segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Celebrando a Criação nos 200 anos de Darwin


Enrichment Journal - excerto

Tradução: João Cruzué

"Este ano é celebrado em todo mundo o 200º anviversário do nascimento (1809) de Charles Darwin e também o 150º aniversário (1859) da publicação de seu livro "A Origem das Espécies". Ao contrário do que parece, as Igrejas cristãs não têm motivo para se preocupar. Será uma excelente oportunidade para pastores e pregadores inspirarem o povo de Deus e compartilhar o Evangelho com os outros."

Pergunta: É verdade que a maioria dos cristãos acredita que todos cientistas sejam ateus?

Resposta do astrônomo Hugh Ross, Ph.d:
 Não. Pesquisas realizadas em 1914 e 1996 sobre cientistas incluídos em Homens e Mulheres Americanos da Ciência ambas revelaram que 40% deles acreditavam em Deus e na vida após a morte. Minha experiência falando para centenas de campi universitários por mais de vinte anos convence-me de que estes números ainda são verdadeiros. Frequentemente, quanto mais alto o calibre científico e a produtividade das Faculdades e instituições tanto mais a probabilidade de encontrar seguidores de Jesus Cristo entre eles. 

Por exemplo:
 David Rogstad é o astrofísico que liderou o Laboratório de Propulsão a Jato cujos esforços salvaram do desastre as comunicações com a nave Galileo em sua missão para Júpiter e suas luas. Lynn Carta, uma bióloga pesquisadora apresentou um a série de seminários sobre modelos criacionais de Biologia para a Faculdade Caltech e estudantes graduados. Hoje ela dirige um dos maiores laboratórios nacionais de biologia evolucionária. Michael Strauss ,um físico de partículas da Universidade de Oklahoma, fala exaustivamente das evidências científicas para a fé cristã. Henry "Fritz" Schaeffer, um químico que foi indicado para o Prêmio Nobel por quatro vezes, dirigiu audiências em mais de 100 campi universitários a respeito de casos científicos da cristandade.

Cientístas ateus tendem a trazer mais publicidade sobre suas crenças do que seus colegas teístas. Entretanto, centenas de cientistas Phds. têm papéis ativos especialmente em campi universitários seculares. Convencido por uma evidência científica de que a teoria da evolução tinha recebido um golpe mortal, o pioneiro em nanotecnologia, Richard Smalley, químico laureado pelo Prêmio Nobel, abraçou a fé cristã pouco tempo antes de morrer, eencorajava outros colegas cientístas a seguir seu exemplo."

Pergunta: O que acontece quando um livro sobre a natureza e o Livro das Escrituras parecem se conflitar? 

HR - O consenso
 teológico cristão histórico afirma que os dois livros vêm do Deus da verdade (que não pode mentir) e que estas duas fontes de revelação por fim coexistirão. Todavia é necessário distinguir entre a revelação por um lado e a interpretação humana da revelação, de outro. A Ciência (e outras disciplinas acadêmicas) representa a interpretação do livro da natureza. E a Teologia representa a interpretação da revelação bíblica.


A interpretação humana desses dois livros pode na verdade se conflitar. Neste caso, os cientistas ou eruditos podem reconsiderar os dados retirados do livro da natureza. Ou os Teólogos e leitores da Bíblia podem reconsiderar sua interpretação das Escrituras. Os dados das Escrituras ou do reino físico podem ter um significado diferente do que o intérprete imagina. A Ciência não pode corrigir as Escrituras, mas ela pode ajudar a corrigir os erros de interpretação dos textos bíblicos.


Continua em: Celebration of Creation

Nenhum comentário: