quinta-feira, 9 de julho de 2009

Alerta vermelho: gripe suína se espalhando no Brasil


04/09/2009 - 16h48

Primeiras doses da vacina contra gripe suína devem distribuídas em setembro, prevê OMS


As primeiras doses da vacina para a influenza A (H1N1) deverão estar disponíveis para os governos dos países do mundo inteiro em setembro, confirmou hoje (4) a diretora da Iniciativa para Pesquisa de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS), Marie-Paule Kieny. "Nenhum país terá vacina suficiente para toda a população desde o primeiro dia que ela estiver disponível. Por isso, os países terão que escolher o que priorizar", afirmou.

Segundo Marie-Paule, a estratégia de cada país vai depender dos objetivos de sua política para o tratamento e da disponibilidade de vacina. Os países poderão, por exemplo, tentar reduzir a mortalidade em grupos específicos, como as grávidas. A OMS recomenda que trabalhadores da área da saúde sejam os primeiros para permitir que eles cuidem dos outros pacientes. As vacinas não serão disponibilizadas no mercado privado.

A indústria vai utilizar preços diferenciados. Países de alta renda poderão pagar entre US$ 10 e 20 por dose (números estimados), enquanto os países de renda média podem pagar cerca de metade desse valor.

A população não se deve deixar 'hipnotizar' pela vacinas, segundo a diretora da OMS. Há outras medidas, como a higiene pessoal e evitar aglomerações. "Estamos falando de uma doença da qual a maior parte das pessoas se recupera bem."

A OMS está trabalhando para garantir vacinas aos países em desenvolvimento, de acordo com Marie-Paule. Para tanto, negociou doações com fabricantes (foram anunciadas doações de 100 milhões de doses pelo laboratório Sanofi-Aventis e de 50 milhões pelo GlaxoSmithKline). A OMS também em tratativas com os fabricantes para que eles reservem parte de sua produção para ela, a preços reduzidos, e tem auxiliado laboratórios de países em desenvolvimento na produção da vacina.

O último balanço divulgado pela OMS mostra que a doença já atingiu 254.206 pessoas no mundo e causou a morte de 22.837. No Brasil, a gripe causou 657 mortes. A taxa de mortalidade no país é a sexta maior do mundo - 0,34 a cada 100.000 habitantes -, segundo o Ministério da Saúde.

Edição: João Carlos Rodrigues

EUA começarão a testar vacina contra H1N1 em crianças

WASHINGTON (Reuters) - Resultados de provas feitas em adultos mostraram que os testes da vacina contra o vírus H1N1 podem ser feitos de forma segura em crianças, afirmaram autoridades norte-americanas nesta quarta-feira.

O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA informou que deve começar em breve a testar as vacinas em crianças entre seis meses e 17 anos.

"O comitê de monitoramento de segurança revisou dados de mais de 500 testes em adultos e idosos saudáveis, voluntários, que participaram de três (...) testes de vacinas candidatas. Os testes tiveram início em 7 de agosto", afirmou o instituto em comunicado.

"O comitê não encontrou motivos de preocupação com a segurança nesses testes que pudessem impedir que avançássemos para as provas em crianças", acrescentou.

Um dos testes terá a participação de até 650 crianças entre seis meses e 17 anos em seis cidades dos EUA. Elas receberão injeções pequenas ou grandes da vacina contra o H1N1 em duas doses, com três meses de diferença".

Um segundo teste consistirá em dar a vacina da Sanofi contra o H1N1 antes, depois e ao mesmo tempo da vacina contra a gripe sazonal.

Cinco empresas preparam tanto as vacinas contra o H1N1 quanto as vacinas contra a gripe sazonal para o mercado norte-americano --AstraZeneca, CSL, GlaxoSmithKline, Novartis e a Sanofi.

Gripe suína: 13 milhões voltam às aulas; veja as orientações

As vésperas de retornar à sala de aula após um período de férias prolongado por causa da gripe suína, a estudante gaúcha Valentina Duque, 12 anos, está ansiosa para reencontrar os colegas, porém preocupada. "Estou feliz por voltar à escola, mas, por outro lado, um pouco apreensiva com essa nova gripe", admite. Assim como ela, outros 13 milhões de alunos das redes pública e privada de quatro estados brasileiros retomam as atividades na próxima segunda-feira com receio do risco de contaminação do vírus H1N1.

» Veja que cuidados tomar com a gripe suína
» Veja onde foi adiada a volta às aulas
» Para especialista, período é adequado ao reinício das aulas
» RS: 21 cidades adiam retorno às aulas por gripe

Ao voltar às instituições de ensino, grande parte dos estudantes encontrará uma realidade distinta daquela de julho, antes de sair de férias. Por recomendação do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais, colégios deverão orientar os estudantes sobre os cuidados com a higiene, manter as salas ventiladas, reforçar a limpeza dos ambientes e evitar atividades com concentração de várias turmas em locais como ginásios e anfiteatros - pelo menos pelas próximas semanas.

No Rio de Janeiro, onde 2,4 milhões de estudantes retomam as aulas, a secretaria estadual de Educação distribuiu mais de 20 mil cartilhas às escolas com informações sobre sintomas e transmissão da gripe suína . "Para evitar o uso dos mesmos recipientes entre os estudantes, encaminhamos 176 milhões de copos destacáveis, o suficiente para dois meses de uso", afirma a secretária Tereza Porto.

Para os professores, a recomendação é ficar em alerta e afastar imediatamente alunos que apresentarem sintomas de gripe. Eles devem permanecer em casa por pelo menos sete dias, segundo a infectologista Denise Brandão de Assis, diretora da divisão de infecção hospitalar do Estado de São Paulo, onde 7,1 milhões de alunos das redes privada e particular voltam às atividades na segunda-feira. "Mesmo com melhora nos sintomas, esses estudantes precisam passar esse tempo em casa, que é o período de transmissibilidade do vírus. Eles também devem evitar visitas de colegas", reforça.

No Paraná, onde as o retorno dos mais de 2 milhões de alunos foi adiado por duas vezes, as escolas terão auxílio de um profissional para monitorar e orientar os estudantes, os chamados "Cuidadores da Gripe". "Eles (os profissionais) têm formação específica e kits para fazer as primeiras intervenções necessárias. Caso seja detectado aluno com suspeita, o 'cuidador' vai encaminhá-lo para casa, orientar a família e avisar os agentes de saúde locais", diz a secretária estadual de Educação, Yvelise Arco-Verde.

Além de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, 1,8 milhão de estudantes do Rio Grande do Sul e 502 mil do Distrito Federal voltam às aulas nesta segunda-feira.

As precauções contra a gripe suína na escola
Com o auxílio do Ministério da Saúde e das secretarias dos quatro Estados cujo retorno das aulas foi adiado por causa da gripe suína, o Terra reuniu as principais dicas para estudantes, pais, professores e escolas. Além de medidas de higiene pessoal, procedimentos como a limpeza das escolas várias vezes ao dia podem impedir a disseminação do vírus H1N1 entre alunos. Veja as orientações abaixo.

Orientações a alunos, professores e funcionários
- Higienizar as mãos com água e sabonete/sabão antes das refeições, antes de tocar os olhos, boca e nariz;
- Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies como mesas, telefone, maçanetas e materiais escolares;
- Proteger com lenços (preferencialmente descartáveis) a boca e o nariz ao tossir ou espirrar - procedimento conhecido como "etiqueta respiratória". Na impossibilidade de serem usados lenços, médicos recomendam proteger a face junto à dobra do cotovelo ao tossir ou espirrar;
- Crianças e adolescentes não devem compartilhar objetos - nem durante as aulas, nem nos intervalos, principalmente talheres e copos;
- Alunos, professores e funcionários com síndrome gripal devem ser retirados de sala de aula e encaminhados para atendimento médico;
- Aqueles com sintomas devem permanecer por pelo menos sete dias em casa;
- Atividades que reúnam várias turmas em ambientes como ginásios, anfiteatros e laboratórios devem ser evitadas.

Medidas recomendadas às escolas
- Se possível, instalar lixeiras para o descarte de lenços e lixo - com acionamento por pedal, preferencialmente;
- Disponibilizar condições para higienização simples das mãos: lavatório/pia com dispensador de sabonete líquido, suporte para papel toalha, papel toalha, lixeira com tampa e abertura sem contato manual;
- Instalar, se possível, dispensadores com preparações alcoólicas para as mãos (sob as formas gel ou solução);
- Manter os ambientes ventilados;
- Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços da escola (classes, cadeiras, mesas, entre outros).
- Aparelhos e equipamentos de educação física também devem ser higienizados após o uso.

Orientações para o transporte dos alunos
- Exigir da empresa de transporte o cuidado com a ventilação do veículo, com a finalidade de aumentar a troca de ar durante o deslocamento;
- As superfícies internas do veículo devem ser limpas e desinfetadas após a realização do transporte de estudantes, principalmente se houver casos suspeitos. A desinfecção pode ser feita com álcool a 70%.

Redação Terra





VOCÊ JÁ ESTÁ PREPARADO?




João Cruzué

Se a vacina contra a "Influenza A", popularmente batizada de gripe suína, não vier antes de novembro, nós, brasileiros, vamos precisar de toda espertize que tivermos para ganharmos tempo. Tratando-se de uma patologia muito recente, nosso organismo pode apresentar vulnerabilidade. A seguir vou descrever uma série de ações que podem limitar o processo de propagação dessa gripe e de outras enfermidades.

Ações de Higiene

Cuidados específicos com as mãos. Você já observou o que faz com suas mãos, por exemplo: a caminho do trabalho? Quem usa transporte coletivo, principalmente, já na subida do meio de transporte coloca suas mãos em objetos e alças metálicas, corrimãos, onde outras centenas, milhares de mãos fazem a mesma coisa - sem que haja uma higienização a cada viagem.

Ao chegar na escola, no trabalho, a quantidade de pessoas que cumprimentamos e tocamos pode ser muito grande. Lavar as mãos é a melhor higiene, mas não há água nos meios de transportes. Seria bom que nós mesmos levássemos algum frasco na bolsa ou mochila para que ao sair da condução pudéssemos fazer alguma higienização.

Torneiras e pias públicas. Seria muito bom que nos terminais de ônibus urbanos - fora dos banheiros - também tivessem torneiras e pias externas somente para se lavar as mãos. E sabonete líquido. Quantas enfermidades - além da gripe suína - poderiam ser evitadas ou levadas para casa ou para o trabalho se esta facilidade estivesse ao alcance dos usuários?

Ações de solidariedade

Pessoas gripadas - não temos definitivamente o hábito do uso de máscaras contra gripe. Não estou falando de uma ação de defesa para evitar a gripe de outros. Como a gripe comum custa caro ao bolso seria uma atitude muito solidária se quem estivesse com gripe utilizasse uma máscara dentro dos meios de transportes públicos para não espalhar vírus ao longo do caminho para centenas de pessoas. Que por sua vez, acionam o efeito dominó. Se não é possível ficar em casa por causa de uma gripe, ao menos que evite disseminar o mal.

Definitivamente não penso em pregar idéias hipocondríacas. Eu trabalho na área da saúde. Sei que bilhões são gastos todo ano no tratamento dos males de nosso povo. Muitos desses males podem ser evitados se houver uma conscientização - minha e sua - de que ações simples podem prevenir males enquanto trazem economia. Em lugar de pavor por gripe suína ou por qualquer doença, na verdade, deveríamos nos surpreender é com o nosso despreparo em preveni-las.




É muito possível, que à semelhança de Estados Unidos, México, Chile e Argentina, autoridades brasileiras venham a fechar as portas, temporariamente, de escolas, IGREJAS, universidades, creches, eventualmente até de meios de transporte de massas. Principalmente se não houver imunização com uma vacina até dezembro 2009. O pior da gripe suína não será em 2009, mas no inverno do ano seguinte, quando o vírus já estiver presente em todos os estados.

Mudança de hábito I

Água potável. Por mau hábito ou tradição, não sei, bebemos menos água do que é preciso. Não beber água no inverno é natural. Não sentimos calor, nem sede. Esta falta de hidratação no inverno gera em nosso organismo um ambiente mais que propício para o desenvolvimento de viroses e uma série de outros males que vão dos rins à própria pele do rosto. E falando de rosto, pele, água é muito mais barato que cremes farmacêuticos.

Mudança de hábito II

Arejamento. Uma das razões para tantas alergias, na Capital paulista são os ambientes hermeticamente fechados das residências. Fungos, ácaros e bactérias ficam muito agradecidos com isso. Mas esses micro-organismos são muito mal agradecidos. Eles nos retribuem com alergias, rinites, sinusites, e uma série de males insuspeitos. Se a sua casa passa o dia inteiro fechada, assim que chegar abra portas e janelas. Ventile sua casa. Quando for construir pense em planejar uma casa com bons recursos de arejamento.

Cuidados alimentares.

Divulguei há poucos dias aqui no Blog que tipo de alimentação garante um bom sistema imunológico. Nosso corpo, além de água, precisa de equilíbrio orgânico e mineral. Como somos feitos do pó da terra nosso corpo possue e diferentes proporções uma composição de mais de 80 elementos químicos. Basta que falte um, para que haja insuficiência ou superabundância de outro.

Muito interessante é que os alimentos mais ricos em vitaminas sejam principalmente verduras e legumes. Quem por exemplo gosta mais de couve, almeirão ou cebola mais que um hambúrger ou outro tipo de fast-food? Já está mais do que na hora de introduzir mais verduras legumes e frutas em nossos (maus) hábitos alimentares.

A gripe suína vai colocar em cheque, agora, hábitos e tradições antigos. Antes que, eventualmente, ela bata à porta da sua casa, comece a cuidar melhor desta maravilhosa máquina que Deus lhe deu: o corpo humano.

Nenhum comentário: