sexta-feira, 30 de julho de 2010

Massa deixou Alonso passar após 4ª ordem

A fala pausada e a mensagem explícita do engenheiro Rob Smedley a Felipe Massa no último domingo, em Hockenheim, não foram apenas uma trapalhada da Ferrari na hora de fazer jogo de equipe.

Folha apurou que o piloto brasileiro já havia sido informado em pelo menos outras três ocasiões durante o GP da Alemanha que deveria ceder passagem ao companheiro, Fernando Alonso.

 Depois de ter se classificado atrás do colega, Massa largou bem e assumiu a ponta da corrida, seguido pelo piloto espanhol, que não conseguia se aproximar o suficiente para ultrapassá-lo.

Via rádio, Alonso chegou a dizer que a situação "era ridícula". Ele estava 31 pontos à frente de Massa no Mundial.

A equipe então começou a sugerir que o brasileiro abrisse passagem para o companheiro. Mas Massa não dava sinais de que deixaria.

Foi então que Smedley, depois de algumas tentativas, teve de ser claro e falou, devagar: "Fernando é mais veloz que você. Você pode confirmar que entendeu a mensagem?", disse, como se falasse com uma criança.
Pouco depois, Alonso assumiu a primeira colocação.

Ontem, em Hungaroring, o piloto brasileiro falou pela primeira vez de cabeça fria sobre o episódio. Convocado para a entrevista coletiva promovida pela FIA, foi bombardeado com perguntas sobre seu comportamento.

Olhar fixo, fala pausada e respostas curtas, Massa foi evasivo ao comentar o episódio e não quis causar ainda mais polêmica. "Não vejo motivos para nós ficarmos falando da corrida passada. Temos que pensar para a frente e o que posso dizer é que sou muito forte e que estou ansioso para vencer", afirmou.

Ao ser questionado sobre o que faria então se uma situação semelhante acontecer neste final de semana, apenas disse: "Eu vou vencer".

Depois, para a imprensa brasileira, tentou ser mais convincente, mas também acabou se enrolando no discurso, claramente depois de ter passado por algum tipo de "treinamento" da Ferrari.

"Do jeito que falam até parece que piloto é estúpido, mas de jeito nenhum", falou. "Penso em tudo e todas reações que tive foi pensando assim, mas sempre em ter a chance de lutar por vitórias, que é o que eu tenho aqui."

De acordo com Massa, mesmo tendo precisado dar a vitória a Alonso, no domingo, as coisas não serão assim até o fim da temporada. "É difícil e inútil discutir isso ponto por ponto, sei do trabalho que tenho dentro da equipe e só posso dizer que o dia que me sentir segundo piloto vou parar de correr."

"Segundo eu não sou. Vou entrar no carro para vencer, independentemente da condição", completou, antes de usar o exemplo do que aconteceu nos Mundiais de 2007 e 2008 para se justificar.

"Quando ajudei a equipe, fiquei contente. Fiquei triste de não ganhar em casa, mas não teve ninguém que não me deu razão. Sei o que estou fazendo, sei o meu caminho", disse o brasileiro.

Max Rossi /Reuters
Ferrari Formula One driver Felipe Massa of Brazil rubs his eye during a news conference at the Hungaroring circuit near Budapest July 29, 2010, ahead of the Hungarian F1 Grand Prix. REUTERS/Max Rossi (HUNGARY - Tags: SPORT MOTOR RACING)
Felipe Massa, que recebeu ordem da equipe Ferrari para abrir para o companheiro


Nenhum comentário: