domingo, 8 de novembro de 2009

Pedaço de pão causa curto-circuito em acelerador criado para simular a origem do universo


 Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês) - o maior acelerador de partículas já construído para simular as condições após a suposta explosão que deu origem ao universo, conhecida como big bang, - sofreu um incidente com um pedaço de pão que caiu no seu transformador.

O acelerador de partículas do Laboratório Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) começará a trabalhar em meados deste mês, como estava previsto, apesar de um pequeno incidente causado nesta semana por um pedaço de pão que caiu sobre seu transformador elétrico. 

Uma porta-voz do Cern informou nesta sexta-feira (6) que, na terça-feira (3), "um pedaço de pão, que achamos que era levado por um pássaro, caiu sobre o transformador elétrico do acelerador". 

Isso provocou um curto-circuito no equipamento, que fica na superfície --ao contrário do acelerador em si, que está situado em um túnel circular de 27 quilômetros sob a fronteira entre França e Suíça--, causando o aquecimento de dois de seus setores. 

Além disso, o incidente provocou uma interrupção do sistema de resfriamento do acelerador de partículas, acrescentou a porta-voz, que também destacou que os dois setores afetados já foram resfriados até sua temperatura operacional. 

Segundo porta-vozes do Cern, o incidente não alterou os planos para iniciar novamente, por volta de meados de novembro, o Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partículas já construído. 

Humor 

O LHC ficou mais de um ano parado devido a uma grave avaria ocorrida dez dias depois de começar seus trabalhos, em setembro de 2008. 

Após o vazamento do incidente do pedaço de pão, o Cern quis minimizar o ocorrido e lidou com a situação com bom humor. 

Em um curto comunicado emitido hoje sobre o assunto, intitulado "Incidente Pão-Pássaro no LHC", o Cern ressalta que "o pássaro saiu ileso, embora tenha perdido seu pão". 

Big Bang 

O acelerador, cujo custo é estimado em US$ 8 bilhões, começou a operar em setembro de 2008 na fronteira franco-suíça. Como o aparelho apresentou problema de vazamento, teve que ser novamente aquecido para ser consertado. 

O LHC foi projetado para atirar partículas de prótons umas contra as outras quase à velocidade da luz. A liberação maciça de energia causada pelo choque das partículas simularia as condições após a explosão que deu origem ao universo 

No experimento realizado em 19 de setembro de 2008, os engenheiros circularam partículas de prótons dentro do túnel de 27 km de circunferência que abriga o LHC. 

Após o sucesso dessa primeira parte, o próximo passo será projetar outras partículas na direção oposta para que possam colidir, recriando as condições que existiam no universo imediatamente após o Big Bang. 

Segundo os cientistas da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (Cern), que opera o aparelho, o LHC deve voltar a funcionar em novembro, mas os choques de alta energia só devem ocorrer a partir de janeiro. 

Fonte: Folha Online

Nenhum comentário: