quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Rio de Janeiro sob Ataque Após Bope entrar na Vila Cruzeiro, criminosos fogem pelo mato para o Complexo do Alemão


Depois da entrada do Bope (Batalhão de Operações Especiais) na favela da Vila Cruzeiro, zona norte do Rio de Janeiro, aproximadamente 200 criminosos armados fugiram para o Complexo do Alemão. A fuga foi feita por uma estrada de terra que corta o Morro do Caricó, que é desabitado e separa as duas comunidades.
Imagens captadas por um helicóptero da Globo News mostram alguns traficantes feridos. Um deles teve que ser carregado por outro criminoso. Alguns fugiram com carros, motos e caminhonetes.
A Vila Cruzeiro é uma das principais comunidades em que os traficantes se organizam. A polícia acredita que vários criminosos que tiveram que deixar outras comunidades por conta da instalação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) migraram para a Vila Cruzeiro. O Complexo do Alemão também é considerado um ponto estratégico para o tráfico.
Nove blindados da Marinha entraram na Vila Cruzeiro, além de dois caminhões com fuzileiros.  Cerca de 150 policiais militares do Bope participam da operação, além de 200 policiais civis e PMs de outros batalhões. Um helicóptero da Polícia Militar sobrevoa a área.

Entenda os ataques






Uma onda de violência assola o Rio de Janeiro desde o último domingo (21), quando criminosos começaram uma série de ataques e incendiaram veículos –mais de 50 casos já foram registrados no Estado até esta quinta-feira (25).

Na segunda-feira, as autoridades fluminenses consideraram os ataques uma resposta à política de ocupação de favelas por UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) e à transferência de presos para presídios federais. A intenção seria colocar medo na população.

A polícia investiga se os ataques estão sendo orquestrados pelas facções criminosas Comando Vermelho e ADA (Amigos dos Amigos). Na quarta-feira, oito presidiários foram transferidos do Rio para o presídio de segurança máxima em Catanduvas (PR).

Desde o começo da semana, uma megaoperação está sendo feita em diversas comunidades da capital, sendo a Vila Cruzeiro, no subúrbio do Rio, o local com combates mais intensos.

Uma determinação do comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte, obrigou todos os policiais de folga a retornar para seus batalhões. A Marinha foi enviada para ajudar no combate e o governo federal enviou reforço da Polícia Rodoviária Federal.

Mais de cem pessoas já foram presas e mais de 30, mortas durante os combates desta semana. Grande quantidade de armas e drogas estão sendo apreendidas diariamente. A operação em resposta aos crimes não tem data para acabar, informam as autoridades.
 

Nenhum comentário: