terça-feira, 12 de outubro de 2010

Palhaço Tiririca, bode expiatório da vez

Ex-Governador Antony Garotinho


"PIOR DO QUE ESTÁ, NÃO FICA?"

Antony Garotinho

Tenho acompanhado o linchamento que a mídia vem fazendo com o Tiririca, por ter recebido 1 milhão e 300 mil votos do povo de São Paulo. Quero deixar claro que não bato palmas para o caminho escolhido por Tiririca na sua campanha, mas acho que há muita hipocrisia nesse episódio.

Parece que o Tiririca personifica todos os males da política brasileira. O Brasil do Tiririca é o mesmo onde Renan Calheiros se reelegeu e já avisou que pretende disputar de novo a presidência do Senado.

Aqui no Rio de Janeiro, a mesma mídia que crucifica o Tiririca não dá uma linha sobre o caso do deputado André Lazaroni, do PMDB, que durante a campanha, a Folha de S.Paulo já havia mostrado suas ligações com o tráfico da Rocinha. A Band News denunciou no dia da eleição, que na sexta-feira (1º de outubro) o traficante Nem mandou chamar todos os motoristas de Kombi da Rocinha deu R$ 200 para cada Kombi e mais R$ 50 para cada motorista e cada ajudante.

A ordem era para usarem camisas amarelas com a foto do vereador falecido Claudinho da Academia, que era o braço político do bandido e para transportarem de graça os eleitores da Rocinha para votarem em André Lazaroni.

Segundo André Lazaroni foi Pezão, o vice-governador quem costurou o acordo político na Rocinha para ele virar o representante da comunidade com o apoio do traficante Nem. Os moradores da comunidade foram pressionados pelos bandidos a votarem nesse rapaz.

Agora eu lhes pergunto: pior do que está não fica? O que é pior o Tiririca ou um político apoiado por uma facção de bandidos (...)?

A mídia e a opinião pública deveriam também ficar indignadas.



Fonte: Blog do Garotinho

Nenhum comentário: