terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Google começa a consertar falhas de privacidade do Buzz

Empresa desligou seguimento automático e deve lançar versão independente do serviço

Do R7

ReproduçãoFoto por Reprodução
Google já consertou algumas brechas de privacidade, desativou 
seguimento automático e deve lançar versão independente do Buzz

O Google está trabalhando a todo vapor para neutralizar a reação dos internautas contra a falta de privacidade. 

Durante o fim de semana, a empresa fez vários ajustes no serviço de rede social. 

A empresa diz que desligou um recurso de "seguimento automático" - agora, os usuários terão que aprovar manualmente as pessoas que seguem. 

Antes, o Google determinou automaticamente os seguidores baseado nas pessoas que os usuários do Buzz mais contataram pelo Gmail. 

Defensores da privacidade fizeram críticas pesadas porque informações privadas foram tornadas públicas nos perfis dos usuários. 
O Google ouviu as críticas e reagiu rápido.
 
- Ouvimos suas reclamações em alto e bom som e pedimos desculpas pela preocupação que causamos. 

A empresa diz que "milhões" de pessoas já estão usando o Buzz. Resta saber se as mudanças serão suficientes para convencer os usuários de que o serviço agora leva a privacidade delas em conta.
Embora o Google esteja tomando medidas para consertar brechas de privacidade, a empresa não vai separar o Gmail do Buzz, como sugeriu na semana passada. 

Um porta-voz da empresa disse ao jornal inglês Guardian, nesta terça-feira (16) que a empresa pode oferecer uma versão independente do Buzz, além da que já vem embutida no Gmail. 

O Alley Insider foi o primeiro a informar esta falha de privacidade, que mostrava uma lista online das pessoas para quem o usuário do Buzz mais mandava e-mails pelo Gmail. O Techcrunch também revelou que os endereços de e-mail podem ser expostos pelo serviço. 

Em resposta, o Google fez algumas mudanças, incluindo a criação de uma opção para não tornar pública a lista dos contatos mais frequentes de e-mail. 

Apesar da polêmica, o Google disse que mais de nove milhões de posts foram nos dois primeiros dias do serviço. Talvez seja porque o Buzz é tão ligado ao Gmail - que diz ter mais de 100 milhões de usuários únicos - que a empresa não gostaria de separar os dois.
Fonte: R7 

Nenhum comentário: