sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Mulher que agrediu o papa "não queria lhe fazer mal

A ítalo-suíça Susanna Maiolo, de 25 anos, tinha a intenção de cumprimentar o religioso

AFP
A ítalo-suíça Susanna Maiolo, de 25 anos, rompeu a barreira de segurança e avançou em direção ao papa na Missa do Galo, derrubando o religioso

A jovem de 25 anos que derrubou o papa na noite desta quinta-feira (24), no Vaticano, declarou aos médicos que ela "não queria lhe fazer mal", anunciou nesta sexta-feira (25) o site do jornal La Repubblica.

Susanna Maiolo, uma ítalo-suíça, que sofreria de problemas mentais, foi detida pela segurança do Vaticano logo em seguida ao episódio e transferida para uma unidade especializada. Ela teria tentado tocar o papa na missa do ano passado, informa o jornal El Pais.

O arcebispo de Gênova e presidente da conferência episcopal italiana, o cardeal Angelo Bagnasco, afirmou:

- Nada aconteceu de grave. Trata-se de uma mulher que tentou cumprimentar o santo padre.

O primeiro-ministro da Itália,Silvio Berlusconi, se solidarizou com o papa e afirmou nesta sexta-feira (25) que é preciso "parar esta fábrica de mentira, de extremismo e de ódio", ao comentar a agressão sofrida por Bento 16.

O cardeal francês Roger Etchegaray, de 87 anos, que estava bem atrás do papa quando Susanna o derrubou no chão, fraturou o fêmur e precisará fazer uma cirurgia, informou um porta-voz do Vaticano nesta sexta-feira (25).

O estado de saúde de Etchegaray é bom. Ele permanece internado em repouso no hospital Gemelli, em Roma.

Antes do início da Missa do Galo nesta quinta-feira (24), Susanna Maiolo Confira rompeu a barreira de proteção e avançou em direção ao papa, derrubando-o. Confira o vídeo do incidente.

 

Nenhum comentário: