quarta-feira, 22 de abril de 2009

Miss evangélica perde o título nacional por ser contra a união gay

Na cerimônia de Miss EUA no domingo a noite, a competidora Carrie Prejean teve de responder à pergunta que ela mais temia: "Vermont recentemente se tornou o quarto estado a legalizar o casamento de mesmo sexo. Você acha que todos os estados devem imitar?"

Prejean, já coroada Miss Califórnia, estava sendo considerada a candidata com as melhores chances de ganhar o concurso Miss EUA, mas ela sabia que sua resposta a essa única pergunta poderia não ficar bem para os jurados, principalmente o juiz que fez a pergunta, o blogueiro de fofocas de celebridades Perez Hilton, que é abertamente homossexual e que se considera "a rainha da mídia".

"De todos os assuntos que estudei, temi esse. Orei para que não me fizessem uma pergunta sobre casamento gay", disse Prejean para Courtney Friel do Canal de Notícias Fox numa entrevista exclusiva. "Se tivessem escolhido qualquer outra pergunta, sei que eu teria vencido".

A resposta dela, que de repente a tornou o centro tanto de elogios quando de zombarias, incluiu as palavras: "Em meu país, em minha família, penso que creio que um casamento deve ser entre um homem e uma mulher. Sem ofensas a ninguém aí, mas é assim que fui criada e é assim que penso que deve ser — entre um homem e uma mulher".

O vídeo da pergunta e a total resposta de Prejean, em inglês, pode ser visto aqui:

Em sua entrevista com Friel, Prejean explicou que, no final das contas, o maior juiz do caráter dela era não aquele que lhe fez a pergunta, mas aquele que não precisa de uma câmera de TV para assistir à resposta dela.

"Isso aconteceu por um motivo. Ao me fazer responder a essa pergunta na frente de uma audiência nacional, Deus estava testando meu caráter e fé", Prejean disse. "Estou contente que permaneci fiel a mim mesma".

Mais tarde na entrevista, Prejean acrescentou: "Não tenho lamentos sobre dar respostas com honestidade. Perez Hilton me perguntou sobre minha opinião e eu lhe dei. Não tenho nada contra os gays, e não tive intenção de ofender ninguém em minha resposta".

Contudo, Hilton pareceu extremamente ofendido num vídeo de YouTube que ele fez logo depois do término do concurso, chamando-a de "burra" e um palavrão, e afirmando que ela deu "a pior resposta na história das cerimônias de Miss EUA".

Prejean, que no final terminou como a candidata mais importante do concurso, perdendo a coroa para a Miss Carolina do Norte Kristen Dalton, confessa que ficou transtornada com o descontrole de Hilton, mas também diz que ela recebeu uma enchurrada de apoio.

"Obtive mais de 500 pedidos de amizade no Facebook, centenas de mensagens de pessoas que não conheço, dizendo que estão orgulhosas que eu fiquei firme", disse ela. "Isso fez de mim a real vencedora da noite".

O título da vencedora Kristen Dalton, noticiou o jornal londrino Daily Mail, vem com o uso durante um ano de um apartamento em Nova Iorque, uma equipe de relações públicas, uma bolsa de dois anos na Acadêmia Cinematográfica de Nova Iorque e um salário que não foi revelado. Dalton também competirá no concurso Miss Universo em agosto.

Se por algum motivo Dalton ficar incapacitada de cumprir seus deveres como Miss EUA, Prejean seria a primeira na fila para cumprir as resonsabilidades da vencedora do concurso Miss EUA.

Fonte: WND  / Gospel+
Tradução: Júlio Severo

Um comentário:

Rafael Souza Lima Barros disse...

Melhor ter perdido mesmo. As pessoas tem que entender que determinadas posições somente se justificam quando nao interferem na vida das outras. O caso tipico é o da uniao gay. Trata-se de uma uniao consensual de duas pessoas, maiores de idade, livres, e pagadora de seus impostos. Ponto final. Eu nao sou negro, entretanto jamais poderia opinar sobre dar ou nao mais direitos aos negros. Nunca sofrei esse preconceito, logo nao saberia como se sentiram ao longo de seculos de discriminação. Os gays também sofrem com a hipocrisia de quem "nao tem nada contra os gays", mas desde que eles vivam segregados, alijados dos direitos mais fundamentais e bem longe das
"pessoas normais"
Os evangelicos deveriam aprender de uma vez por todas que o Cristo já existia antes deles, e nao foram INVENTADOS por ele, como alguns pretendem. A senhora miss evangelica deveria aprender as lições mais básicas que Cristo deixou para a humanidade. E nem mesmo as igrejas ditas evangelicas conseguem cumprir essas lições