quarta-feira, 30 de junho de 2010

WILLIAM COLGATE - UM GRANDE EXEMPLO

Sr Colgate

O leitor provavelmente tem em sua casa ou, pelo menos, já ouviu falar do creme dental Colgate. O dentifrício é apenas um dos produtos das indústria, hoje denominada Colgate-Palmolive, cuja história remonta a 1806, nos Estados Unidos.

William Colgate (1783-1957), filho de uma família de imigrantes ingleses, residentes no interior dos EUA, era ainda muito jovem quando foi tentar a vida em Nova Iorque. Criado em um lar protestante, já conhecia as Escrituras, mas foi longe de casa que as palavras de Jacó, registradas no texto de Gênesis 28:20-22, calaram fundo em seu coração. Decidido a colocar Deus em primeiro lugar em sua vida, fez um voto semelhante ao do patriarca bíblico e prometeu que daria ao Senhor o dízimo de cada dólar que conseguisse ganhar, quando começou a trabalhar em uma pequena manufatura de sabão.

Dois anos depois, William Colgate decidiu começar um negócio próprio, fabricando velas e sabões. À época, esses produtos eram tradicionalmente feitos em casa, para consumo próprio, mas o jovem estava determinado a apostar nesse mercado, ainda que incipiente, e foi em frente. Apostando na qualidade de suas mercadorias e nos preços acessíveis aos consumidores em geral, em poucos anos já estava produzindo além de sabões, outros artigos para higiene pessoal.

Sempre fiel nos dízimos, com o crescimento da empresa, mandou que seu contador abrisse o que chamou de "conta do Senhor", para onde deveriam ser destinados rigorosamente 10% de todo o faturamento da empresa. Conforme os negócios prosperavam, ele passou a creditar naquela "conta" 20% do faturamento, depois 30%, 40%, e, por fim, 50% dos lucros de sua empresa eram dedicados ao Senhor e à Sua Obra.

Instituições evangélicas – principalmente agências missionárias, além de universidades e seminários teológicos norte-americanos – foram grandemente beneficiadas pelo diácono William Colgate, como era conhecido. A prosperidade jamais abandonou, e ele era conhecido como um dos homens mais ricos de Nova Iorque no século 19.

Depois de sua morte, seus filhos, também cristãos fiéis, continuaram a ofertar liberalmente para a obra. Hoje, 200 anos depois, o empreendimento iniciado por ele, embora já não siga os mesmos princípios, continua a existir, e seu exemplo de vida tornou-se uma fonte inspiradora para cristãos de todo o mundo.

Saiba o que provoca a 'Síndrome do Delay', que pode atrasar a imagem da TV em até 15 segundos

Stockimage

A TV digital sofre da"Síndrome do Delay", que nada mais é que um atraso --que pode variar de cinco a quinze segundos-- na transmissão do áudio e do vídeo.

O jogo está bom, a seleção está ganhando. De repente, você escuta alguns vizinhos xingando o time adversário e outros gritando "gol". Por alguns segundos você se sente perdido já que na sua TV nada mudou.

No auge da Copa do Mundo essa situação nunca esteve tão evidente, e muita gente nem imagina por que alguns "privilegiados" assistem antes de outros "mortais" os lances mais emocionantes das partidas de futebol.

Isso ocorre porque a TV digital sofre da "Síndrome do Delay", que nada mais é que um atraso --que pode variar de cinco a quinze segundos-- na transmissão do áudio e do vídeo. E esse atraso acontece justamente para garantir uma melhor qualidade de imagem e de som, como se o telespectador estivesse dentro de um estádio de futebol.

Para saber como funcionam os diversos tipos transmissão de som e imagem, leia os tópicos abaixo e identifique qual é o tipo de transmissão mais adequado para você, que fica aflito para saber antes de todo mundo o que acontece na partida, ou mesmo que está simplesmente preocupado com uma melhor qualidade de som e de imagem.

Rádio

É o sistema que apresenta o menor delay até o destino final em relação à fonte geradora dos dados: cerca de 1 segundo de atraso. Isso ocorre porque o sinal do rádio (quando analógico) não precisa ser codificado, e chega mais rapidamente até o receptor. É por esse motivo que muitos fanáticos por futebol preferirem acompanhar o narrador de uma partida a partir de um radinho de pilha, mesmo com a TV ligada.

TV Analógica

Esse padrão foi adotado pelos Estados Unidos há pelo menos 50 anos. No Brasil ele é utilizado tanto pela TV aberta quanto pela TV por assinatura. Funciona assim: o sinal de televisão (imagem e som) sai da fonte geradora através de uma antena e vai até um satélite para ser distribuído até as programadoras. Esse sinal chega então em uma antena receptora (geralmente instalada no telhado do domicílio) e daí sim é exibido na telinha do telespectador. O atraso aqui é de cerca de dois segundos.

TV a Cabo Analógica

Com um delay que não chega a três segundos, é muito semelhante com o sistema analógico padrão da TV aberta. A diferença aqui é que na transmissão analógica através do cabo saem as antenas e entram os cabos (geralmente constituídos de um fio de cobre, revestido com material isolante e protegido por uma blindagem). Isso significa que a imagem e o som "viajam" da fonte geradora (estádio de futebol, estúdio de TV, teatro etc) através de cabos finíssimos até a casa do telespectador. Para assistir ao sinal dos canais a cabo é necessário assinar os serviços de uma operadora e pagar por isso.

TV a Cabo Digital

Neste sistema, o sinal sai da fonte geradora via cabo e invariavelmente precisa ser codificado, comprimido e transformado em formato digital, para depois continuar sua "viagem" até a casa do telespectador. Lá esse sinal precisa de um decodificador (aquelas caixinhas que são oferecidas pelas operadoras de TV por assinatura) e passam por uma transformação em sinal analógico (se for um televisor convencional) ou são exibidos diretamente na telinha quando o aparelho tiver um sintonizador de sinal digital interno. Esse processo de transformação do sinal é, portanto, o principal responsável pelo atraso da transmissão, mas as imagens chegam bem mais nítidas e o áudio com melhor definição. O atraso aqui pode chegar a cinco segundos em relação à fonte geradora.

TV Via Satélite

O sinal deste sistema é transmitido pelo ar e sai da fonte geradora numa viagem de ida e volta até o espaço. Essa longa jornada e, principalmente, a codificação do sinal para formato digital, são os principais motivos do atraso na transmissão, que pode variar de 13 a 15 segundos em relação à fonte geradora dos dados, mas somente quando o sinal final for digital. Quando for um sinal analógico via satélite, esse atraso não chega a três segundos.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Domingão do Faustão recebeu Aline Barros e Fernanda Brum

e)

ste domingo (27) foi um dia muito especial e marcante para a música gospel brasileira. Pela primeira vez o programa Domingão do Faustão, da TV Globo, um dos programas de auditório de maior importância da televisão brasileira, abriu espaço para a música gospel, recebendo ao vivo Aline Barros e Fernanda Brum, cantoras exclusivas da MK Music.

Já nos bastidores do programa, a cobertura foi completa. Aline e Fernanda gravaram vídeos e entrevistas para o site do programa na Globo.com e participaram de uma brincadeira onde uma teve que responder peguntas sobre a outra. Antes de entrarem no palco, o pai de Aline, Pr. Ronaldo Barros, fez uma oração com todos os presentes no camarim, entre eles o Pr. Gilmar Santos, marido de Aline, a presidente da MK, Yvelise de Oliveira, a Diretora Administrativa Cristina Xisto e a Diretora da Rádio 93 FM, Andreia Maier.

Aline Barros abriu o quadro, intitulado Encontro Musical, cantando a música 'Recomeçar', que fez parte da trilha sonora da novela Duas Caras, transmitida pela emissora em 2007 e 2008. Em seguida, Fernanda Brum cantou 'Cura-me'. A produção musical especialmente preparada para a atração foi do pastor e marido de Fernanda, Emerson Pinheiro, que estava no teclado.

Após as músicas, Faustão iniciou um bate-papo falando sobre a amizade das cantoras e sobre o preconceito que o gênero ainda sofre. Em resposta ao apresentador, Aline e Fernanda deixaram claro que a "música gospel é para todos, independente de religião. A mensagem do evangelho é transmitida através da música, que é o nosso meio de comunicação. Temos uma mensagem firme de vida, de paz, de família, de amor", explicaram.

Enquanto estavam no palco, a plateia do programa interagiu com perguntas. Aline Barros falou sobre o ministério infantil e Fernanda Brum contou que ao se converter aos 16 anos decidiu dedicar toda sua arte de música, teatro e harmonia somente a Deus. Faustão complementou dizendo que é necessário ter uma vida em função do que prega, viver a verdade. As cantoras explicaram também que a base para compor uma música gospel é a Bíblia. "Não existe censura, existe inspiração direcionada dentro de um assunto que é a Bíblia, que é enorme", completou Fernanda.

Para encerrar o momento musical, Fernanda e Aline cantaram a animada 'Tudo é Teu', agitando a plateia. Faustão agradeceu a presença das cantoras e disse que "agora que abrimos a porteira, vocês vêm todo domingo". A repercussão da participação de Fernanda e Aline na atração já era enorme e se confirmou também no Twitter, com o nome das cantoras entre os assuntos mais comentados no microblog mundialmente, nos chamados "Trending Topics".

Vários celebridades brasileiras também comentaram e elogiaram a participação das cantoras como Ivete Sangalo, Preta Gil, Léo Moura (jogador do Flamengo), Rivaldo (jogador de futebol, ex-seleção brasileira), Perlla, Carla Perez. Certamente, é um novo tempo para a música gospel brasileira.

A equipe de jornalismo da MK Music estava presente e fez vídeos exclusivos dos bastidores do programa, para assistir, clique aqui

Confira os vídeos da Globo.com:

- Aline e Fernanda antes de entrar no palco
- Trecho de 'Recomeçar'
- Faustão conversa com Aline e Fernanda
- Trecho de 'Tudo é Teu'
- Aline e Fernanda agradecem ao público após o programa

Fonte: Elnet

segunda-feira, 28 de junho de 2010

O que diz o pastor evangélico e líder espiritual de Marina Silva


Em entrevista a revista Época desta semana, Sóstenes Apolos da Silva (foto), pastor da Assembleia de Deus, a maior denominação evangélica do Brasil e líder religioso da candidata à Presidência pelo PV, Marina Silva, explica por que ela se opõe ao casamento gay e ao aborto. "A Bíblia considera errada a homossexualidade. E muito errada", afirma o pastor.

São quatro dezenas de ovelhas espalhadas pela sala. Marrons, brancas, pretas. De vidro, de acrílico, de pelúcia. "Essas dão muito menos trabalho do que as minhas ovelhas reais", diz o pastor evangélico Sóstenes Apolos da Silva, dono da coleção. Há 31 anos, ele é pastor da Assembleia de Deus, a maior denominação evangélica do Brasil, com 8,4 milhões de fiéis, segundo o último Censo. E é o líder religioso da candidata à Presidência pelo PV, Marina Silva. A igreja presidida pelo pastor Sóstenes em Brasília é a frequentada por Marina. Além de guiá-la espiritualmente, ele se engajou na campanha. Tem ajudado Marina a circular pelo meio evangélico. "O problema é que ela é pouco conhecida", diz o pastor. "Marina ainda é confundida com a Heloísa Helena (também dissidente do PT e candidata à Presidência pelo PSOL em 2006)." 

Marina é assídua na igreja. É fácil encontrá-la sentada na quinta ou sexta fileira de bancos do salão durante os cultos de domingo. Antes de ser evangélica da Assembleia de Deus, foi católica. Na juventude, estudou para tornar-se freira. Depois desistiu. Em nome de convicções religiosas, ela já disse ser contra o casamento gay (depois defendeu a união civil entre homossexuais, desde que não haja bênção religiosa), a legalização do aborto, o uso de células-tronco embrionárias em pesquisas e a descriminalização das drogas. Tudo em discordância com as ideias do estatuto do PV. Para o pastor, não há contradição porque Marina e o PV dividem a bandeira do meio ambiente, e ela mantém a postura cristã. Em meio à coleção de ovelhas, ele conversou com ÉPOCA

Pastor Sóstenes

QUEM É
É pastor evangélico da Assembleia de Deus há 31 anos. Tem 60 anos, é casado, tem três filhos e três netos 

O QUE FAZ
Preside a igreja da Assembleia de Deus no Plano Piloto de Brasília, frequentada por Marina Silva. É presidente da Convenção Evangélica da Assembleia de Deus do Distrito Federal

ÉPOCA – Como conheceu Marina Silva? 

Pastor Sóstenes Apolos da Silva – Alguém a convidou para um culto, em 2006. Ela já era convertida, batizada em outra Assembleia de Deus de Brasília. Pela projeção que tem, frequentar uma igreja pequena a deixava muito exposta. Aqui, na nossa igreja, fica absorvida em um grupo maior. Ela gosta de ser muito discreta. 

Ela é assediada nos cultos? 

As pessoas a procuram, e ela não se esquiva. Eu quis montar um esquema de segurança, mas ela não quis. Quer estar no meio do povo. Meu plano era colocá-la junto dos obreiros num lugar reservado, porque ela também é obreira. Vai que aparece um doido, né?! 

O que Marina deve fazer por ser obreira da Assembleia de Deus? 

Ela dá palestras de conteúdo bíblico, faz pregações. Há uns dois anos nós demos um curso para ela de noções de homilética, de interpretação bíblica. É um curso de fim de semana. Ela fez todas as aulas, os deveres de casa. Fazia perguntas para o professor. Como obreira, ela deve seguir a ética cristã, conhecer a Bíblia. E deve recolher o dízimo, como todo membro da igreja. 

O senhor pede orações por ela? 

Sim. Teve uma fase em que houve uma seca brava no Acre e não estava previsto chover num período de 30 dias. A mata estava incendiada, não se conseguia apagar o fogo. Ela expôs o problema, nós bancamos a causa, fomos orar, e Deus mandou chuva fora de todas as previsões. Ela sempre pede oração e orientação. Eu oriento no sentido de que todo cristão é um representante de Deus, seja qual for o trabalho. Um cristão deve evitar posturas indignas. 

Como o senhor vê o fato de Marina ser filiada a um partido favorável à legalização do aborto – posição contrária à da Assembleia de Deus? 
Pastor Sóstenes – Marina conseguiu que o estatuto do PV liberasse os membros a tomar posições sob o argumento da questão de consciência. Em uma votação, a pessoa está liberada para seguir sua consciência (na verdade, o PV permite que seus quadros se abstenham de votar quando há conflito de consciência). 

Em casos como o aborto, ela fala em fazer plebiscito. O senhor concorda? 

Penso que o Congresso é um público restrito, é perigoso dizer que ele representa o povo. E nossa postura como cristãos é convencer as pessoas daquilo que é certo, mas não obrigar. Se consultar o povo sobre o aborto e o povo quiser, Deus vai lamentar, mas o governante tem de respeitar. 

A senadora Marina Silva diz ser contrária ao casamento gay. Essa também é uma posição da Assembleia de Deus? 

Sim, é uma posição da Bíblia. Nós nos orientamos por ela. A Bíblia considera errada a homossexualidade. E muito errada. Chama isso de prática abominável aos olhos de Deus. Então nós temos de ser coerentes. Ou cremos na Bíblia ou não cremos. 

Alguns cristãos não vão ter dificuldade de entender a posição de Marina a favor da união civil entre homossexuais? Ela vai perder votos entre eles? 

Creio que sim. Muitas pessoas pouco esclarecidas vão deixar de votar nela por isso. Mas a postura dos outros candidatos é a mesma que a dela. 

O senhor foi a favor do lançamento do nome de Marina como candidata à Presidência pelo PV? 

Sim, havia questões discordantes, como em todo partido. Mas tem de se levar em conta que no Brasil estatuto de partido não vale nada, ideologia não existe. Então há duas coisas: primeiro, a bandeira do partido, do meio ambiente, coincide com a dela. Segundo, aquilo que é contrário aos princípios de Marina, ela se posicionou publicamente e conseguiu que o partido deixasse isso no âmbito de questões de consciência. 

A igreja dá orientação aos fiéis sobre como votar? 

Não dávamos, mas a partir deste ano vamos dar. Decidimos elaborar uma cartilha de orientação política. Ao escolher um candidato, o fiel deve considerar as posturas éticas dele, não vender o voto. São orientações para que o povo exerça a cidadania. 

Importa se o candidato é evangélico ou não? 

Se algum candidato se identifica como evangélico e vive como evangélico, deve ter nossa preferência. 

É verdade que a Assembleia de Deus resolveu não apoiar Marina? 

A Assembleia de Deus é segmentada. Tem um grupo grande, uns 30% da Assembleia de Deus, que já decidiu apoiar José Serra. 

Não é contraditório que a Assembleia recomende o voto em evangélicos e uma parte da igreja já tenha fechado o voto por José Serra, que não é evangélico? 

É uma contradição. Espero que nacionalmente não aconteça o apoio a outra pessoa que não seja a Marina, porque se acontecer é uma incoerência. Nós em Brasília não vamos cometer essa incoerência. Seja lá qual for a decisão que a comissão política nacional tome, aqui vamos apoiar Marina. 

O que motiva o apoio da Assembleia de Deus a Serra? 

Imagino que é a política do voto útil, de que não adianta votar em fulano porque fulano não vai ganhar. Acho isso uma pobreza de espírito. Prefiro crer que não há interesse político. 

Assembleia costuma dizer que as mulheres devem usar saia, manter o cabelo comprido. Marina diz que segue estilo próprio quanto a isso. A igreja faz alguma recomendação? 

Nossa igreja em particular tem uma postura mais liberal em usos e costumes. Não temos problema com mulher cortar o cabelo, se arrumar. 

Tem diminuído a pressão desse tipo de regra na Assembleia de Deus? 

Tem. É uma tendência nacional, uma questão de maturidade. Tem um texto bíblico que diz: "Não haja roupa de homem em mulher, nem roupa de mulher em homem". Mas o que determina se uma roupa é de homem ou de mulher é a sociedade, e não a Bíblia. 

Se Marina for eleita, ela vai ser a primeira mulher presidente do Brasil. Uma mulher em um cargo historicamente ocupado por homens desagrada aos cristãos da Assembleia de Deus? 

Muitas igrejas evangélicas e mesmo algumas Assembleias de Deus interpretam que as mulheres não podem ter função de liderança. Mas estamos amadurecendo, está caindo a ficha. A opressão da mulher é consequência do pecado. Mas o Senhor Jesus veio restaurar a mulher do pecado. Então por que a mulher tem de ser inferior ao homem?

Fonte: Revista Época

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Campanha contra a publicidade de bebidas alcoólicas em qualquer mídia

.


Um motorista bêbado apagou o sorriso de Zenani, a bisneta de 13 anos de Nelson Mandela.


João Cruzue

Três razões por que sou contra a propaganda de bebidas alcoólicas seja em que tipo de mídia for é muito fácil de explicar.

1 - O álcool é a droga "legal" que mais mata pessoas em acidentes de trânsito. Atrás da mensagem de companheirismo e mulheres seminuas sempre vem uma conta altíssima para pagar. Em 1997 a Princesa Diana morreu em um acidente de trânsito em Paris ,por causa de um motorista bêbado. Em 11 de junho passado, Zenani Mandela, 13 anos, bisneta de Nelson Mandela voltava da festa de abertura da Copa em Soweto, quando sofreu um acidente de carro.e faleceu O carro capotou várias vezes. O motorista também estáva bêbado. Quantos milhares de jovens anônimos não têm perdido a vida ou ficado com sequelas para o resto de suas vidas tendo como causa o àlcool?

2 - Mas o que o álcool tem a ver com essas mortes? Em princípio é uma droga lícita, mas os custos em perdas humanas é tão alto que não justifica a veiculação de propagandas de bebidas - a não ser para que aumente o número de vítimas. Como a bisneta de Nelson Mandela. Você vai querer que alguém da sua família seja a próxima vítima?

3 - Bebidas alcoólicas poluem o meio ambiente. Recentemente a Ambev Lançou uma campanha de ensino consciente da água. Pura hipocrisia. Como uma companhia que toma bilhões de litros de água pura da naturez e os transforma em bebidas alcoólicas totalmente poluidas tem algum crédito para ensinar ensino consciente da água. Foi isso que criticamos. Então no mês de maio, no dia do Meio Ambiente a mesma Ambev veio com outra campanha do tal projeto Cyam. Agora ela dizia que recuperava 15% da água que utilizava, e isso dava menos de 5 bilhões de litros recuperados. E os outros 85% que foram poluídos e vão acabar nos esgotos?

Propaganda de bebidas alcoólicas? Na minha opinião, assim como aconteceu com o cigarro, deve também ser banida de qualquer mídia brasileira. Isto sim é responsabilidade social e sustentabilidade familiar.

terça-feira, 22 de junho de 2010

A Incrivel Planta do Negev



Cientistas israelenses descobriram como uma planta que floresce no deserto e que utiliza suas grandes folhas verdes para irrigar-se a si mesma, sobrevive melhor que suas congêneres de regiões desérticas. A planta, conhecida localmente como ruibarbo do deserto, da família Rheum palaestinum, é comum nos desertos de Israel e da Jordânia, e tem a peculiaridade de, com as folhas, captar a água da chuva e conduzi-la às raízes.

De acordo com os cientistas  Simja Lev-Yadon, Gidi Neemán e Gadi Katzir, da Universidade de Haifa, esse tipo de ruibarbo pode absorver 16 vezes mais água que outras plantas de deserto. "Trata-se do primeiro caso, no mundo, de uma planta que irriga a si mesma. Não conhecemos outra que atue da mesma maneira", disse o botânico Gidi Neeman.O ruibarbo cresce em Israel nas montanhas do deserto do Negev, onde as chuvas são particularmente fracas, de 75 milímetros anuais.

Sabemos que Israel é uma terra especial. Ela representa o começo e o fim da história entre Deus e os homens. Por este motivo, é também chamado de "O Relógio da Humanidade". Os olhos do mundo, não podem esquecer de olhar para Israel e de perceber os sinais proféticos que surgem dali.  Quando o Negev floresce, e aparecem plantas como está por lá, traduzo em mensagens de Deus para mim. Faço meu próprio sermão. Desprovido de superstição. Regando a Palavra no solo do coração.

"Aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação" I Cor 1:21

Se os desertos de Israel florescem e brotam plantas espetaculares, motivo de espanto para a ciência, cá estou, alimentando a fé como Abraão. Ser crente, é assim, como a "ruibarbo do deserto": Brotou da sequidão, não raquítica ou cheia de espinhos. Mas impressionante! Captando água do céu com suas grandes folhas e transportando-a até a raiz.  Essa loucura da pregação, é misteriosa! É a genuína mensagem da cruz. Que da tristeza faz surgir gozo. Da fraqueza, força. 

A ruibarbo do deserto não me é estranha.

Por: Wilma Rejane

Fonte: Estadão

Fenômeno Em Escola do Ceará


Escola Nazaré Guerra, em Itatira.

A notícia me interessou porque está inserida em ambiente escolar. Sou professora de Ensino Religioso e sei a curiosidade que os alunos têm em relação a fenômenos sobrenaturais. Procuro adverti-los sobre os perigos de envolverem-se com invocação de espíritos e coisas do tipo, percebo que poucos recebem orientação espiritual na família. Com convicção, digo que apenas 5% de cada turma de 40 alunos que leciono, trazem conhecimento Bíblico de casa, estes ainda são motivo de chacota dos demais.

Existe uma preocupação muito atuante sobre orientação sexual e uso de preservativos, as cartilhas do governo incluem de crianças a adolescentes. A orientação é justa, é claro, mas se houvesse maior valorização da Educação Religiosa, com ênfase nos valores Bíblicos, por parte da família, com continuidade da Escola, nossos jovens, não iniciariam a vida sexual promíscua tão precocemente. Conseqüentemente, os desastres sociais diminuiriam.

Os Fenômenos na Escola de Itatira: No inicio de Junho, dezenas de jovens passaram mal em uma escola, no interior do Ceará, após uma suposta visão do espírito de um colega morto. Os alunos, de salas diferentes, entraram em transe e foram levados ao hospital. O padre Hélio Correia de Freitas, que também é parapsicólogo foi chamado pela direção da escola para acompanhar o caso que definiu de "histeria coletiva".Histeria Coletiva: Explosão de sentimentos, vontades reprimidas que é disparada em várias pessoas ao mesmo tempo.

E a psicologia o que diz? O psicólogo clínico Julio Peres, doutor em neurociências pela USP, diz que é preciso levar em conta a possibilidade de os jovens terem sofrido um problema ligado à sua espiritualidade, e não transtorno psiquiátrico. Em suma: O religioso acha que é psicológico e o psicólogo acha que é espiritual.

Sem medo de errar no diagnóstico digo que o caso é espiritual. Surto psicótico não causa alteração de voz. Reconhecer que o fenômeno é de ordem espiritual requer, além de discernimento, coragem por parte da escola já que isto poderia causar ainda mais prejuízos. As aulas na escola de Itatira foram paralisadas por 10 dias, reiniciando no último dia 14 com uma missa. Um psicológo também foi contratado para acompanhar os alunos. E o pastor? Não sei se será lembrado, Itatira fica na microregião do Canindé, predominantemente católica, com forte reverência a Padre Cícero. Que Deus ajude a escola e os jovens.


Por:Wilma Rejane

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Desmond Tutu: Copa é chance de aproximar brancos e negros


 Copa do Mundo apresenta uma oportunidade de aproximar negros e brancos na África do Sul, ainda distantes 16 anos depois do fim do apartheid. A afirmação é do arcebispo Desmond Tutu, 78, uma das figuras mais icônicas da luta contra o regime segregacionista. Arcebispo sul-africano que lutou contra o Apartheid afirma que o evento esportivo aplicou uma injeção de ânimo no continente

Em entrevista à Folha de São Paulo por e-mail, ele afirma que a chance de ouro não pode esconder os graves problemas de corrupção e o mau governo no país. "A transformação social está demorando demais", afirma o arcebispo, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1984. 

Visto por desafetos como desbocado e incontrolável, Tutu assumiu o papel de consciência moral da nação, que divide com Nelson Mandela. Suas opiniões desagradam a ex-aliados no Congresso Nacional Africano (CNA), o antigo movimento de libertação nacional, hoje partido firmemente instalado no Executivo e no Parlamento. 

Desmond Tutu foi um crítico severo da letargia do CNA ao tratar a epidemia de Aids na África do Sul. 

Nos anos 90, o arcebispo presidiu a Comissão de Verdade e Reconciliação, instrumento copiado em vários países na solução de conflitos, por meio da confissão de crimes em troca de anistia. 

"Sem esse processo, nosso país teria experimentado um conflito social inimaginável", afirma. 

No início do ano, Tutu surpreendeu mais uma vez ao aceitar ser cobaia de um experimento genético da Penn State University (EUA), em que seu DNA foi mapeado para traçar antepassados e procurar riscos de doenças. 

"Devemos rezar para que essas informações vitais sejam usadas para coisas boas, e não más", diz. 

Sua popularidade junto à massa sul-africana permanece intocável. Na festa de abertura da Copa, ele apareceu no palco com a camisa dos Bafana Bafana, a seleção nacional, e foi estrondosamente aplaudido. Agradeceu com pulinhos e gritinhos de felicidade, uma de suas marcas registradas. 

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista. 

A Copa do Mundo pode ajudar a melhorar as relações raciais na África do Sul? 

O torneio deu aos sul-africanos um espírito de unidade e nos lembra de que juntos somos uma força a ser reconhecida. Eu sempre me maravilhei com a linguagem universal do futebol, um esporte que não precisa de tradução.

Se conseguimos ficar unidos pela Copa do Mundo, conseguiremos ficar unidos em todos os desafios que encontrarmos. Não é preciso ter a mesma opinião sobre tudo, mas podemos discordar amigavelmente, respeitando a dignidade do outro. 

O futebol pode fazer as pessoas se sentirem sul-africanas em primeiro lugar, deixando a identidade racial em segundo plano? 

O esporte tem a habilidade de unir as pessoas, cortando barreiras de classe, raça e origem. Eu tenho dito que não é possível viver apenas do pão. Há coisas que levantam o espírito. Você precisa desses momentos na vida. Momentos que dão uma visão do que você pode ser.

A Copa do Mundo é um grande feito não apenas para a África do Sul mas também para todo o continente africano. Durante este mês, o foco do mundo estará aqui. Conquistar o direito de sediar a Copa não diz respeito apenas a futebol. Diz respeito a nós vencermos, nos deu uma injeção de ânimo.

Havia muitas dúvidas se estaríamos prontos e se seríamos capazes de sediar esse torneio. 

Por que ainda é tão difícil ver brancos e negros se misturando socialmente pelas ruas da África do Sul? 

Precisamos nos lembrar sempre de que somos feitos para sermos interdependentes, porque ninguém é inteiramente autossuficiente. Você só precisa ir aos estádios para ver o elemento mágico do futebol. Ele galvaniza negros e brancos de uma forma excitante.

Apenas duas semanas atrás, Soweto sediou uma partida de rúgbi [esporte mais popular entre os brancos] entre os Blue Bulls de Pretória e os Stormers da Cidade do Cabo. Foi um estrondoso sucesso, que viu negros e brancos misturando-se socialmente, comendo e bebendo juntos e se divertindo.

Para alguns brancos, era a primeira visita a Soweto sem se preocupar com a segurança. E sabe o quê? O céu não desabou, manteve-se firmemente no lugar. Estamos recebendo uma oportunidade maravilhosa. Nunca vi tantas pessoas mostrando nossa bandeira em seus carros e em todo lugar possível. 

Desde o fim do apartheid, a desigualdade de renda aumentou. A violência às vezes parece fora de controle. As mudanças sociais estão ocorrendo devagar demais? 

De um certo modo, a transformação social parece que está demorando demais. Temos problemas demais, não há questão quanto a isso. Mas você também deve notar que obtivemos nossa liberdade há apenas 16 anos, após décadas cruéis de apartheid.

Estamos falando da sistemática opressão de gerações, algo que compreensivelmente não pode ser revertido num curto período. Isso não significa tolerar corrupção, enriquecimento pessoal, clientelismo, más decisões quanto à Aids e a outros problemas que afligem nossa nação. A pobreza e o desemprego continuam a nos assombrar. 

No Brasil, chegou-se a discutir a formação de uma Comissão de Verdade e Reconciliação, para investigar o regime militar. Com base em sua experiência, o sr. diria que esse instrumento funciona? 

A comissão sul-africana é considerada um modelo inovador para construir paz e justiça. A força do processo esteve na participação pública. Uma característica importante foi a abertura, a transparência. As audiências públicas asseguraram que os sul-africanos ficassem sabendo das atrocidades cometidas durante os anos do apartheid.

A comissão foi confrontada por um número de desafios, uma vez que não foi aceita por todas as partes do conflito. Os altos escalões militares não cooperaram. Políticos importantes do antigo governo e líderes do aparato de segurança tampouco.

No caso dos movimentos de libertação [como o CNA], argumentaram que, dado que tinham conduzido uma "guerra justa", não precisariam pedir anistia, já que suas ações não constituíam graves violações de direitos humanos.

Foi preciso haver considerável convencimento para que eles participassem. A magnanimidade mostrada por algumas pessoas foi incrível. Recusaram a possibilidade de vingança e abraçaram o perdão e a reconciliação. Creio que, sem esse processo, nosso país teria experimentado um conflito social inimaginável. 

O sr. ganhou as manchetes recentemente, participando de um estudo do genoma por pesquisadores americanos. Por que fez isso e o que queria provar? 

Estou feliz pela oportunidade de ter participado do projeto de sequenciamento do genoma, uma vez que ele pode descobrir se alguém corre risco de alguma doença genética. Eu me lembro de uma coisa ridícula quando me deram o documento de identidade durante o regime do apartheid.

Minha nacionalidade era "indeterminada no momento", isso apesar do fato de que meus pais nasceram na África do Sul. O teste revelou que, embora eu tenha tido tuberculose e câncer, não havia doenças geneticamente comunicáveis. Isso me deu imenso alívio, e ainda mais para meus filhos.

Acredito que informações genéticas são importantes para companhias farmacêuticas na preparação de drogas. Devemos sempre rezar para que essas informações vitais sejam usadas para coisas boas, e não más.

Tutu defendeu política para combater a Aids 

No fim do apartheid, enquanto Mandela ainda era só uma foto de um homem antes da prisão, o arcebispo da Cidade do Cabo, Desmond Tutu, era a face visível do combate ao regime.

Nos anos 80, viajou o mundo defendendo as sanções econômicas que acabariam forçando o governo a negociar.

Após a saída de Mandela da prisão, em 1990, Tutu se firmou como uma espécie de consciência da nação. Engajou-se em causas como o respeito aos direitos humanos na África e a luta contra a pobreza.

Nos anos 90, usou seu prestígio pessoal para pedir uma política nacional de combate à Aids.

Nos anos seguintes, endureceu as críticas à cultura de clientelismo do CNA, o partido governista.

Fonte: Folha de São Paulo

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Igreja Assembleia de Deus vai comemorar 200 anos

.
João Cruzué

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus vai comemorar 200 anos de existência no Brasil. O Pastor Samuel Câmara e a Igreja Mãe vão comemorar 100. O Pastor José Wellington juntamente com a CGADB, os outros 100. Duzentos anos!

Ratinho ofende evangélicos e desafia Apóstolo Estevam Hernandes. Assista o vídeo



Na ultima sexta feira (28/05) em seu programa semanal no SBT, Carlos Massa, mais conhecido como “Ratinho”, ofendeu os evangélicos e desafiou o líder da Igreja Renascer em Cristo. Em um momento de seu programa, “Ratinho” afirmou que a igreja evangélica só “expulsa demônio de gente pobre” enquanto os ricos são “abençoados” e desafiou o apóstolo Estevam Hernandes há tirar o demônio dele, caso contrário, ele expulsará os do apóstolo.”Ratinho” afirmou ainda que o povo evangélico são uns “coitados” e que quer “cascalho” para expulsar os demônios.

Em resposta ao apresentador o Apóstolo Estevam disse para seus seguidores no twitter, que isso é sinal de que o apresentador acompanha os cultos da Igreja Renascer pela televisão: “sinal que ele ta assistindo”, disse ainda: ” lamentável esse ratinho precisa ter o minimo decência ,porque decadência ele conhece. Ele não respeita nem a mae dele eca audiência dele e pífia na tv fazendo baixaria…ridículo falar decrxoylsat demônio e falta de respeito a liberdade de culto eu vou fazer o que Jesus mandou. Deus julgara esse cara” finalizou

Carlos Massa respondeu aos protestos dos evangélicos via twitter: “Tem muita gente braba com o que eu falei. Opinião é opinião gente.”

Segundo os dados prévios do ibope a audiência do programa de Carlos Massa no SBT na tarde de sexta-feira foi péssimo, apenas 3,6 pontos ficando na quarta posição atrás do programa Brasil Urgente (Band) com 5,8 pontos. Em alguns momentos o programa do Ratinho caiu para quinta posição com 2,7 pontos (anti-pico), ficando atrás da Rede Gazeta.

Não é a primeira vez que Carlos Massa ofende os evangélicos, em março deste ano, o apresentador fez algumas brincadeiras de muito mau gosto sobre pastores evangélicos que possuem programas televisivos. Na ocasião, Massa disse que não sabia como os pastores fariam a partir de agora para abençoar os copos de água, que eles mandam colocar em cima dos televisores, já que, como as TVs de plasmas são finíssimas, não teria como colocar copos em cima dos aparelhos. Ratinho foi mais longe e, ainda em tom de brincadeira, disse que alguns pastores devem receber “espetadas na bunda” enquanto apresentam seus programas religiosos, porque eles ficam dando pulinhos diante das câmeras, enquanto vão falando e se exaltando, justificou o apresentador.

Assista o vídeo:

Sem os pontos mais polêmicos, Senado aprova Estatuto da Igualdade Racial


O Senado aprovou nesta quarta-feira o Estatuto da Igualdade Racial. Mais cedo, o texto já havia sido foi aprovado, por unanimidade, pela CCJ (Comissão de Constituição de Justiça) e passou sem alterações no plenário da Casa. Agora, segue para sanção presidencial.

O texto prevê garantias à igualdade racial na saúde e educação, no trabalho e no acesso à terra. Na área educacional, por exemplo, incorpora no currículo de formação de professores temas que incluam valores de respeito à pluralidade etnorracial e cultural da sociedade.

Os pontos que traziam alterações práticas e imediatas, no entanto, foram rejeitados ao longo dos dez anos de tramitação da proposta no Congresso. O relatório do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) suprimiu o trecho que tratava de reserva de vagas para negros em partidos políticos e o que estabelecia políticas específicas de saúde para a população negra.

Para o ministro Eloi Araújo (Igualdade Racial), o projeto servirá de base para que o Executivo implemente medidas afirmativas e para respaldar a defesa de ações que tramitam hoje no Supremo Tribunal Federal --de inconstitucionalidade das cotas para negros no ensino superior e da demarcação de terras dos quilombolas.

Uma das ações do governo federal, diz ele, poderá ser a criação de mecanismos que ampliem a presença de negros na administração pública.

Texto

Alvo de críticas de parte do movimento negro por ter esvaziado a proposta, Demóstenes Torres disse que preferia ter deixado a votação para depois das eleições, mas que houve pressão do senador Paulo Paim (PT-RS), autor da proposta, e do governo para aprovação, apesar do clima eleitoral.

Para Paim, o texto aprovado não é ideal, mas "um avanço e tem toda a simbologia para que na sociedade brasileira ninguém mais seja discriminado".

O deputado Edison Santos, ex-ministro da Secretaria Especial de Políticas para a Igualdade Racial, considerou que o preceitos da nova lei atendem às reivindicações da comunidade negra.

Fonte: Folha Online

terça-feira, 15 de junho de 2010

Marina Silva participa de debate no programa no 'Roda Viva'


 candidata do Partido Verde (PV) à presidência do Brasil, Marina Silva, que é evangélica, participou do programa "Roda Vida", da "TV Cultura", na noite desta segunda-feira. Entre outros assuntos, ela falou sobre educação, aborto, Deus, drogas e união de homossexuais.

Confira trechos do programa:

Ser oposição ou situação - Não vou fazer o discurso da oposição por oposição. Não trabalho com rótulos. Não estou à direita ou esquerda, mas em frente. Estamos vivendo o mundo dos paradoxos. É possível sermos capazes de ser sempre a favor do Brasil. O Serra é oposição, a Dilma é continuidade e eu quero ser sucessora. Vamos integrar conquistas, mas olhar os problemas. O Lula deu continuidade na política econômica do Fernando Henrique, mas não verbaliza. 

Aumento dos aposentados - Eu sancionaria os 7,7% e iria vetar o fator previdenciário. É necessário que o poder aquisito dos aposentados seja recuperado.

Despesas de campanha - Não colocamos o teto (R$ 90 milhões) pequeno, porque temos potencial enorme de mobilizar. Não chegamos nem perto da concorrência. O volume de gastos é grande, mas não queremos ideias faraónicas. Não queremos poucos contribuindo com muito. O critério da doação é da transparência. Não permitiremos qualquer possibilidade de caixa 2. Quem doar vai ser declarado. Não vamos receber da indústria bélica e nem de tabaco.

Congresso - A reforma política não sai do papel. Não deve ser fácil. Fizemos (PV) um opção programática. Ninguém consegue governar sozinho. É preciso ter maioria no Congresso. Temos que ter realinhamento histórico entre PT e PSDB. Eu gostaria muito de estabelecer esse diálogo. Precisamos acabar com os intermediários políticos e ter mediadores. Não tenho problema no diálogo com Serra e Dilma. Eles se colocaram como gerentes do Brasil. O Lula provou que é distribuindo que o país vai crescer e não sendo gerente. Apóio os meus companheiros do PT do Acre. No segundo turno, nós vamos discutir quando chegar. Quando digo que podemos nos encontrar lá é porque vou estar lá. Sei que é uma posição delicada, mas incondicionalmente vou apoiar os companheiros.

Educação - Tem que ser pensada como um direito. O Brasil precisa investir em tecnologia, educação e conhecimento. Tem que investir da educação infantil até a universidade com o foco no ensino fundamental e na profissionalização. Temos que criar centros de excelência e inovação. Temos que preparar os jovens para olharem o mundo em crise. 

Deus - Não me coloco como pessoa religiosa. Um dos grandes problemas de Jesus foi como pessoas religiosas. Sou pessoa de fé. Fui católica durante 37 anos, tenho muito respeito, mas sou evangélica. Respeito todas religiões. Não vejo problema ter presidente que faça suas orações. Os cristãos evangélicos, como cidadãos brasileiros, vão votar em quem quiserem. Como denominação, eu não tenho igreja me apoiando. Não vou transformar os púpitos em palanques. 

Aborto - Tenho posição contrária e defendo plebiscito para propostas que temos hoje e que não estão previstas em lei. É uma questão complexa. Não é religiosa. Envolve aspectos éticos e morais. Existe o consenso que é a falta de informação. 

Drogas - Quero um plebisicito para legalização das drogas e o uso da maconha. 

União de homossexuais - Todos os brasileiros são iguais. Existe injustiça quando as pessoas constituem uma vida junta e não pode ter um patrimônio. Sou contrária ao casamento. Não tenho atitude de discriminar. Não vou fazer curva para poder ganhar simpatia. Prefiro mostrar minha posição e as pessoas fazerem suas escolhas. A união civil de bens é justo.

Controle da mídia - O controle social nos meios de comunicação pode parecer censura. Não sei como controlar esse papel sem ferir liberdade de imprensa. Isso não é bom. Tenho posição contrária. Eu não tenho conhecimento com profundidade dessa proposta. Prefiro que democraticamente seja estabelecido meios para evitar abusos e acho que estamos fazendo isso. 

Desenvolvimento sustentável - No Brasil, o desafio é como em todos os países do mundo. Não temos um modelo. Se compararmos nossa economia, aqui nós reunimos as melhores possibilidades. Se continuar sujando nossa matriz energética com carvão não vamos alcançar nossos objetivos. É o investimento que vai desde os instrumentos econômicos até o investimento em tecnologia e informação. Ele não é uma categoria abstrata. 

Apagão de energia - Tivemos ameaça de apagão durante todo o tempo do governo Lula. A Agência de Energia está dando contribuição. O PAC não é um programa, mas uma junção de obras. Boa parte dos recursos hídricos estão na Amazônia, mas pouco é aproveitado.

Irã e Cuba - O diálogo com o Irã não pode ser condenado. Não se pode fazer crítica linear à Revolução Cubana. 

Banco Central - Defendo autonomia do BC, mas não é necessário institucionalizar. É a permanência do modelo atual. Vou qualificar a questão do controle da meta da inflação. Pode continuar com o câmbio flutuante.

Fonte: SRZD

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Frases muito especiais


Believe

Frases traduzidas por João Cruzué
traducidas también al español

"Fé é pisar no primeiro degrau, mesmo que você não veja a escada inteira." Martin Luther King Jr.


"A igreja não é um mero termômetro que registra as idéias e princípios da opinião popular; ela é o termostato que transforma os usos e costumes da sociedade." Martin Luther King Jr.


"O ódio paralisa a vida, o amor a liberta; o ódio confunde a vida, o amor a harmoniza; ódio escurece a vida, o amor a ilumina." Martin Luther King Jr.


"No final, nós não nos lembraremos das palavras de nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos. Martin Luther King Jr.


"É bem verdade que a lei não pode fazer um homem amar-me, mas ela pode impedi-lo de linchar-me, e eu penso que isto é muito importante." Martin Luther King Jr.


"Nossas vidas começam a perder o sentido no dia em que ficarmos calados diante de coisas que importam." Martin Luther King Jr.


"A segregação é um adultério de um cópula ilícita entre a injustiça e a imoralidade." Martin Luther King Jr.


"Ou aprendemos a viver juntos como irmãos ou vamos perecer juntos como tolos." Martin Luther King Jr.


"Quando você está certo não pode ser tão radical; quando você está errado, não pode ser conservador demais." Martin Luther King Jr.


"Uma injustiça em algum lugar é uma ameaça à justiça em todo lugar." Martin Luther King Jr.


"Deixo para apreciação de vocês: se um homem ainda não descobriu a causa pela qual morrerá, ele não está preparado para viver." Martin Luther King Jr.


Nunca abaixe sua cabeça. Mantenha-a alta, e olhe o mundo direto nos olhos. Ellen Keller.


"As pessoas não gostam de pensar. Quando alguém pensa, vai chegar à conclusões. E as conclusões nem sempre são agradáveis." Helen Keller.


"As melhores e as mais belas coisas do mundo não podem ser vistas nem tocadas. Elas devem ser sentidas dentro do coração". Helen Keller.


"Nós nunca poderíamos ser valentes e pacientes, se houvesse somente alegria neste mundo". Helen Keller.


"O mais alto resultado da educação é a tolerância". Helen Keller


"Quando nós fazemos o melhor que podemos, nunca sabemos qual milagre é forjado em nossa vida ou na vida dos outros." Helen Keller.


"A imaginação é mais importante que o conhecimento." Albert Einstein.


"A lei da gravidade não pode explicar o porquê das pessoas se apaixonarem. Quem em sã consciência nesta terra pode "te" explicar, em termos de química ou física, um fenômeno biológico tão importante quanto o primeiro amor? Coloque a mão na chama de um fogão por um minuto, e parece que foi uma hora. Sente-se junto daquela garota especial por uma hora, e vai parecer que foi só um minuto. Isto é relatividade."
Albert Einstein.


"Somente duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana, e não estou certo a respeito do passado." Albert Einstein.


"As leis sozinhas não garantem a liberdade de expressão, a fim de que cada homem possa apresentar suas opiniões sem constrangimento deve existir espírito de tolerância entre toda população." Albert Einstein.


"Uma mulher é como um envelope de chá, você nunca vai saber quão forte ela é antes de colocá-la em água quente" Eleanor Roosevelt.


"Grandes mentes discutem idéias; mentes medianas discutem eventos; mentes pequenas discutem pessoas." Eleanor Roosevelt.


"Pessoas jovens e belas são acidentes da natureza, mas pessoas velhas e belas são obras de arte." Eleanor Roosevelt.


"O único limite para nossas realizações de amanhã serão nossas dúvidas de hoje." Franklin D. Roosevelt.


"As repetições não transformam uma mentira em uma verdade." Franklin D. Roosevelt.


"Nem sempre podemos construir o futuro para nossa juventude, mas podemos edificar nossa juventude para o futuro" Franklin D. Roosevelt.


"Um amigo é alguém que diante dele eu posso pensar alto." Ralph Waldo Emerson.


"Um herói não é mais bravo que um homem comum, a diferença é que sua bravura dura cinco minutos a mais." Ralph Waldo Emerson.


"Todas as coisas que vejo ensinam-me a crer no Criador, por todas as outras coisas que não vi." Ralph Waldo Emerson.


"O caráter é mais elevado que o intelecto... Uma grande alma estará forte para viver, tanto quanto para pensar." Ralph Waldo Emerson.


Se eu perco a confiança em mim mesmo, tenho universo inteiro contra mim." Ralph Waldo Emerson.


"Se você quiser ganhar um homem para sua causa, primeiro terá que convencê-lo de que você é seu amigo sincero". Abraham Lincoln


"Quase todos os homens suportam a adversidade, mas se você quiser testar o caráter de um homem, dê-lhe o poder." Abraham Lincoln.


Tradução de João Cruzué
para o Blog Olhar Cristão.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Igreja Ortodoxa Russa quer acabar com 'monopólio do darwinismo' nas escolas

A Igreja Ortodoxa Russa fez um apelo para que termine o "monopólio do darwinismo" nas escolas russas, afirmando que explicações religiosas da criação devem ser ensinadas ao lado da evolução. Liberais disseram que combaterão qualquer esforço para incluir ensinamentos religiosos nas escolas.

A Igreja dominante da Rússia tem experimentado um novo florescimento nos últimos anos, o que preocupa grupos de defesa dos direitos humanos, que dizem que o poder crescente da instituição está minando as bases seculares da Constituição.

"Chegou a hora do monopólio do darwinismo e da ideia enganosa de que a ciência em geral contradiz a religião. Essas ideias devem ser relegadas ao passado", disse o arcebispo Hilarion, durante palestra em Moscou.

"A teoria de Darwin continua a ser uma teoria. Isso significa que ela deve ser ensinada às crianças como uma de várias teorias, mas as crianças devem conhecer outras teorias também". Especialistas afirmam, no entanto, que o conceito científico de "teoria" é diferente da acepção popular da palavra.

Em ciência, uma "teoria" é uma ideia apoiada por uma grande quantidade de dados e observações, e que permite explicar vários fenômenos da natureza.

A teoria da evolução de Charles Darwin já causou divisões na sociedade nos Estados Unidos, onde grupos protestantes promovem o criacionismo, a ideia de que Deus fez o mundo de acordo com o relato bíblico, ou o "design inteligente", a tese de que a vida é complicada demais para ter emergido por processos naturais.

O Estado ateu soviético desmoronou em 1991, e desde então a Igreja Ortodoxa vem ganhando influência. Recentemente, o presidente Dmitry Medvedev declarou o dia 28 de julho feriado nacional, em celebração da fundação da Igreja Russa, com o batismo cristão do príncipe Vladimir, em 988.

A dissidente Lyudmila Alexeyeva disse que os liberais russos combaterão qualquer tentativa de introduzir religião nas escolas, principalmente nas aulas de ciências. "Nós derrotamos o comunismo como ideologia do Estado, e agora certas forças querem substituí-lo com o Cristianismo Ortodoxo".

Fonte: Estadão

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Presidente Lula: “Antes das eleições, todo evangélico é bom...”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na segunda-feira, 7, que o sucesso internacional de empresas e setores econômicos brasileiros se deve ao empenho de seu governo em defender os interesses do país no exterior. Ele também acusou governos passados de não fazerem o mesmo.

"[O Brasil] está dando certo porque eu não tenho vergonha de chegar em qualquer país do mundo e defender o algodão brasileiro, defender a cana e o álcool brasileiro, defender a soja, o milho e o empresário brasileiro.

Não tenho nenhuma vergonha, muito menos demérito. Sinto orgulho de defender as coisas que esse país faz", disse Lula, durante anúncio do Plano Safra 2010/2011, na sede da Embrapa, em Brasília.

Lula disse que foi o governante que mais tratou com respeito os produtores de álcool e criticou governos políticos que só se aproximam dos usineiros com interesses eleitorais.

"Neste país, por interesses eminentemente políticos, tinha governante que tinha vergonha de usineiro. Não tinha vergonha possivelmente de pedir dinheiro para campanha, mas tinha vergonha depois de dizer que era amigo de usineiro."

O presidente também criticou políticos que se aproximam dos evangélicos apenas em época de eleições e disse que não tem "duas caras."

"Tem político que tem vergonha de evangélico. Antes das eleições,todo evangélico é bom. Depois das eleições, se puder não recebe porque significa atraso. Comigo não tem essa história."

"Não é possível governar um País desse tamanho com duas caras. Ou você se mostra e faz as coisas do jeito que têm que ser feitas, ou o Brasil não poderia dar certo. E todos nós somos testemunhas de que o Brasil está dando certo", afirmou.

O presidente disse "não ter vergonha" de defender "em qualquer país do mundo" os produtos nacionais, o empresariado brasileiro. "Não tenho vergonha nem demérito nenhum. Sinto orgulho de defender as coisas que esse País faz", afirmou.

Fonte: Folha Online, Terra e Ogalileu

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Conselhos cristãos para investir na própria saúde

.

Keep Walking


"E percorria as cidades e as aldeias,

ensinando, e caminhando para Jerusalém." Lucas 13:22



João Cruzué

Imagine que você compre um carro novinho, coloque combustível nele e depois o deixe parado na garagem por cinco anos. Também imagine deixar um veículo usado, de meia vida, parado sem nem mesmo ligar por dez anos. E depois desse tempo você vai, liga o carro, para fazer uma viagem de 1.000 km. Você teria coragem de levar sua família com você nesta viagem?

Bem, e se em lugar do carro, o seu corpo fosse tratado do mesmo jeito?

Ontem, minha esposa e eu estávamos assistindo o filme Jeca Tatu, do Mazzaropi. Uma coisa chamou minha atenção. Dezenas de personagens e coadjuvantes eram super magros e somente uns dois ou três mais "fortinhos", além de rir bastante, pois o assunto tratado no filme era a cultura (corrupta) eleitoral e o coronelismo dos anos 60.

Nunca antes da história deste país (rsss...) se andou tanto de automóvel e tão pouco a pé. Seria capaz de dizer que: a cada dois anos que você deixa de caminhar para usar APENAS o carro vai ganhar 10 kg de sobrepeso. Seis anos, lhe darão 30 kg. Posso ter exagerado nos números, mas com certeza o sobrepeso vem.

Sou uma pessoa que tem problemas com a balança. E na origem, lá nos anos 80 - o carro teve muito a ver. Entretanto, já faz alguns anos que desprezei o carro e tenho praticado boas caminhadas. Por exemplo, saio para o trabalho uma hora mais cedo, para descer três km antes do destino para praticar uma meia hora de caminhada. São 10 minutos para cada km, se você andar mais depressa.

Minha pressão arterial pontuava na casa dos 14, 15... Baixou para 12:8. Meu colesterol não sai mais da casa dos 160. E a glicose, está abaixo de 100. Devo isso a minhas caminhadas e abandono do uso excessivo do carro.

Nos tempos (11 anos) que passei por desemprego e sérios problemas financeiros, eu costumava sair para caminhar e praticar a oração. Orar caminhando é um exercício completo: você cuida dos aspectos físico, emocional e espiritual ao mesmo tempo. A depressão, por falta (ou não) de serotonina, pode ser atenuada pela oração. E a endorfina produzida pelo exercício físico melhora nosso humor e produz uma sensação de alegria.

Se você está há muito tempo sem praticar exercícios, comece caminhando uns 100 metros. Depois de umas três caminhadas, aumente para 200 metros. Progressivamente, sem forçar. Re-eduque-se. Tenho certeza que esses pequenos investimentos em caminhadas regulares, umas três vezes por semana, vai lhe trazer inúmeros benefícios, além de lhe dar um momento muito apropriado para melhorar sua comunhão com Deus.

E para terminar, lembre-se que Jesus caminhava muito, na sua época não tinha fast-foods, nem alimentos industrializados, nem sal refinado e automóveis! Quatro coisas que podem contribuir para tirar a saúde de qualquer pessoa.

fonte: site olhar Cristão.

Carta de renúncia do Pastor Antonio Silva Santana, 1º Tesoureiro CGADB

Foto: Pr. Adão Santana

REDE BETEL - WWW.TVBETEL.NING.COM


Compilada por João Cruzué/Blog Olhar Cristão
(proibida a cópia)


"CARTA DE RENÚNCIA DA PRIMEIRA TESOURARIA DA MESA DIRETORA DA CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL."


À MESA DIRETORA:


Considerando que fui eleito como Primeiro Tesoureiro da mesa diretora da CGADB, em 24 de abril de 2009, por ocasião da 39ª Convenção das Assembleias de Deus no Brasil, realizada em Serra/ES;

Considerando que só tomei posse em 29 de julho de 2009, e não sendo me entregue os documentos fiscais, contábeis e bancários, e principalmente, relatórios da situação financeira, fiscal e contábil da CGADB até a posse;

Considerando que só a partir desta data é que fui tomando ciência da real situação fiscal e financeira da CGADB (Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil), encontrando saldo devedor no Banco Bradesco Agência 026 da Avenida 1º de Março, Conta Corrente 015.800-0 e muitos cheques emitidos pelo Tesoureiro anterior, que foram devolvidos de todas as contas correntes pertencentes à entidade;

Considerando ter encontrado a Tesouraria sem nenhum funcionário, os computadores bloqueados;

Considerando que ao longo deste período foi impossível de desenvolver o trabalho a mim confiado por 6.326 companheiros de ministério, que me outorgaram o mandato de primeiro Tesoureiro desta entidade;

Considerando que a cada dia fica impossível o levantamento de toda documentação contábil, fiscal e bancária, uma vez que não foi atendida a solicitação do Conselho Fiscal da CGADB lavrado em 12 de março de 2010 solicitando uma auditoria nas contas do mandato anterior a 2009;

Considerando o relatório da comissão especial lavrado em 25 de maio de 2010 contestado por mim, discordando do presidente desta comissão especial dos termos aludidos ao presente relatório onde está epigrafado que a tesouraria não apresentou relatório das receitas aferidas em janeiro de 2007 a dezembro de 2009;

Que não foram encaminhados os comprovantes efetuados em igual período;

Que não teve como efetuar as conciliações bancárias por falto dos extratos das respectivas contas desta entidade;

Que soube pelo então contador, Pr. Josuel Batista Ferreira, que a dívida fiscal [INSS] estava em processo de parcelamento junto à Receita Federal do Brasil, porém sem nenhum comprovante ou protocolo do mesmo;

Que toda documentação comprobatória das receitas e pagamentos dos anos anteriores até abril de 2009 como elencado no relatório, encontra-se sob a guarda do secretário adjunto, Pr. Cyro Melo e que no período subseqüente de abril a dezembro de 2009 por ordem do assessor da Presidência desta entidade, Pr. Antonio Ferreira, sendo recomendado pelo Pr. Cyro Melo que está com a documentação, que só poderia ser liberada ao contador com sua devida autorização e que até o presente momento não tenho conhecimento onde se encontram tais documentos, relatórios, balanços, etc.;

Que não assinei a confissão de dívida celebrada entre esta entidade [CGADB] e a US TRAVEL OPERADORA DE TURISMO LTDA. inscrita no CNPJ 06.314.936/0001-73 no valor de R$3.300.000,00 pagas em três parcelas, sendo a primeira parcela por transferência eletrônica nº 016524 e 0165928 em 23 de junho de 2009, e a segunda parcela por transferência eletrônica nº 0631213 em 23 de julho de 2009, e a última parcela por determinação exclusiva do presidente, não tenho informação se foi ou não paga;

Considerando que no relatório da comissão especial onde se apurou não ser necessária e completamente sem sentido a exigência de uma auditoria nas contas da entidade requeridas pelo Conselho Fiscal da mesma, e com parecer pela rejeição das mesmas, e por achar tremendas irregularidades;

Considerando o não entrosamento do sistema de informática da entidade principalmente na tesouraria, impossibilitando o bom desempenho deste tesoureiro;

Considerando ainda o aparecimento de inúmeros cheques emitidos pela CGADB , onde não constavam locais e datas de emissão, porém pré-datados, inclusive com vencimentos previstos para abril de 2010, com valores extremamente elevados, não tendo conhecimento das respectivas notas fiscais emitidos em nome da Convenção, pelos serviços prestados, e quem foram os beneficiários;

Considerando que diante de todos estes entraves torna-se impossível a reorganização das documentações pertinentes à tesouraria para que com maior profundidade se tenha uma real clareza da efetiva situação;

Considerando que o alto endividamento e os procedimentos não muito transparentes das contas a pagar, sem uma devida autorização expressa pelo tesoureiro, e a grande dificuldade por não ter contas liberadas junto aos bancos uma vez que até às mesmas contém restrição bancárias junto ao BACEN;

Venho em caráter irrevogável e irretratável RENUNCIAR ao cargo de Primeiro Tesoureiro da mesa diretora da CGADB – Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, a partir desta data.

Ciente de que com este meu gesto, posso de consciência tranqüila continuar o trabalho que há muito tempo venho desenvolvendo na presidência da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Ribeirão Preto/SP, e poder junto com aqueles que a mim confiaram este tão elevado posto, estar certos de que me dediquei ao máximo para ver nossa CGADB diferente e com outra postura, principalmente no aspecto administrativo, o que infelizmente não consegui.

Agradeço a Deus, a minha família, ao ministério, e a todos que sempre depositou[depositaram] em mim plena e total confiança, e neste momento de uma decisão tão difícil se solidarizam comigo.

Abraço fraterno em Cristo.


Rio de Janeiro, 31 de maio de 2010.


a: Antonio Silva Santana

Firma reconhecida no 2º Cartório

Protocolo de Recebimento na Secretaria Geral da CGADB em 31 de maio de 2010

Fonte: rodriggss@hotmail.com



Comentário: O princípio da transparência agora é Lei (EC 131) para todos os órgãos públicos. Como evangélico, assembleiano e servidor público de Tribunal de Contas, esperava que este princípio fosse padrão nas ADs. A julgar pela carta do ex-tesoureiro, em matéria de transparência financeira, a Administração Pública está servindo de padrão para a Igreja. Não deveria ser o contrário? (João Cruzué)

Pastora, Caroline Celico, mulher de Kaká, prepara CD e DVD de música gospel

Caroline Celico, 22, mulher do craque da seleção brasileira Kaká, finalizou o seu primeiro CD, que terá nove regravações de músicas gospel. "Estou também fazendo um DVD, mas ainda é surpresa", afirma ela, que há cerca de um ano virou pastora da igreja evangélica Renascer. A informação é da coluna Mônica Bergamo, publicada na Folha de São Paulo deste domingo.

Na quarta-feira, enquanto o craque Kaká chutava a bola pela primeira vez na África, no penúltimo amistoso antes da Copa, a mulher dele, Caroline Celico, 22, entrava em estúdio em São Paulo para finalizar seu primeiro -e talvez único- CD. "Estou também fazendo um DVD. Mas ainda é surpresa."

São nove regravações de músicas gospel, duas de sua própria lavra (uma para o filho, Luca, 2, e outra que gravou com Claudia Leitte) e -surpresa!- uma carta que Kaká escreveu para ela e que musicou para a cerimônia do casamento deles, em 2005.

"Eu busquei você no altar de Deus/Recebi você das mãos de Deus/Eu busquei você no altar de Deus/Mais do que sonhei venho de Deus", diz a letra de Kaká.

Na semana passada, a mulher do craque se encontrou com a repórter Lígia Mesquita num café em São Paulo para uma conversa rara (ela quase nunca atende jornalistas e prefere responder a perguntas por e-mail). Chegou ao encontro dirigindo um jipe Toyota, calçando sapatilhas Chanel que trocou por saltos Louboutin antes de desembarcar. Tomou apenas café com leite.

Responde a uma das perguntas, sobre a lesão de Kaká, com outra: "Você quer mesmo que eu fale sobre isso?". "A maioria dos atletas tem lesões o tempo todo. Ele se tratava de manhã, de tarde e de noite." Sem reclamar. "Uma coisa que admiro no Kaká é a responsabilidade, o quanto ele mostra pra mim e pra família que está bem, que vai superar. Muitas vezes já vi ele entrar em campo com 40 graus de febre. Ele tá gripado, com dor, e joga. Tenta o máximo que pode."

"Falamos todos os dias por telefone, eu mando vídeos do Luca pra ele. Esta é a terceira Copa em que acompanho o Kaká. Em 2002, estávamos começando a namorar. Em 2006, na Alemanha, ia direto, porque morava em Milão, era ponte aérea. Pra África, é mais complicado."

Caroline diz que "apagou" da memória quase tudo o que aconteceu na Alemanha, quando o Brasil foi derrotado nas quartas de final pela França. "Eu estava lá [na partida], com meus sogros, meus pais, meu irmão. Quando começou o jogo, eu já comecei a chorar. Eu olhava pra minha sogra e dizia: "Acho que não vai dar, vamos perder. E o Kaká?". É muito triste ir pra lá e perder."

Neste ano, se o Brasil for para a final, "e, se Deus quiser, vai", ela pensa em viajar à África para acompanhar o jogo. "Assisto a todos", diz Caroline. "Nos pênaltis, tenho aflição e viro pro outro lado. Só dou uma olhada quando a bola entrou."

Em março, o então técnico do Real Madrid, Manuel Pellegrini, tirou Kaká de campo no meio de um jogo da Copa dos Campeões. Ela não aguentou. Publicou um protesto no Twitter em que o chefe do marido era chamado de "covarde". "Encaminhei uma mensagem de outra pessoa e na mesma hora pensei em tirar. Foi sem querer. Foi um momento de uma esposa, torcedora, ao ver o marido sair num jogo tão importante. É difícil pra qualquer um."

Em março, o então técnico do Real Madrid, Manuel Pellegrini, tirou Kaká de campo no meio de um jogo da Copa dos Campeões. Ela não aguentou. Publicou um protesto no Twitter em que o chefe do marido era chamado de "covarde". "Encaminhei uma mensagem de outra pessoa e na mesma hora pensei em tirar. Foi sem querer. Foi um momento de uma esposa, torcedora, ao ver o marido sair num jogo tão importante. É difícil pra qualquer um."

Sempre frequentou a igreja com a mãe, católica fervorosa. Já namorando Kaká, entrou para a igreja Renascer, evangélica, que ele segue. Foi um desgosto para a mãe. "Ela gostaria que eu continuasse no caminho que tinha me ensinado. Mas essa história de que teve uma rixa entre nós não é verdadeira."

"Desde pequena, eu achava lindo em filme quando as famílias davam as mãos, aquela coisa do "Thanksgiving" [Dia de Ação de Graças], e agradeciam nas suas palavras a Deus." Ainda acha "lindo" e, por isso, Caroline e Kaká sempre oram antes das refeições.

"Você vai querer falar sobre isso mesmo?" pergunta mais uma vez. O assunto é a prisão da bispa Sônia e do apóstolo Estevam Hernandes, líderes da Renascer, detidos nos EUA há três anos com dólares na Bíblia. "Faz tanto tempo... nem lembro."

"A primeira igreja evangélica que eu frequentei foi a Renascer. E sou muito grata por tudo o que [Sônia e Estevam] já me mostraram e ensinaram, de acordo com a Bíblia. Mas eles são os líderes da igreja, e não da minha vida. Quem lidera minha vida é Deus e o que leio na Bíblia."

Há cerca de um ano, ela foi "consagrada" ou "separada" para ser pastora "dentro do reino de Deus". Montou um grupo semanal de estudos da Bíblia em Madri, onde vive hoje. "Não é para abrir igreja", diz. "As pessoas podem não entender [o que é uma pastora]. Uns acham que é ridículo, outros acreditam em lavagem cerebral ou que [os pastores] pedem dinheiro. Prefiro que falem que eu sirvo a Deus. Pastora, freira... cada um dá um nome. Sou uma serva."

É ela quem cuida da rotina doméstica. "Não posso cobrar do Kaká coisas que outra esposa cobraria do marido. Ele tem desgaste físico. Não posso querer que, de madrugada, levante e troque fralda. Estou acostumada a poupá-lo para que ele descanse e o corpo esteja bem."

Quando morava em Milão, na época em que Kaká jogava no Milan, chegou a trabalhar "com eventos" e a organizar um casamento em parceria com a cenógrafa Chris Ayrosa. Em Madri, leva o filho para parquinhos, cuida da casa e faz "um pouco de ginástica". Quer fazer um curso de sommelier. "Não sei beber vinho, mas acho uma cultura linda." O casal "adora" sair com os amigos "para jantar e ir a shows", como o de Alicia Keys.

A ideia do CD surgiu em meio a orações. "Minha sogra, Simone, fazia uma reunião com mulheres em Milão. A gente lia a Bíblia e orava. Começamos a colocar louvor, a cantar. Partiu daí a vontade de fazer o CD." Mas Caroline, que, além de piano, arranha o violão e fez aulas de canto antes de gravar, diz que não pretende seguir carreira. "Estou fazendo esse CD para dar de presente. Não vou vender. Vou colocar num site e as pessoas poderão baixar todas as músicas."