sábado, 30 de maio de 2009

Líder de rede de pedofilia era influente assessor de assuntos homossexuais e crianças do governo escocês

(Por Kathleen Gilbert) EDIMBURGO, Escócia — Um dos líderes de uma rede de pedofilia descoberta na Escócia era um dos mais importantes assessores do Executivo escocês em questões homossexuais de políticas públicas voltadas para as crianças, informa o jornal britânico Daily Mail.

LifeSiteNews.com noticiou que James Rennie, o diretor de 38 anos do grupo Juventude Escocesa LGBT, foi condenado neste mês por abusar sexualmente, durante quatro anos, de um menino — iniciando o abuso quando a criança tinha 3 meses de idade. Amigos deixavam o menino com Rennie, que era sua babá.

Rennie, que se demitiu de sua posição na Juventude Escocesa LGBT depois de sua prisão no ano passado, fez intensa campanha de pressão política no parlamento escocês, e visitou o primeiro ministro da Inglaterra como "o mais importante e influente assessor do Executivo em assuntos gays para políticas envolvendo crianças", de acordo com o Daily Mail.

Entre outras questões, sob a liderança de Rennie o grupo fez campanha de pressão política para que os casais homossexuais pudessem adotar crianças.

Rennie e o colega ativista homossexual Neil Strachan, que foi condenado por atacar um menino de 18 meses que ele estava tomando conta na véspera de Ano Novo em 2005, está enfrentando sentenças máximas de vida na prisão como líder de uma extensa rede de pedofilia.

Os dois homens trocavam entre si suas vítimas e imagens do abuso com outros seis homens condenados no desmantelamento da rede de pedofilia. O grupo foi condenado na semana passada em mais de 50 acusações, inclusive ataques sexuais a crianças, conspiração para abusar de crianças e posse e distribuição de pornografia infantil.

Traduzido por Julio Severo.

Fonte: Noticias profamilia / Julio Severo

Nenhum comentário: