sexta-feira, 30 de julho de 2010

Massa deixou Alonso passar após 4ª ordem

A fala pausada e a mensagem explícita do engenheiro Rob Smedley a Felipe Massa no último domingo, em Hockenheim, não foram apenas uma trapalhada da Ferrari na hora de fazer jogo de equipe.

Folha apurou que o piloto brasileiro já havia sido informado em pelo menos outras três ocasiões durante o GP da Alemanha que deveria ceder passagem ao companheiro, Fernando Alonso.

 Depois de ter se classificado atrás do colega, Massa largou bem e assumiu a ponta da corrida, seguido pelo piloto espanhol, que não conseguia se aproximar o suficiente para ultrapassá-lo.

Via rádio, Alonso chegou a dizer que a situação "era ridícula". Ele estava 31 pontos à frente de Massa no Mundial.

A equipe então começou a sugerir que o brasileiro abrisse passagem para o companheiro. Mas Massa não dava sinais de que deixaria.

Foi então que Smedley, depois de algumas tentativas, teve de ser claro e falou, devagar: "Fernando é mais veloz que você. Você pode confirmar que entendeu a mensagem?", disse, como se falasse com uma criança.
Pouco depois, Alonso assumiu a primeira colocação.

Ontem, em Hungaroring, o piloto brasileiro falou pela primeira vez de cabeça fria sobre o episódio. Convocado para a entrevista coletiva promovida pela FIA, foi bombardeado com perguntas sobre seu comportamento.

Olhar fixo, fala pausada e respostas curtas, Massa foi evasivo ao comentar o episódio e não quis causar ainda mais polêmica. "Não vejo motivos para nós ficarmos falando da corrida passada. Temos que pensar para a frente e o que posso dizer é que sou muito forte e que estou ansioso para vencer", afirmou.

Ao ser questionado sobre o que faria então se uma situação semelhante acontecer neste final de semana, apenas disse: "Eu vou vencer".

Depois, para a imprensa brasileira, tentou ser mais convincente, mas também acabou se enrolando no discurso, claramente depois de ter passado por algum tipo de "treinamento" da Ferrari.

"Do jeito que falam até parece que piloto é estúpido, mas de jeito nenhum", falou. "Penso em tudo e todas reações que tive foi pensando assim, mas sempre em ter a chance de lutar por vitórias, que é o que eu tenho aqui."

De acordo com Massa, mesmo tendo precisado dar a vitória a Alonso, no domingo, as coisas não serão assim até o fim da temporada. "É difícil e inútil discutir isso ponto por ponto, sei do trabalho que tenho dentro da equipe e só posso dizer que o dia que me sentir segundo piloto vou parar de correr."

"Segundo eu não sou. Vou entrar no carro para vencer, independentemente da condição", completou, antes de usar o exemplo do que aconteceu nos Mundiais de 2007 e 2008 para se justificar.

"Quando ajudei a equipe, fiquei contente. Fiquei triste de não ganhar em casa, mas não teve ninguém que não me deu razão. Sei o que estou fazendo, sei o meu caminho", disse o brasileiro.

Max Rossi /Reuters
Ferrari Formula One driver Felipe Massa of Brazil rubs his eye during a news conference at the Hungaroring circuit near Budapest July 29, 2010, ahead of the Hungarian F1 Grand Prix. REUTERS/Max Rossi (HUNGARY - Tags: SPORT MOTOR RACING)
Felipe Massa, que recebeu ordem da equipe Ferrari para abrir para o companheiro


quinta-feira, 29 de julho de 2010

Da pornografia para a mídia pró-família: A conversão de um programador de internet

Por Patrick B. Craine) – O homem que no passado tinha uma multimilionária empresa pornográfica está hoje compartilhando seu testemunho sobre como ele deixou essa indústria e achou fé em Cristo, e como ele está agora usando seus talentos para avançar a glória de Deus através de meios de comunicações cristãos favoráveis aos valores da família.

Jeff Myers, cujos sites pornográficos hospedavam milhões de imagens e milhares de horas de vídeo, compartilhou seu testemunho no Clube 700, um programa ao vivo da rede de televisão evangélica CBN. "Minha vida era um desastre. Eu era um pornógrafo alcoólatra e viciado em drogas que arruinou milhões de vidas", ele disse para o Clube 700. "Deus pegou minha vida e a fez dar uma meia volta. Ele me ama, apesar de todas as besteiras que fiz".

Tudo começou quando ele tinha uns 30 anos, disse ele, quando ele começou a ir a bares de strip-tease mais vezes, o que acabou levando a um divórcio. "Minha alma estava estéril; estava morta. Eu realmente não tinha nenhuma consciência", disse ele. "Eu só pensava em mim mesmo. Eu só pensava em fazer tanto dinheiro quanto fosse possível".

Myers disse que se envolveu pela primeira vez com pornografia depois que uma dançarina strip-tease pediu a ajuda dele para iniciar um site pornográfico. "Pensei comigo mesmo, 'Olha, eu poderia fazer isso', e fiz", disse ele. "Na primeira semana fizemos $6.000 em vendas, e me viciei instantaneamente. Dentro de um ano fiz 19 sites para mim. Estávamos fazendo vendas de $30,000 a $40,000 por mês em nossos sites. Em dois anos, vendi meu programa inteiro por 2.5 milhões".

Myers continuou produzindo pornografia por mais três anos e começou a usar êxtase. "Eu estava vivendo 150 horas por semana de felicidade fajuta induzida por drogas que é tão longe da realidade quanto se possa alcançar", disse ele. "Eu sabia que eu estava destruindo vidas nesse ponto. De repente me veio à mente que o que eu estava fazendo era simplesmente terrível, não só para as modelos que trabalhavam para mim, mas também para as pessoas em geral. Eu sabia que algo teria de ser sacrificado, mas continuei firme no negócio, pois as drogas me mantinham feliz. Embora eu vivesse cercado de pessoas, eu estava completamente solitário. Passei muitas noites totalmente sozinho".

Seu limite ocorreu somente há quatro anos, quando ele foi preso por fabricar e distribuir êxtase depois de dar um pouco para uma modelo pornográfica que vinha lhe pedindo para remover as fotos dela dos sites dele. "Eu peguei três pílulas, uma para cada um dos amigos dela, não sabendo que ela tinha tido uma conversa de um mês com a delegacia de polícia local sobre mim e sobre remover as fotos dela da internet".

A casa de Myers sofreu uma batida policial; ele perdeu tudo e caiu em depressão. "Fui para o andar de cima, peguei uma garrafa de vodka e Vicodin. Tomei todos eles. Bebi um quinto da vodka e eu devia ter morrido", disse ele. "Por qualquer que seja a razão miraculosa, despertei na manhã seguinte quando eu não deveria ter despertado. Penso que nesse ponto percebi que eu precisava de ajuda e que não conseguia sair por mim mesmo. Eu queria de forma simples e desesperada que alguém estendesse uma mão para mim, pois eu estava só".

Ele decidiu ir a um acampamento cristão, onde ele respondeu ao apelo lá da frente e buscou o perdão de Deus. Mas, disse ele, ele ainda sentia que era um caso perdido demais para redenção. "Errei demais, e em minha mente, eu tinha ido muito longe ao fundo do abismo", disse ele. "Embora eu soubesse que algo havia ocorrido naquele dia, eu certamente não sentia que Deus poderia me restaurar".

Myers logo foi recebido de braços abertos na casa de um velho amigo, que então havia se tornado um pastor evangélico. "Eles me envolveram em seus braços, me amaram e cuidaram de mim além do que eu poderia possivelmente imaginar", ele relatou. "Isso significa tudo. Essa foi a confirmação de que a graça era real".

Por meio da leitura da Bíblia e de escutar músicas de adoração, ele rapidamente descobriu que Deus estava purificando a mente dele. "Era como se eu estivesse sendo lavado de dentro para fora", ele disse. "Minha mente estava sendo purificada, e todas aquelas imagens estavam sumindo".

Depois de um julgamento criminal que durou oito meses, Myers foi sentenciado a um ano de cadeia, onde ele lia a Bíblia e fazia planos para usar seus talentos de programador a serviço de Deus.

Em 2008, ele lançou www.Godbeat.tv, um site de vídeos como o Youtube, mas que tem o compromisso de respeitar os valores da família. "Em vez de distribuir sujeira, Ele me deu uma oportunidade de partilhar o amor de Deus e colocá-lo em tantos lares quanto pudermos", disse ele. "É minha missão pessoal de redenção. O que quero dizer é: 'Deus, tu me deste esses talentos. Vou usá-los para a tua glória, em vez de tua destruição'".

"A cada dia Ele está removendo um pouco das besteiras que andei fazendo", diz Myers. "Sei que nunca serei perfeito, mas Ele pegou o que Satanás pretendia usar para o mal e o transformou em algo maravilhoso. Simplesmente, mais uma prova da maravilhosa graça de Deus. As coisas que Ele pode fazer e a restauração que Ele pode fazer deixam a minha mente em estado de tranquilidade".

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Damares é a mais nova contratada da Sony Music

Nesta terça-feira (27), a direção da gravadora Sony Music divulgou a contratação de mais um artista para o cast de música gospel da companhia. 

Trata-se da cantora revelação da música gospel em 2008 e um dos maiores fenômenos de vendas do mercado fonográfico nacional dos últimos anos, Damares, intérprete dos hits "Apocalipse", "Sabor de Mel" entre outros sucessos.

A cantora chega à Sony Music e já inicia as gravações de seu mais novo trabalho, com previsão de lançamento para o mês de outubro deste ano. "Estou muito feliz com esta oportunidade de expandir ainda mais meu trabalho agora numa gravadora de grande porte! Meu repertório está selecionado e já nos próximos dias entraremos em estúdio para gravar meu CD de estréia na Sony Music!" A cantora ainda destaca que depois do sucesso dos últimos trabalhos a responsabilidade por um novo projeto de qualidade é enorme. "Sem dúvida que teremos uma grande responsabilidade neste novo trabalho porque os anteriores foram sucessos enormes, mas desta vez tivemos tempo para escolher o repertório com tranqüilidade, seguindo orientação de Deus e creio que poderemos fazer um belíssimo projeto! A gravadora não está medindo esforços para que este CD seja o melhor de minha carreira e vamos honrar essa confiança deles!"

Com pouco mais de 10 anos de carreira, 5 álbuns gravados e ainda 1 DVD, Damares é considerada uma das referências da música gospel pentecostal no país. A cantora por onde passa reúne dezenas de milhares de pessoas para acompanharem suas apresentações em todos os cantos do país. Uma das grandes provas do sucesso de suas músicas junto ao público está na vendagem dos playbacks de suas músicas que superam muitas das vezes a impressionante marca de 200 mil cópias vendidas.

Com a chegada de Damares ao cast da Sony Music, o núcleo de música gospel da gravadora passa a contar com 9 artistas: Cassiane, Elaine de Jesus, Marcelo Aguiar, Renascer Praise, Leonardo Gonçalves, Rayssa e Ravel, Resgate e DJ Alpiste.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sony Music

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Cassiane estreia como escritora e lança livro autobiográfico

Cassiane é uma das personalidades mais queridas e conhecidas entre os evangélicos. Cantora de sucesso na música gospel completa 20 anos de uma carreira musical de muito sucesso que iniciou ainda criança, aos oito anos de idade, quando gravou o seu primeiro LP.

Desde então, já vendeu 7 milhões de CDS, realizou milhares de apresentações e bateu todos os recordes de vendas de música gospel.

Entre as suas canções inesquecíveis destacam-se: Hino da Vitória, 500 graus, Imagine, Hino da Vitória, Minha Benção, Todo Poderoso, Para Sempre e Com Muito Louvor.

Casada com o também cantor e produtor musical Jairinho Manhães, três filhos, Cassiane é reconhecidamente uma das ministras de louvor mais respeitadas do país. Seus louvores são entoados em milhares de igrejas mundo afora. Ela foi a primeira mulher ungida pastora nas Assembléias de Deus, quebrando um paradigma histórico da denominação.

Seu CD Com Muito Louvor vendeu 1,5 milhões de cópias, um recorde no gênero e o carinho de seu público se revela em mais de 7 mil emails por dia, 300 mil membros nas comunidades do Orkut, milhares de seguidores no twitter e a marca do sucesso em tudo o que faz.

Cassiane está lançando seu 1º livro pela Editora Palavra: ''Cassiane - Uma vida com muito Louvor''.

O Livro

Os admiradores de Cassiane não irão se decepcionar. Em ''Cassiane - Uma vida com muito Louvor'', a autora revela detalhes de sua vida e carreira, muitos desconhecidos do grande público. Não faltam fotos de família e fatos acerca dos grandes sucessos de sua carreira artística.

Cassiane pode ser chamada de pessoa fenomenal. Mas não apenas porque se tornou fenômeno de vendas, mas por ser quem é em todas as áreas de sua vida. No livro, revela-se a cantora, a pastora, a mãe, esposa e a mulher.

Cassiane recebeu uma marca diferenciada para exercer o seu ministério e a experiência mais marcante da leitura é perceber a vida de louvor ao Senhor e o relato comovente de seu caminhar com Cristo.

''Com muito Louvor'' esbanja sinceridade, amor cristão e o temor e compromisso da autora para com a sua responsabilidade de ministra do Evangelho.

Cassiane testemunha a presença de Deus em sua vida no dia-a-dia e em momentos marcantes, bons ou difíceis. A firmeza de sua fé, diante do desenrolar dos planos de Deus para a sua vida é comovente. É difícil não se emocionar com certas passagens de seu relato.

Diante disto, o livro ganha uma dimensão maior do que a biografia de um artista e alcança o interesse de todos os crentes, não apenas os seus fãs. "Cassiane – Uma vida com muito Louvor" é uma leitura que irá edificar a sua vida.

Biografia

Cassiane Santos nasceu no dia 27 de Janeiro no município de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. É de família protestante, pentecostal, e congrega desde pequena na Igreja Assembléia de Deus de Nova Iguaçu. Sua carreira começou aos oito anos de idade e completa 20 anos de muito sucesso.

Casou em 1994 com Jairinho Manhães, seu amigo de infância. Tem três filhos, Jayane, Caio e Joshua. Cassiane e Jairinho gravaram juntos músicas românticas para a coletânea Amo Você da gravadora MK Music, e devido ao sucesso dessas canções passaram a gravar CD's juntos.

Cassiane inicia agora uma nova fase. Reconhecida e querida por seu público, a cantora e seu marido Jairo Manhães abriram sua própria gravadora, a Reuel Music e Editora.

Essa mudança traz um novo frescor ao seu trabalho. Será uma etapa de desafios, mas com liberdade e autonomia redobrada em seu trabalho. Além dos discos de Cassiane, a nova gravadora aposta em Jairo Manhães, a filha Jayane e o próprio casal, Cassiane e Jairinho.

Discografia

* CD Harpa Vol. 1 2010
* CD Som Gospel 2008
* DVD 7 dias de vitória 2008
* CD Faça diferença 2007
* CD Falando de amor 2007
* CD 25 anos de muito louvor 2006
* DVD 25 anos de muito louvor 2006
* CD Sementes da fé 2005
* CD Você e eu 2004
* CD A cura 2003
* CD Cada instante de nós dois 2002
* CD Recompensa 2001
* CD O amor é mais... 2000
* Song Book Com muito louvor 2000
* CD Com muito louvor 1999
* CD Para sempre 1998
* CD Sem Palavras 1996
* CD Puro amor 1994
* CD Força imensa 1993
* CD Atualidades 1992
* LP União 1990
* LP Desafio 1987
* LP Rosa de Saron 1985
* LP Dou glória a Deus
* LP Corinhos inesquecíveis
* LP Cristo é a força 1981

terça-feira, 20 de julho de 2010

Diante do Trono lota arena em Barretos para gravação de CD e DVD

 A gravação do 13º CD e DVD do Diante do Trono – Aleluia – reuniu grande concentração de pessoas, provenientes de várias regiões do Brasil, no último sábado, 17 de julho.

A arena do Parque do Peão – onde acontecem os rodeios da Festa do Peão – ficou tomada, superando as expectativas. O evento começou bem cedo. Às 9h as portas do parque foram abertas. Bandas de igrejas locais se apresentaram em um palco paralelo, a campanha para doação de sangue e compatibilidade de medula óssea do Hospital de Câncer, bem como a entrega de donativos financeiros aconteceram conforme divulgado e anunciado intensamente.

Já à noite, com autoridade e estratégias, Ana Paula Valadão e integrantes do grupo ministraram, adoraram a Deus e proclamaram o nome de Jesus. Barretos recebeu o Diante do Trono de braços abertos, como um pai espera um filho depois de um longo período sem um abraço.

Foi tremendo ver aquela arena cheia, orando, cantando, proclamando a unidade, chorando aos pés do Senhor. Ver a reação do público a cada música foi especial.

A gravação contou com a participação especial da Pra. Ludmila Ferber, cantando "Eis-me aqui" e do Pr. André Valadão interpretando a inédita "Digno de adoração". E ainda, Cornélio Augusto, encenando e recitando versículos de Apocalipse. José Auxiliador de Oliveira, um oleiro de Belo Horizonte, fez um vaso no palco durante a canção "Oleiro".

Outra questão chamou a atenção dos responsáveis pelo Parque do Peão: após o evento, a arena estava limpa. "Nem parece que aconteceu um evento com uma grande multidão, pois não tinha sujeira", afirmou Luis Borges, Departamento de Produção. Para ele a organização do Diante do Trono foi fantástica. Toda glória seja dada a Deus. Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas.

O evento contou com o apoio da Prefeitura de Barretos, Passaredo Linhas Aéreas, Os Independentes e Alfalix Ambiental. Backline e instrumentos foi uma parceria com Bless Music.

Síria proíbe véu que cobre todo o rosto em universidades


 governo da Síria aprovou uma lei que proíbe mulheres de usar o véu islâmico que cobre todo o rosto em universidades do país.

O Ministério da Educação sírio informou que a proibição, decretada no domingo, vale apenas para o niqab, o véu que cobre o rosto. O hijab, que cobre apenas os cabelos e é muito popular no país, continuará sendo permitido.

A proibição vale tanto para as universidades públicas quanto para as privadas.

Com o anúncio, a Síria se junta a outros países árabes considerados seculares, como Egito e Jordânia, que aprovaram leis semelhantes ou lançaram campanhas para inibir o uso do niqab.

O governo sírio diz que a nova lei visa a proteger a identidade secular do país.

No mês passado, antecipando a legislação, as autoridades remanejaram centenas de professoras de escolas primárias que usam o niqab, para cargos administrativos, segundo jornais locais.

Ao contrário do hijab, o niqab não é muito popular na Síria. Mas seu uso vem crescendo, alarmando o governo, que o considera uma ameaça às leis seculares do país.

Secularismo

O crescimento do uso do niqab vem sendo considerado uma ameaça em alguns países ditos seculares do Oriente Médio.

No Egito, três importantes autoridades religiosas apoiaram uma lei de 2009 que proíbe o uso do niqab em universidades sob o argumento de que não há base no Islã para seu uso.

No ano passado, a Jordânia foi outro país árabe que lançou uma ação para inibir o véu. O governo iniciou uma ampla campanha alertando a população para o aumento de crimes, como roubos, cometidos por homens que usavam o véu como forma de disfarce.

A campanha ganhou apoio de vários segmentos da mídia do país e de setores mais liberais da sociedade jordaniana.

No Líbano, o país mais liberal do mundo árabe, também houve campanhas de religiosos moderados e autoridades do governo pedindo um uso mais discreto do véu, embora nenhuma lei tenha sido aprovada.

A Turquia já havia banido o niqab em universidades mas, em anos recentes, líderes religiosos tentaram reviver o uso do véu em locais públicos.

Europa

As medidas aprovadas por alguns países árabes formam uma tendência atual na Europa.

Em diversos países europeus, a proibição do véu islâmico em locais públicos vem sendo discutida há anos e se tornou um assunto polêmico devido à presença de comunidades muçulmanas nestes países.

Na França, o Parlamento aprovou em primeira instância uma lei proibindo o uso do véu, argumentando que o niqab e a burqa feriam os valores franceses. A lei deverá ainda ser aprovada pelo Senado.

Anteriormente, o governo francês já havia lançado uma campanha coibindo o uso de qualquer símbolo religioso em escolas.

Outros países europeus, como a Espanha, Grã-Bretanha e Holanda, vêm considerando aprovar um lei banindo seu uso.

Alemanha e Bélgica já têm leis em algumas cidades e províncias que proíbem o uso do véu.

Fonte: BBC Brasil

Silas Malafaia diz que havia descalabro administrativo na CGADB

E

Em entrevista ao jornal Extra Online, o pastor Silas Malafaia fez duras críticas a CGADB. "A Convenção passava cheques sem fundos", denunciou Malafaia.

Faltavam cinco minutos para o início do culto na Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, onde havia cerca de 2 mil pessoas, quando Silas Malafaia, de 51 anos, concedeu esta entrevista na noite da última terça-feira.

Depois de despachar com outros dois pastores que lhe apresentavam preços de imóveis para construir novos templos, disse, de forma simpática, que nos concederia 13 minutos. 

Tantos eram os projetos do polêmico religioso — que criou o Clube de 1 Milhão de Almas para pedir doações voluntárias de R$ 1 mil ao fiéis e é criticado no meio evangélico por pregar a doutrina da prosperidade financeira — que a conversa se estendeu por 35. 

Wittnauer dourado no pulso, com pedras que lembravam diamantes, falou sem rodeios da saída da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), em maio, de eleições e do ambicioso plano de levar seu ministério a todo o país.
Confira a entrevista:

Por que o senhor saiu da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil? 

Minha saída teve dois motivos. Primeiro, tive que assumir a igreja com a morte do meu sogro (pastor José Santos, em fevereiro), que era o presidente. E segundo, porque vi muito descalabro administrativo. Não podia ficar à mercê da má gestão financeira. Era preocupante. Se o Ministério Público investigasse, mandaria afastar todo mundo. E eu, que estou na mídia, como ficaria? 

Há quanto tempo o senhor fazia parte da Convenção? 

Da Convenção, há 28 anos, desde que me tornei pastor. Da mesa diretora, cerca de três anos e dois meses, dois anos como segundo tesoureiro. Em abril do ano passado, fui eleito primeiro vice-presidente.

E quando descobriu que havia irregularidades? 

Fiquei quase dois anos tentando avisar aos caras. Enviei documentos ao conselho fiscal e denunciei em assembleias da própria Convenção, no Espírito Santo. Como vice-presidente, não tinha ingerência administrativa. Só o presidente e o primeiro tesoureiro.
O que o senhor denunciou, exatamente? 

O que me chamou a atenção foi a má gestão financeira. A Convenção passava cheques sem fundos. Como uma instituição cobra dos pastores e tem o nome sujo no SPC e no Serasa? A má gestão é por incompetência deles mesmo, porque a Convenção tem 50 mil pastores! 

O senhor mudou o nome da Assembleia de Deus da Penha. Essa mudança e a saída da CGADB significam que vai criar outra igreja? 

A fábrica de conjecturas é grande (risos). A Convenção não é de igrejas, é de pastores. Eu saí da CGADB, mas não da Assembleia de Deus. O pastor Manoel Ferreira, meu amigo, é da Assembleia de Deus e também não pertence à CGADB, pertence ao Ministério de Madureira (Conamad). A CGADB representa 60% dos membros da Assembleia de Deus, o pastor Manoel Ferreira 30% e sobram outros 10%...

Pretende criar outra convenção com eles? 

Não. Algumas pessoas já me disseram que se fizesse isso me acompanhariam, mas não quero não. Lá na Convenção tem milhares de homens decentes, honestos. Não é porque saí de lá que vou cuspir no prato em que comi. Não é por meia dúzia de cabras que vou deixar de defendê-la. 

Quantas serão? 

Somos 91 igrejas, com 20 mil membros, no Rio, em Pernambuco e no Espírito Santo. Em cinco anos vamos entrar no país inteiro, com mil. Em Curitiba, Salvador, Vitória e Porto Alegre ainda este ano. Estamos treinando pastores, não queremos ninguém de fora. Nós temos muita credibilidade, a igreja e eu.

Por que mil igrejas? 

Gosto de metas. Há um clamor para isso porque eu sei o que está acontecendo em muitos lugares. Muitas pessoas estão deixando as igrejas por conta do conservadorismo. Sei que sou a opção para essa gente.

O senhor vai fazer campanha para algum candidato? 

Ainda não tenho candidato para governador e presidente. Posso até apoiar algum e influenciar meu segmento, mas não vou usar o nome da igreja. Falar em nome das pessoas é covardia. O pastor que fala que a denominação vai votar em alguém está ludibriando o candidato. Eu digo na igreja: "Meus queridos, não vai ter anjo sentado na urna para dedurar seu voto ao pastor".

O que o senhor achou da polêmica sobre a música Adão e Ivo (considerada homofóbica por condenar o casamento entre pessoas do mesmo sexo)? 

Qual o problema? A música está errada? A Bíblia não fala mesmo de Adão e Ivo. Dizem que eu sou o inimigo público número 1dos homossexuais. Querem confundir crítica de comportamento com preconceito. Eu sou livre para criticar o comportamento. Eles foram burros porque quiseram criminalizar quem é contra. Aí, me chamaram para a briga. São o grupo mais intolerante da pós modernidade porque não suportam críticas. Será que é porque não têm segurança do que são? 

Fonte: Extra Online

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Entrevista exclusiva com o candidato a Deputado Federal Pr. Marco Feliciano

Gospel Prime – Quando surgiu a idéia de se tornar um político?

Pr. Marco Feliciano -  No momento em que percebi a dificuldade de pertencer a um grupo contra o qual se conspira e que sofre preconceitos grosseiros. Ser evangélico neste país é motivo de piada, e isto é um absurdo; No momento em que percebi que existe uma trama conspiratória contra o avanço do movimento evangélico brasileiro; No momento que percebi que, como cidadão, formador de opinião, eu poderia dar uma parcela de ajuda, ainda que pequena, aos nossos sonhos e ao povo que sonha como eu; No momento que vi a bancada evangélica ser atingida por crises, como a CPI das ambulâncias. Depois dessa crise a bancada evangélica foi dizimada, afinal nenhum crente queria se envolver e defender os que possivelmente escandalizaram a Nação.

Todavia, no pleito seguinte, de mais de 60 Deputados Federais, nossos representantes caíram para menos de 20, e então sem poder de voto Projetos de Lei como o PL 122 passaram facilmente pela Câmara Federal, e já tramitam no Senado. Ou seja, deixamos de eleger crentes fortes pra elegermos macumbeiros fortes! Isso me revoltou. Em novembro, quando estourou o último escândalo em Brasília, mais uma vez a mídia quis mostrar que entre os culpados havia um EVANGELICO. Foram dezenas os acusados, mas só sabemos a religião de um evangélico. A mensagem subliminar era para minar a mente do povo evangélico a não votarem nos seus irmãos. Por isso resolvi me tornar um político.

GP – O que você acha da Política no Brasil?

Pr. Marco Feliciano - É triste saber que nossa política está marginalizada. Nossos filhos não acreditam na política porque os políticos têm fama de serem ladrões. Ser político nesse país é tornar-se alvo de chacotas, perseguições e ridicularizações. Mas é preciso mudar! Mudarmos esse quadro, esse pensamento, afinal, como cristãos que cremos no poder da palavra, cada dia que dizemos: A POLITICA DO BRASIL É PODRE, ela realmente pode se tornar cada vez mais podre. Precisamos recuperar o prestígio, o respeito e a unção profética sobre o governo, afinal, está escrito: TODA AUTORIDADE É POR DEUS CONSTITUÍDA. (Romanos 13:1)

GP – Qual a sua expectativa agora em um novo ministério, o político?

Pr. Marco Feliciano – Você disse com muita propriedade: MINISTÉRIO POLITICO. O profeta do velho testamento era a "consciência política" do reino. Não serei leviano, sei absolutamente que serei um entre centenas, e caso Deus me conceda chegar lá, enfrentarei muita dificuldade, mas creio que se o Senhor se aprouver de mim, ELE pode criar um mecanismo divino pra que essa voz aqui possa ser ouvida como representação dos anseios do povo. Eu creio na direção divina. É um novo mundo, misterioso pra mim, estranho e perigoso, mas sempre gostei de desafios, sou corajoso! Vou lutar.

GP – Qual será a base de seu trabalho?

Pr. Marco Feliciano – A princípio ter acesso as leis que ferem a base da sociedade, ou seja, a família, e sabendo o que se passa nesse assunto, diretamente estará envolvido o assunto IGREJA, pois a base da igreja também é a família. Quero tomar conhecimento sobre as leis do Meio Ambiente, onde se enquadra a Lei do "Psiu", que faz com que igrejas sejam lacradas arbitrariamente por causa das denuncias feitas por vizinhos. Se possível, queremos reavaliá-la e reinterpretá-la. É conhecido de alguns que caminham pelo Congresso projetos de lei que envolvem a arrecadação financeira da igreja, onde querem tributar o dízimo, ofertas e doações. Ou seja, retirar uma porcentagem da receita da igreja, e para tanto, levar os fiéis a depositarem em agências bancárias tais doações, inibindo-os a entregarem na igreja. Também a pior de todas as leis, o PL. 122, que fere de maneira grotesca a SANTIDADE DA IGREJA, levando, caso seja aprovada, líderes evangélicos a tomarem decisões que podem destruir a santidade da igreja, ou levá-los direto a uma prisão, por terem sido "preconceituosos". Portanto, minha base de trabalho será junto com a bancada evangélica, que, se Deus permitir, será grande, forte e atuante. Blindaremos politicamente aquela que nos elegeu, A IGREJA. Também tenho projetos para a família, no sentido de tentarmos criar uma maneira menos burocrática para adoção de crianças que ficam sem família por serem órfãs, pois os que as querem esbarram em penosa burocracia.

GP – O que a Igreja Brasileira pode esperar com sua eleição?

Pr. Marco Feliciano – Uma voz corajosa, verdadeira e profética na Câmara Federal. Sei que políticos fazem promessas arrogantes, mas quero que me entendam, só farei duas promessas aqui, a primeira: NAO ENVERGONHAR MEU SALVADOR NEM A IGREJA QUE ACREDITOU EM MIM, E COM SEU VOTO ME "UNGIU" COMO AUTORIDADE LEGISLATIVA; e segundo: estarei político, mas serei PARA SEMPRE UM UNGIDO, SEREI PASTOR ATÉ MINHA MORTE OU ATÉ A VOLTA DO MEU SALVADOR.

GP – Como administrará sua vida pastoral e política?

Pr. Marco Feliciano – Tenho uma equipe, discípulos que me representam muito bem. Serão três dias de trabalho em Brasília, além claro de todo o trabalho de base, nos municípios, portanto, sobram quatro dias para que eu me divida entre família, igreja e congressos. Sou jovem, tenho vigor e disposição e com a ajuda do meigo Espírito Santo, acredito, darei conta.

GP – Não tem medo de se corromper?

Pr. Marco Feliciano – A corrupção está aliada ao caráter. Uns são corrompíveis, outros não. Medo? Não, posso ter medo daquilo que nunca aceitei, não aceito hoje e não aceitarei amanhã. Vigilância sempre!

GP – O senhor espera por resistências entre pastores e convenções?

Pr. Marco Feliciano – Naturalmente. Até porque tudo que faço é sempre muito vigiado. Existem candidatos que são apoiados por pastores e suas devidas convenções, e como sempre caminhei sozinho, minha luta será grande. Não tenho apoio de muitos pastores, vou contar com o carinho da Igreja que sempre ora por mim e me defende quando possível. Não tenho púlpitos pra me apoiar, tampouco dinheiro pra fazer uma campanha num estado tão grande como São Paulo. Sendo assim, contarei com a ajuda de voluntários que acreditam no meu trabalho, com jovens sonhadores como eu, que me emprestarão por estes três meses, seus corações, seus veículos, suas horas, para juntos partirmos para o corpo-a-corpo nas ruas. Como já disse, não tenho os púlpitos, mas na calçada da igreja ou na rua podemos trabalhar, buscando votos e buscando o convencimento da população.

GP – O que o povo pode esperar do Dep. Marco Feliciano?

Pr. Marco Feliciano – Podem esperar total comprometimento com a causa da Igreja e com o atendimento aos mais necessitados. E disso eu entendo, já que fui um menino nascido num vale, cuja mãe pedia esmola na rua pra dar-lhe de comer, que engraxou sapatos, trabalhou na lavoura, filho de mãe solteira, ex-drogalito, e que lutou contra os preconceitos sociais. Sou uma pessoa que, com a ajuda de Jesus Cristo, venceu na vida e ajudou na mudança da vida de milhões de pessoas nas mais de 1.600 cidades brasileiras onde preguei pessoalmente, nos mais de 60 países do mundo que de igual forma ministrei uma palavra e ajudei a erguer do cemitério os sonhos de inumerável quantidade de pessoas.

E é essa experiência que quero levar às pessoas, as lições de vida de uma pessoa que escreveu diversos livros, que foi para a TV brasileira em Rede Nacional, sem apoio de nenhuma organização ou denominação, que tem um site com mais de 11 milhões de visitas, ou seja, que recebeu a ajuda de Jesus, que reverteu uma história que tinha tudo pra dar errado, e a transformou em uma história de sucesso. Podem esperar que usarei essa graça, esse talento e esse carisma pra honrar nossa fé, engrandecer o nome do nosso Salvador, e usar o direito de cidadania para lutar por um país onde as classes sejam mais iguais, onde haja menos crimes, onde haja mais esperança e fazer com que o Governo do Justo, explanado em Provérbios 29:2, exista! Afinal, QUANDO O JUSTO GOVERNA, O POVO SE ALEGRA! E mais, pode parecer utopia, mas vou lutar para que em breve, ao ligarmos o programa de rádio "Hora do Brasil", e ao ouvirmos um jornalista dizer "COM A PALAVRA SUA EXCELENCIA O PRESIDENTE DA REPUBLICA BRASILEIRA", possamos ser agraciados com as seguintes palavras do presidente: "SAÚDO OS COMPATRIOTAS BRASILEIROS COM A PAZ DO SENHOR!"

O que você achou dá entrevista? dê sua opinião!

Obs.: Você pode publicar esta entrevista desde que não esqueça de colocar um link para nós como fonte.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Entrevista com o bispo Edir Macedo

O fundador da IURD fala com exclusividade ao Portal Arca Universal

Da redação


Neste dia 9 de julho, a Igreja Universal do Reino de Deus completa 33 anos. Nesta entrevista exclusiva ao Arca Universal, o bispo Edir Macedo fala sobre quais eram suas expectativas há 3 décadas, quando tudo começou, como ele vê a Igreja hoje e também sobre como lida com os planos futuros.


Vendo o crescimento da IURD, ao longo desses 33 anos, que sentimento o senhor tem ao olhar para trás e perceber que tudo começou em um coreto?


Sentimento de que o Espírito de Deus é real e cumpre Suas promessas.


Quando surgiu a ideia de fundar a Igreja Universal, o "projeto" inicial teve a ver com o que ela representa hoje; é como o senhor imaginava? 


Não. Se o Espírito de Deus me revelasse o que hoje se vê, certamente riria como Sara quando soube que seria mãe após sua idade avançada somada com seu problema de esterilidade.


Ao longo desses 33 anos, a Igreja deixou de realizar algum projeto? Por quê?


Acredito que sim. Muitos que vieram até ela não ficaram. Apenas uns poucos foram escolhidos, como os 300 de Gideão.


Como é administrar uma obra que está presente em quase todos os países do mundo?

A administração física depende da espiritual. O Espírito Santo tem escolhido pessoas a dedo e, através delas, a tem administrado.


As dificuldades e perseguições enfrentadas fora do Brasil foram (são) as mesmas enfrentadas aqui?


Toda e qualquer perseguição sofrida tem caráter espiritual. Os mesmos espíritos imundos que agem aqui o fazem lá.


Quando a Obra iniciou fora do País, o senhor teve uma preparação para isso?


O Espírito de Deus é Quem prepara Seus escolhidos para servir ao Seu Filho aqui ou em qualquer lugar. 


Uma pessoa aos 33 anos de idade pode ser considerada madura. No que o senhor acha que a IURD amadureceu ao longo deste tempo? Quais as mudanças significativas que a Igreja teve com o passar dos anos? 


A maturidade depende dos desertos enfrentados. Quanto maior o número de desertos, maior o grau de maturidade. A IURD tem crescido espiritualmente por conta das lutas enfrentadas. As mudanças têm sido muitas, especialmente no que diz respeito ao uso da fé sobrenatural e inteligente. 


No Brasil, ainda existe muito preconceito e resistência ao trabalho da IURD e ao nome do senhor. No entanto, recentemente, um repórter, ao entrevistar um sul-africano, se surpreendeu ao ser perguntado se era do mesmo país que o senhor. Como é lidar com o preconceito por parte de alguns e ao mesmo tempo com o reconhecimento por parte de outros? 


É natural o preconceito. Jesus, Seus apóstolos e seguidores enfrentaram o mesmo em suas respectivas épocas. Num mundo dominado pelo espírito babilônico não poderíamos esperar flores de seus habitantes. Faz parte da fé cristã.  Só os nascidos do Espírito Santo sobrevivem e prevalecem. Não é fácil enfrentar o preconceito por parte daqueles a quem queremos ajudar. Porém, quando lhes é revelada a Luz do Evangelho, então, somos recompensados com sua gratidão. 


A Igreja possui muitos projetos sociais, desde o trabalho com crianças, jovens, passando pela alfabetização de adultos e até a preocupação com o sertão nordestino. Portanto, milhares de pessoas já foram e são beneficiadas com eles. A IURD tem em vista outros projetos sociais? 


O trabalho da IURD tem sido cem por cento social. Isso por conta da mensagem viva do Evangelho. Jesus não trouxe uma nova religião, mas vida. Quando o ser humano é possuído pelo Espírito de Deus, suas atitudes em relação a Deus, ao próximo e a si mesmo mudam completamente. Daí a razão das pessoas que outrora eram excluídas, hoje, terem suas vidas restauradas e reintegradas à sociedade. Quando o cego passa a enxergar, ele deixa de depender de terceiros, começa a produzir e custear sua própria vida. Quando o bandido é liberto, é menos uma ameaça à sociedade. Infelizmente, a sociedade e o Governo não conseguem enxergar esse benefício social da IURD. O que adianta, por exemplo, dar um prato de comida? Cessará a fome?  A IURD, pelo poder da fé na Bíblia, tem conduzido libertação dos escravos de todo e qualquer vício. Assim sendo, ela promove reintegração social muito além do que qualquer outra instituição social. E o melhor, sem receber qualquer ajuda governamental.


Muitas pessoas falam que a construção de catedrais é desnecessária. Por que a Igreja Universal investe em templos grandiosos? 


Não somente para devolver às pessoas os benefícios de seus dízimos e ofertas, mas, sobretudo, lhes dar visão da vontade de Deus para suas vidas. Jesus veio para trazer vida e vida com abundância. As catedrais provam isso.

Seu blog tem milhares de acessos. Muitas pessoas se sentem mais à vontade para comentar e pedir orientação espiritual. Como o senhor vê essa interação com o público?


As informações oficiais têm registrado quase 3 milhões de acessos mensalmente. Isso prova que há um enorme benefício para os internautas. Isso prova que nosso trabalho não tem sido em vão.  


Vemos que a IURD valoriza a disciplina entre seus membros, obreiros, pastores e bispos. Como essa disciplina interfere no crescimento da Igreja? 


O Reino de Deus é feito de ordem e disciplina. Quem não se submete é porque não tem interesse em viver de acordo com Deus. Nesse caso, é melhor buscar outra fonte. Não somos um clube que está à busca de membros. Somos pregadores das Boas Novas do Evangelho. Quem crê e obedece é abençoado. Quem não crê, paciência. Mas, jamais abriremos mão da ordem e da disciplina na IURD. Mesmo que isso signifique prejuízo econômico.


Com o crescimento da IURD, há necessidade de um grande número de voluntários para a Obra. Que tipo de preocupação o senhor tem para a escolha dessas pessoas?


Fazê-las nascer da água e do Espírito Santo.


Quais as próximas metas para a IURD? 


Aguardamos inspiração e orientação Divina.

Qual a mensagem que o senhor deixa para os milhões de fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus no mundo?


A mesma do meu Senhor: "Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida." Ap. 2.10