terça-feira, 15 de setembro de 2009

SBT reclama de invasão evangélica na TV

uilherme Stoliar, diretor de rede do SBT, foi na segunda-feira (14) a Brasília para reclamar da invasão das igrejas, principalmente evangélicas, na programação na TV brasileira. A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Daniel Castro, na Folha de S.Paulo.

Stoliar levou ao ministro das Comunicações, Hélio Costa, um levantamento de todas as emissoras compradas ou arrendadas pelas igrejas recentemente para discutir se é legal ou ilegal o arrendamento de programação, parcial ou totalmente, por igrejas.

De acordo com informações da coluna, o SBT perde cada vez mais afiliadas para a Record, controlada pela Igreja Universal. Neste ano, ficou sem sinal em Cuiabá (MT) porque sua filiada migrou para a Band após ter sua programação arrendada pela igreja que ocupa quase toda a grade da Rede 21 (do grupo Bandeirantes).

Em um almoço com jornalistas, Stoliar disse que "vender horário na TV, seja para igreja ou para programa de vendas, é contra a lei". Sua afirmação foi baseada no decreto 52.795/1963, que disciplina as operações de rádio e TV.

O decreto exige que as programações tenham "finalidade educativa e cultural". As emissoras também não podem vender mais de 25% de seus espaços. Algo que na prática não é respeitado pelas emissoras. Na Record, por exemplo, só a Igreja Universal, em cinco horas diárias, ocupa 21% do espaço.

Fonte:  Adnewsuilherme Stoliar, diretor de rede do SBT, foi na segunda-feira (14) a Brasília para reclamar da invasão das igrejas, principalmente evangélicas, na programação na TV brasileira. A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Daniel Castro, na Folha de S.Paulo.

Stoliar levou ao ministro das Comunicações, Hélio Costa, um levantamento de todas as emissoras compradas ou arrendadas pelas igrejas recentemente para discutir se é legal ou ilegal o arrendamento de programação, parcial ou totalmente, por igrejas.

De acordo com informações da coluna, o SBT perde cada vez mais afiliadas para a Record, controlada pela Igreja Universal. Neste ano, ficou sem sinal em Cuiabá (MT) porque sua filiada migrou para a Band após ter sua programação arrendada pela igreja que ocupa quase toda a grade da Rede 21 (do grupo Bandeirantes).

Em um almoço com jornalistas, Stoliar disse que "vender horário na TV, seja para igreja ou para programa de vendas, é contra a lei". Sua afirmação foi baseada no decreto 52.795/1963, que disciplina as operações de rádio e TV.

O decreto exige que as programações tenham "finalidade educativa e cultural". As emissoras também não podem vender mais de 25% de seus espaços. Algo que na prática não é respeitado pelas emissoras. Na Record, por exemplo, só a Igreja Universal, em cinco horas diárias, ocupa 21% do espaço.

Fonte:  Adnews

2 comentários:

Anônimo disse...

acho correta á atitude do sbt, acredito que as igrejas devem ter espaço para mostrar o seu trabalho nas tv´s. Mas o problema maior é que o espaço das igrejas está se tornando abusivo, ao ponto de que em minha cidade á igreja mundial tomou 95% do horário de uma tv ligada ao sbt,á peso de ouro.

Anônimo disse...

Também concordo com a atitude do SBT, devo dizer que aqui em Goiânia acontece o mesmo, mas a TV em questão é a SESC TV (excelente é educativa) 95% ou mais de programação pertenço a uma outra evangelica Fonte TV. O assunto tratado aqui diz respeito aos evangelicos, mas canais como TV Educativa e Cultura também são sacrificados para progamas que, bem é melhor nem comentar. A Mundial também está tomando espaço aqui, sempre que passo por um desses canais o pastor da igreja Mundial diz que não está conseguindo pagar as contas que o seu rebanho deve doar mais, que eles devem ficar mais tempo na TV, atingir o Brasil inteiro quiça... Inclusive já há uma guerra de audiência, outro dia ouvi um comentário do mesmo dizendo que ganhou da novela. Sou religiosa mas, assim também é de mais, já pensou se cada igreja neopentecostal quiser ter um canal de TV? Aliás, porque o governo demora tanto para agir a respeito do assunto televisão? E não estou falando só dos evangelicos, falo também das baixarias em todos os canais? De vez em quando punem a globo e só, deixam outras tvs mostrarem o que bem entenderem, afinal elas ganham dinheiro oferencedo lixo, porque não cumprem a exigência de oferecer uma tv de qualidade e educativa.