terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Papa elogia o Brasil por sua política social e condena o aborto.

O Papa Bento XVI condenou novamente, nesta segunda-feira, o aborto e exortou o Brasil a respeitar "a vida da concepção a seu declive natural", ao mesmo tempo em que elogiou a política social do presidente brasileiro Luiz Inacio Lula da Silva.

"A política de redistribuição da renda facilitou um maior bem-estar entre a população e faço votos para que o país a continue estimulando", assegurou o Papa ao receber o novo embaixador de Brasil na Santa Sé, Luiz Felipe Seixas.

Em seu discurso, o Papa recordou que, além da pobreza material, a pobreza moral incide de forma relevante, sobre a estrutura das sociedades, ao lado do consumismo, afetando sua estrutura já vulnerável.

Nesse ponto, o Pontífice também citou o papel do Brasil como "fator de estímulo para o desenvolvimento" de outros países da região, assim como sua política internacional "a favor da paz no mundo" e "contra a pobreza" no continente africano.

Bento XVI voltou a condenar o aborto, tema de debate no país sul-americano, e considerado pelo governo Lula uma "questão de saúde pública".

"Espero que se continue a incentivar e divulgar os valores humanos fundamentais, sobretudo quando se trata de reconhecer de maneira explícita a santidade da vida familiar e a salvaguarda do futuro bebê", disse.

Em seu discurso, o Papa recordou a viagem ao Brasil em 2007 para participar da Conferência Episcopal Latino-Americana, assim como a visita em novembro do ano passado de Lula ao Vaticano, durante a qual assinou um importante acordo que define o estatuto jurídico da Igreja Católica no país sul-americano.

Fonte: Último Segundo

Nenhum comentário: