terça-feira, 25 de maio de 2010

Lutero e a Reforma - 25 de maio 2010 - aniversário do Édito de Worms

Blog Olhar Cristão 

Um compromisso com a inteligência de seus leitores.


Joseph Fiennes - no papel principal de Luther.

João Cruzué

Hoje, 25 de maio de 2010, é a data do 439º aniversário da publicação do Decreto de Worms . O desfecho da decisão do Imperador Carlos V e do núncio papal Girolamo Aleander, depois da conclusão da Dieta de Worms, em 19 de abril de 1521. Data em que Lutero declarou publicamente, diante do Imperador, da nobreza germânica e do representante do Papa Leão X, que não renegaria seus escritos nem revogaria suas teses. Por causa disso, em 25 de maio de 1571, um mês depois, Lutero foi declarado herege e sua cabeça foi posta a prêmio pelo Édito de Worms .


ÉDITO DE WORMS
Tradução de João Cruzué.

"Por esta razão, proibimos que toda e qualquer pessoa, de agora em diante, ouse por palavras ou obras, receber, defender, abrigar ou favorecer o dito Martinho Lutero.

Pelo contrário, nós o queremos capturado e punido como merece um notório herege, que deve ser trazido diante de nós ou ser mantido em segurança até que os que o prederem nos informem, para que ordenemos a maneira apropriada de como proceder com o esse Lutero.

Aqueles que ajudarem na sua captura serão generosamente recompesados pelos bons ofícios."



As ilustrações abaixo são algumas imagens clicadas do Filme "Luther"


Lutero foi convocado pelo Imperador para ir a Worms e renegar as 95 teses que publicou contra as práticas abusivas e anti-bíblicas da Igreja Romana.


O núncio Papal Girolamo Aleander e o Imperador Carlos V


Príncipe Frederico da Saxônia, Tio de Carlos V e protetor de Lutero

O mentor espiritual de Lutero era Johann von Staupitz,

O embate entre Aleander e Lutero - no ápice do filme.


Lutero, você renega seus livros e as heresias que eles contêm?


"A menos que me convençam mediante o testemunho das Escrituras e claros argumentos da razão, porque não acredito em Papas nem em concílios, já que está provado que por tantas vezes se contradizem, pelos textos da Sagrada Escritura que já citei. Minha consciência permanece cativa à Palavra de Deus - renegar, eu não posso!



Por isto, não posso nem quero renegar nada, porque ir contra a própria consciência não é seguro nem saudável."



E assim, o imperador Carlos V da Alemanha, se retirou irado e envergonhado diante do clero e da nobreza alemã. Um mês depois redigiu e mandou publicar o Édito de Worms, em 25 de maio de 1571, declarando Martinho Lutero fugitivo e herege, banindo suas obras da Alemanha. O estopim da Reforma estava armado. É a História.


Veja o magnífico trailer no YouTube

Nenhum comentário: