. Não vejo bem algum em ter Marco Feliciano em nossa festa, alguém afastado da doutrina bíblica, fora os mais recentes escândalos na rede social Twitter. Assim também como não posso ignorar ter em nosso meio a figura de Guliherme Alex², o qual, dentre tantas heresias já relatadas por diversas testemunhas, prega um evangelho falso, que leva muitos a perdição. Nós somos salvos pela fé somente em Cristo Jesus! Isso que nos torna crentes genuínos. Colocar outra coisa no lugar dessa verdade é incorrer em heresia e condenação, ter tal pessoa em nosso meio nada traz em benefício da igreja e deste centenário.

Não podemos, como muitos, colocar um óculos com lentes cor-de-rosa e dizer que tudo vai bem às nossas igrejas, mas termos consciência de que tais problemas existem, mas tais problemas não devem ofuscar as razões de celebrar o centenário, ainda que não esqueçamos, mesmo por um momento, tais problemas. Segue-se agora a última razão para celebrarmos este centenário.

- Para a glória de Deus.

Todos os itens anteriores são reduzidos a nada se não buscarmos ter como finalidade a glória de Deus (1 Co 10:31). Essa deve ser a nossa motivação em celebrarmos o centenário, lembrando que aprouve a Deus salvar a muitos por meio de homens que constituem essa instituição eclesiástica. Caso você, como outros homens piedosos, não queira comemorar o centenário, não comemore. Não há problema nenhum em seguir sua consciência nesta questão e você não estará pecando em ter tal atitude. Porém com essas razões aqui alistadas, creio que nós, como crentes, devemos nos alegrar e participar de tal celebração, lembrando que Nosso Senhor em todas as coisas tenha glorificado o seu Santo Nome.

Conclusão:

Façamos festa, sem ignorar os problemas e perigos que nos cercam, tendo em mente a glória de Deus e a alegria da comunhão com os irmãos (Sl 133).



Sermão dominical pregado neste domingo último 12/06/2011¹.

Nenhum comentário: