sexta-feira, 27 de março de 2009

Esprte: Rubinho em 2º e Rosberg fecha primeiro dia de treinos na ponta

As três equipes que causaram polêmica devido aos controversos difusores traseiros dominaram o primeiro dia de treinos livres para o Grande Prêmio da Austrália, que abre a temporada no domingo. O alemão Nico Rosberg, que liderou a primeira sessão com a Williams, melhorou o tempo e manteve a ponta. O brasileiro Rubens Barrichello, da Brawn GP, também andou mais rápido do que pela manhã e fechou em segundo.

RESULTADO DO SEGUNDO TREINO
Oliver Multhaup/AP
Rubinho chegou a sair da pista
Rob Griffith/AP
Rosberg liderou as duas sessões
1. Nico Rosberg - Williams - 1min26s053
2. R. Barrichello - BrawnGP - 1min26s157
3. Jarno Trulli - Toyota - 1min26s350
4. Mark Webber - Red Bull - 1min26s370
5. Jenson Button - BrawnGP - 1min26s374
6. Timo Glock - Toyota - 1min26s443
7. Kazuki Nakajima - Williams - 1min26s560
8. Sebastian Vettel - Red Bull - 1min26s740
9. Adrian Sutil - Force India - 1min27s040
10. Felipe Massa - Ferrari - 1min27s064
19. N. Piquet - Renault - 1min27s828
MAIS FOTOS DOS TREINOS LIVRES
VEJA OS TEMPOS COMBINADOS
PÁGINA ESPECIAL SOBRE FÓRMULA 1
HAMILTON: 'NÃO FOI TÃO RUIM'
BARRICHELLO: 'FERRARI SE ESCONDE'
MASSA ESPERA MUITO TRABALHO
Barrichello foi só um décimo mais lento que o primeiro colocado e salvou o Brasil no primeiro dia, já que, no agregado das duas sessões, Felipe Massa foi apenas o 11º colocado, e Nelsinho Piquet o penúltimo. Já o campeão Lewis Hamilton não melhorou o desempenho decepcionante da primeira etapa e ficou atrás do parceiro Heikki Kovalainen, de novo.

Enquanto os protagonistas do ano passado viram coadjuvantes, os primeiros treinos livres prometem incendiar a polêmica envolvendo o uso dos difusores traseiros por Brawn GP, Toyota e Williams. Isso porque, em terceiro lugar, ficou o italiano Jarno Trulli, da Toyota. Assim, os três primeiros colocados da atividade que deu início à temporada da Fórmula 1 são justamente das equipes que enfrentam reclamações.

Ferrari, Renault, Red Bull e BMW contestam o tamanho do difusor traseiro utilizado pelas três equipes. A peça aerodinâmica teria o poder de baixar cerca de 0,3 s por volta. Apesar de a FIA já ter declarado que o equipamento está dentro do regulamento, o caso vai à Corte de Apelações, e o veredicto está previsto para sair em duas semanas.

Mas o australiano Mark Webber, da Red Bull, ignorou essa suposta vantagem dos concorrentes e terminou a segunda sessão em quarto lugar, à frente da Brawn GP de Jenson Button, da Toyota de Timo Glock e da Williams de Kazuki Nakajima, que vieram logo atrás, na ordem. Sebastian Vettel, também da Red Bull, fechou o pelotão dos oito primeiros.

Quem tem motivos para se preocupar após os primeiros treinos livres é a Ferrari, que viu o brasileiro Felipe Massa terminar em décimo lugar, atrás da Force India de Adrian Sutil. Ainda assim, o brasileiro melhorou o tempo em relação à primeira sessão.

Quem não conseguiu fazer isso foi o seu companheiro Kimi Räikkönen. Ele e o compatriota finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, foram os únicos dos 20 pilotos que não conseguiram melhorar suas marcas iniciais. Räikkönen terminou a segunda sessão em 11º, logo atrás de Massa. Mas, no agregado dos tempos dos dois treinos, o "Homem de Gelo" encerrou o dia com o nono melhor tempo.

PROGRAMAÇÃO EM MELBOURNE
Reprodução
Infográfico traz tudo sobre o GP da Austrália com detalhe de cada curva
SAIBA TUDO DO GP DA AUSTRÁLIA
CONFIRA AS PRINCIPAIS MUDANÇAS
Kovalainen, por sua vez, ficou logo à frente do parceiro Lewis Hamilton, que melhorou mais de um segundo em relação ao começo das atividades, e ainda assim terminou em antepenúltimo. Atrás do atual campeão, só o brasileiro Nelsinho Piquet e o estreante Sebastien Buemi.

Após terminar na frente nas duas sessões de treino, Rosberg não escondeu o otimismo: "Minhas esperanças de conseguir uma pontuação consistente aumentou". Mas o alemão admitiu que ficou surpreso e que a Williams não pode se iludir. "Estamos fazendo mais do que havíamos previsto. Não achamos que nosso carro é o mais rápido, mas penso que podemos terminar no topo mesmo assim", completou.

Por outro lado, a decepção de Hamilton era evidente após a sessão. Mas o campeão confia no trabalho da McLaren para correr atrás do prejuízo. "Não estamos no lugar que gostaríamos de estar, mas vamos trabalhar o máximo que pudermos. No geral, o carro é bom, mas falta aderência em todos os lugares. Não só em alguma determinada área da pista, mas em todos os lugares", explicou.

Nenhum comentário: