segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Igreja Luterana do Brasil discorda da decisão de luteranos dos Estados Unidos (


mbora não mantenha comunhão de púlpito e altar com a Igreja Evangélica Luterana da América (ELCA, a sigla em inglês), a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) lamentou, em nota dirigida aos pastores e às congregações, a decisão de luteranos do Norte de abrirem o ministério pastoral para gays e lésbica.

A medida foi aprovada pela Convenção Nacional da ELCA, no dia 21 de agosto. A IELB "lamenta profundamente essa decisão, por estar ciente de que o comportamento homossexual é contrário à vontade de Deus, revelada na Sagrada Escritura".

A ELCA permite o ingresso ao ministério de pastores gays e lésbicas que estejam vivendo em "relações comprometidas". A nota da IELB, assinada pelo pastor presidente em exercício, Arnildo Schneider, anuncia que a igreja brasileira está solidária "com todos os que se opõem a esta e outras decisões que são contrárias à Palavra de Deus". 

Leia abaixo nota da Igreja Evangélica Luterana do Brasil:

Nota oficial: Evangelical Lutheran Church in America 
Aos Pastores e Congregações da IELB:

A Diretoria Nacional da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) foi consultada sobre a decisão tomada na sexta-feira, dia 21 de agosto de 2009, pela Convenção Nacional da Igreja Evangélica Luterana na América (ELCA), que aprovou a questão de abrir o ministério desta igreja a pastores e outros profissionais gays e lésbicas, que estão vivendo em "relações comprometidas". 

Apesar da IELB não manter comunhão de púlpito e altar com a ELCA, lamenta profundamente essa decisão, por estar ciente de que o comportamento homossexual é contrário à vontade de Deus, revelada na Sagrada Escritura.

Oramos para que Deus tenha misericórdia da sua Igreja em todo o mundo e somos solidários com todos os que se opõem a esta e a outras decisões que são contrárias à Palavra de Deus.

Pastor Arnildo Schneider
Presidente em exercício


Fonte: ALC

Nenhum comentário: