sábado, 28 de fevereiro de 2009

STJ extingue processo contra fundadores da Igreja

em 28/02/2009 07:47:44 (16 leituras)

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinou o trancamento de uma das ações a que o casal Hernandes, fundadores da Igreja Renascer em Cristo, respondem. Sônia e Estevam Hernandes eram acusados, neste processo, de crimes contra a ordem tributária econômica e relações de consumo.

De acordo com informações da assessoria do STJ, a 5ª Turma concedeu o habeas corpus de ofício e por unanimidade. O relator foi o ministro Felix Fisher.

O advogado de defesa dos fundadores da Renascer, Luiz Flávio Borges D'Urso, afirmou que a Corte acolheu o argumento de que, por não ter terminado o processo administrativo contra o casal, cabendo ainda recurso na Receita Federal, a fase criminal não poderia ter sido aberta.

"Não pode existir processo criminal se não foram esgotados os recursos na fase administrativa. Pode-se descobrir, ainda, que eles não devem imposto algum. Por esta razão, o habeas corpus pedia o trancamento da ação penal", ressaltou D'Urso.

O STJ sustentou a flagrante ilegalidade na ação e aceitou habeas corpus contra decisão do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, justamente por entender que ainda há recursos na fase administrativa da questão tributária. A ação tramitava na 7ª Vara Criminal Federal de São Paulo.

A decisão, que foi na sexta-feira (20/2), não causa prejuízo à outra denúncia se houver a constituição definitiva de crédito tributário.

Outros processos

O casal Hernandes também respondia a processo na 30ª Vara Criminal de São Paulo por sonegação fiscal. O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) trancou esta ação em 2008 após um acordo para o pagamento da dívida feito pelos bispos com a Secretaria estadual de Fazenda de São Paulo.

Eles ainda respondem a processo na Justiça Federal de São Paulo por sonegação de Imposto de Renda, PIS e contribuições sociais da empresa RGC Produções. A denúncia foi recebida em 2007 pelo juiz Hélio Egydio Nogueira, da 9ª Vara Federal Criminal de São Paulo. O casal consta como administrador da empresa e o MPF sustenta que, em 1998, Sônia e Estevam Hernandes omitiram de sua declaração fiscal depósitos bancários de origem não comprovada.

A 20ª Vara Federal Cível de São Paulo também aceitou denúncia em 2008 contra a Fundação Renascer. Os autores da ação civil pública por improbidade administrativa foram o MPF e a Advocacia Geral da União. Neste processo, a entidade é acusada de ter recebido, em 2003 e 2004, quase R$ 2 milhões em recursos federais para um projeto de alfabetização de jovens e adultos —Brasil Alfabetizado— e não comprovou a aplicação correta dos recursos.

A 6ª Vara Federal Criminal recebeu em 28 de janeiro de 2008 denúncia do MPF em São Paulo e abriu processo contra os líderes da Igreja Renascer. Segundo informações da Procuradoria Geral da República, a denúncia foi pelos crimes de evasão de divisas e falsidade ideológica (no caso, refere-se a omissão de informações à Receita).

Fonte Última Instância

Governo Lula barra novos canais de TV

 
 
Governo Lula barra novos canais de TV e impedi a locação de canais digitais para televendas e igrejas
 
Postada em: sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 20:17h  |  Cultura  |  Sem comentários  |  A A A

O Ministério das Comunicações publicou nesta quinta-feira (26), no Diário Oficial da União, novas normas técnicas para a regularização da TV digital pública no Brasil. A novidade é o bloqueio à multiprogramação com o uso do sinal digital.

Isso quer dizer que as emissoras comerciais, públicas e estaduais estão impedidas de dividir um canal em quatro, sem perda de qualidade nos sinais, tecnologia considerada como uma das vantagens da TV digital. O ato foi assinado por Hélio Costa, ministro das Comunicações.

Segundo informa Daniel Castro, do jornal Folha de S.Paulo, a medida atende ao interesse das grandes redes comerciais, que rejeitam concorrência com a abertura de novos canais. Porém, atrapalha os planos de grupos como a Abril — que pretendia expandir a atuação dos canais Fiz e ideal, atualmente transmitidos apenas na TV paga e frequências abertas da MTV.

A norma 001/2009 também impede que a TV Cultura leve adiante projeto de uma universidade virtual paulista. Segundo o documento "a multiprogramação somente poderá ser realizada nos canais [...] consignados a órgãos e entidades integrantes dos poderes da União". Apenas as TVs do governo poderão transmitir em multiprogramação as sessões de comissões do plenário.

Segundo Marcelo Bechara, consultor jurídico do Ministério das Comunicações, a norma visa a impedir a locação de canais digitais para televendas e igrejas. "Tem gente que não é séria. Com a TV digital, iria transmitir a programação dela em um canal e alugar os outros três", justificou Bechara, em declaração à Folha.

Lula no Projac?

Já tendo seu fiel escudeiro Hélio Costa no ministério, a Globo vai agora atrás de Lula. Com as obras do novo Centro de Pós-Produção do Projac quase concluídas, a emissora começa a agendar uma visita do presidente para a cerimônia de inauguração.

O convite já teria sido feito, e a emissora estaria aguardando uma resposta de Brasília. Caso aceite, não será a primeira vez que o presidente participa de um evento do gênero. A inauguração da Record News, em 2007, também teve o aval presidencial, mesmo após tentativas fracassadas de intervenção da Globo.

Fonte: Vermelho

 

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Missões : O "ano do boi" preocupa os cristãos chineses

em 27/02/2009 08:00:00 (11 leituras)

No calendário chinês, 2009 é o "ano do boi". Para eles, o boi é sinônimo de disciplina, autoridade e deveres. Cristãos de todo o mundo demonstram a preocupação de que o governo chinês poderá utilizar essa crença como justificativa para aumentar a repressão aos dissidentes do sistema.

De acordo com um grupo que trata sobre a liberdade religiosa, no ano de 2008, a perseguição às igrejas não registradas na China aumentou 418%.

O total de perseguidos em Pequim de quem se tem relato é de 539 pessoas, de janeiro a dezembro de 2008, 418% a mais do que em 2007. De modo geral, na China 2.027 pessoas foram perseguidas por causa de sua fé cristã.

"A perseguição mais severa em 2008 está relacionada com os Jogos Olímpicos", afirma a reportagem. "Não é difícil compreender, pois quando o governo realiza grandes projetos sociais, implementa-se uma séria repressão para manter a aparência de estabilidade ao espalhar o medo entre a população."

Perseguição, como definiu a reportagem, inclui ameaças, multas excessivas, propriedades confiscadas, interrogatórios, prisões e abusos.

A China é um país oficialmente católico, e seus cidadãos não podem cultuar, ao menos que seja em uma igreja registrada e supervisionada pelo governo.

Dezenas de milhares de cristãos – número estimado em mais de 100 milhões – se recusam a cultuar em igrejas controladas pelo governo. Esses cristãos "clandestinos" ou "não registrados" cultuam secretamente em suas casas, correndo o risco de serem presos, multados, ou aprisionados pelos oficiais do escritório de segurança pública.

Os membros de igrejas não registradas argumentam que o governo não deveria ser o líder da igreja, e restringir o lugar em que devem cultuar é infringir a liberdade religiosa.

Recentemente, as organizações reconhecidas pelo governo demonstraram o desejo de ajudar as igrejas não registradas da China, providenciando Bíblias para os membros.

Na China, somente as igrejas registradas podem vender Bíblias. A venda e distribuição das Escrituras é extremamente controlada, para que não sejam importadas ou vendidas em livrarias comuns. Como resultado, é difícil para as igrejas não registradas terem um exemplar da Bíblia.

No ano passado, organizações se reuniram com os líderes de igrejas para propor um trabalho conjunto para criar a Igreja protestante chinesa e auxiliar os pastores com os problemas teológicos que a igreja enfrenta.

Segundo o governo americano e a Portas Abertas Internacional, apesar de a China estar longe de ser um país respeitável no que diz respeito à liberdade religiosa, já fez grandes progressos. O país caiu duas posições na Classificação de países por perseguição de 2009 da Portas Abertas Internacional.

Uma reportagem feita pela China Aid mostra que a China ainda tem sérios problemas de liberdade religiosa, talvez muito bem mascarados pelo governo. Durante as Olimpíadas, o governo fez uso de métodos sutis para perseguir os cristãos, como prender somente líderes de igrejas não registradas importantes, e não grupos de cristãos como nos anos anteriores.

O número de pessoas condenadas também aumentou. Os números demonstram um total de 119%, de 16 para 35 pessoas. O número de maltratados subiu de 35 para 60 pessoas.

Afirma-se que essa é só a ponta do iceberg e, na verdade, a perseguição aumentou muito mais. As informações se referem a maior parte das províncias e envolvem diversos tipos de perseguição.

"É o suficiente para mostrar a situação geral e o grau de perseguição às igrejas não registradas."

Fonte: Portas Abertas

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Juros do cheque especial caem 2,9 pontos, 1º recuo após 12 meses de alta

 
 
Da Redação
Em São Paulo
A taxa de juro do cheque especial diminuiu 2,9 pontos de dezembro para janeiro, ficando em 172% ao ano. Foi a primeira redução após um ano inteiro de aumento ininterrupto. Em janeiro do ano passado, a taxa estava em 145,5%.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo Banco Central.

Em dezembro do ano passado, a taxa encontrava-se em 174,9% anuais. Em 12 meses, o avanço correspondeu a 26,5 pontos percentuais.


O spread (ganho com a diferença entre o custo de aplicação e o custo de captação) cobrado pelos bancos nessa operação ficou em 159,9% ao ano, com recuo de 2,5 pontos perante o mês final de 2008.

O juro do crédito pessoal fechou janeiro em 56,5%, com queda de 3,9 pontos percentuais perante dezembro, mas acréscimo de 3,4 pontos em 12 meses.

Dentro dessas operações, a taxa média dos empréstimos com desconto em folha de pagamento situou-se em 30,7% em janeiro, o que representa uma baixa de 0,1 ponto percentual no mês.
 
As taxas médias das operações tradicionais de crédito pessoal diminuíram 3,6 pontos na passagem de dezembro de 2008 para o primeiro mês deste ano, para 73,1%.

Nas outras modalidades de crédito à pessoa física, o custo médio do empréstimo para aquisição de veículos equivaleu a 34,7%, com queda de 1,8 ponto em relação ao mês final de 2008.

As taxas de empréstimos cobradas para aquisição de bens variados - como eletroeletrônicos, por exemplo - se encontrou em janeiro em 66,1% ao ano, declínio de 7,7 pontos.

(Com informações da Reuters)

Carnaval e exploração sexual infantil

bannercarnaval

Estatísticas oficiais revelam que no período do Carnaval  exploração sexual infantil aumenta consideravelmente.

No site Agência Brasil, Leila Paiva, coordenadora do Programa de Enfrentamento da Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR), diz que os casos de abuso crescem no período carnavalesco, motivados pelas festas e o maior consumo de álcool. Números do Disque 100 mostram que no carnaval de 2008 o número de denúncias praticamente dobrou em relação a 2007, passando de 54 para 103 telefonemas diários."

Eis aí a realidade nua, crua e aterradora da chamada festa de Carnaval. Enquanto adultos festejam, pulam, bebem e se prostituem, crianças são exploradas.

Pergunto: Cadê a Globeleza?

Denuncias de exploração sexual infantil: Procure o Conselho Tutelar de sua cidade ou disque 100".

 

Postado em Jovens, Sociedade. Tags: .

Las cinco verdades del Evangelio

Photobucket
 

Pastor David Yonggi Cho

 
Yoido Full Gospel Church /Korea

De la Teología del Evangelio Completo se basa en los Cinco Evangelios. Los Cinco Evangelios se refiere al Evangelio de Regeneración (volviendo a nacer de nuevo), el Evangelio de la Llenura del Espíritu Santo, el Evangelio de la Sanidad Divina, el Evangelio de la Bendiciones, y el Evangelio del Advenimiento. Los Cinco Evangelios representa a los cinco importantes elementos de la Biblia. Los cinco Evangelios trata sobre el comienzo, la progresión y el resultado de la Teología Cristiana y representa el centro de la fuente de fe de todos los cristianos.


I. El Evangelio de Regeneración

El primer pilar de Cinco Evangelio es el del Evangelio de Regeneración. El de volver a nacer es un requisito previo a la salvación (San Juan 3:3). De modo que el Evangelio de Regeneración se puede también llamar el Evangelio de Salvación.

1. El Camino de Regeneración

Para que el hombre sea libre de la maldición del pecado, del juicio final, y del dominio de Satanás, el hombre primeramente deberá tener la salvación. Por la rebelión de un solo hombre, Adán, toda la humanidad está destinado a nacer en pecado (Romanos 5:16), y están destituidos de la gloria de Dios y no lo pueden alcanzarlo por su propios medios. (Romanos 3:23)

Inmediatamente después que Adán cometió pecado, Dios profetizo un plan de salvación.

"Y pondré enemistad entre ti y la mujer, y entre tu simiente y la simiente suya; ésta te herirá en la cabeza, y tú le herirás en el calcañar" Génesis 3:15

En este pasaje la simiente de la mujer se refiere a Jesucristo, como también muchos profetas luego profetizaron de él. Como fue profetizado, Jesucristo llegó a ser un sacrificio vivo por la salvación de toda la humanidad. La salvación que fue posible por el padecimiento y la muerte de Jesús en la cruz tiene cuatro significados. Primero, el sufrimiento y la muerte en la cruz señalan al hombre, cuál es el resultado del pecado (Isaías 53:5) Segundo, muestra al hombre de cuán grande es el amor de Dios hacia la humanidad (Romanos 5:8) Tercero, enseña al hombre el verdadero valor de cada hombre (San Mateo 16:26) Cuarto, muestra al hombre el costo de la reconciliación (Isaías 53:6)

2. El Método de la Regeneración

Hay dos condiciones para la regeneración, son el arrepentimiento y la fe. El arrepentimiento y la fe son uno solo e iguales como ellos se manifiestan simultáneamente, así se puede decir que son la cara de una moneda. La primera palabra hablada por Juan el Bautista fue "Arrepentíos, porque el reino de los cielos se ha acercado" (Mateo 3:2) hizo eco con Jesús que dijo "Arrepentíos y creed en el evangelio" (Marcos 1:15) Después de haber sido llenos del Espíritu Santo, también Pedro clamó diciendo "Arrepentíos para que sean borrados vuestros pecados" (Hechos 2:38, 3:19)

La otra condición es la fe. Así como Pablo testificó a los guardas de la prisión en Filipos diciéndole "Cree en el Señor Jesucristo, y serás salvo, tú y tu casa"? (Hechos 16:31). Esta fe de salvación nos es otorgado por Dios y se basa sobre el fundamento de nuestra fe en la promesa de Dios. Es el Espíritu Santo que llegó sobre nosotros que hace posible tener fe en Cristo Jesús como nuestro salvador (I Corintios 12:3)

3. El Resultado de la Regeneración

Cuando nosotros nos damos cuenta de nuestros pecados, y nos arrepentimos con la aceptación de Jesucristo como nuestro salvador, qué resultado traerá nuestro arrepentimiento? Primero, El Espíritu Santo, nuestro consolador, vendrá dentro de nosotros y residirá en nosotros (Romanos 8:11)

Segundo, seremos emancipados de las leyes del pecado y de la muerte (Romanos 8:1,2)Tercero, recibiremos el poder de ser hijos de Dios (Juan 1:12)Cuarto, gozaremos de la gran bendición que Dios ha preparado para nosotros (III Juan 1:2)



II. El Evangelio de la Llenura del Espíritu Santo

Aquellos que han nacidos de nuevo, deberán ser bautizados, y llenados del Espíritu Santo. Cuando los cristianos están llenos del Espíritu Santo, ellos serán también llenados del poder y en consecuencia podrán ser testigos del evangelio eficazmente.

Como el Espíritu de Dios es Santo, nos ayuda a vivir una vida en santidad y nos permite ser testigos activos del Evangelio al sernos llenos del Espíritu Santo, al igual que nos permite sobreabundar de gratitud y del deseo de obrar dejando a un lado el egoísmo y la fe pasiva.

1. El Carácter y la Divinidad del Espíritu Santo

El Espíritu Santo es uno de la Trinidad, los cuales comprenden al Padre Dios, El Hijo Jesucristo y el Espíritu Santo (Hechos 5:3,4; Mateo 28:19,20) De modo que el Espíritu Santo comparte las mismas cualidades con Dios. La Biblia testifica que el Espíritu Santo comparte toda la naturaleza, nombre y eternidad (Hebreos 9:14) tales como Omnipresente (Lucas 1:35), Omnisciente (I Corintios 2:10), y Omnipotente (Salmos 139:7,8)

La comprensión que el Espíritu Santo tiene personalidad es en lo absoluto un elemento esencial en la fe de nuestra vida. Porque el poder del Espíritu Santo se manifestará solo cuando nosotros lo reconocemos personalmente, le damos la bienvenida a nuestra vida y lo aceptamos, entonces podremos movernos a más profunda relación con él y podremos llevar muchos frutos.

2. El Trabajo del Espíritu Santo

Jesucristo nos dice que cuando venga el Espíritu Santo, convencerá al mundo de pecado, de justicia y de juicio. (Juan 16:8-11) El Espíritu Santo llama a los pecadores al arrepentimiento y a volver a nacer para que así sea hijos de Dios (Juan 3:5). El Espíritu Santo mora en los creyentes (Juan 14:16), enseñándonos (Juan 14:26), guiándonos (Romanos 8:14) e intercediendo por nosotros con gemidos indecibles (Romanos 8:26). Además, el Espíritu Santo sella a su pueblo (Efesios 1:13,14; II Timoteo 2:19) y motiva a los creyentes a actuar (Hechos 13:4; 16:6,7; I corintios 12:11), el Espíritu Santo es nuestro garante (II Corintios 1:22; Efesios 1:14), nos llena de poder y nos unge con aceite (Lucas 24:29; hechos 2:1-4; II Corintios 1:21; I Juan 2:20,27), nos resucita (Romanos 8:11; II Corintios 4:14), y nos testifica que Cristo es el Hijo de Dios (Romanos 8:16; Gálatas 4:6).

3. La Regeneración y el Bautismo del Espíritu Santo

La Regeneración y el bautismo del Espíritu Santo son dos distintas experiencias separadas. Aunque las dos experiencias pueden manifestarse simultáneamente o ocurrir en dos tiempos de periodo separado, a pesar de todo son dos experiencias separados. La Biblia hace mención de los cristianos que han nacido de nuevo, pero han fallado de ser bautizado en el Espíritu Santo (Hechos 1:4,5; Hechos 8:14-17)

4. El Bautismo en el Espíritu Santo y la Llenura del Espíritu Santo

El bautismo en el Espíritu Santo es el punto de partida para aquellos que han decidido seguir el ministerio de Cristo y tener una vida victoriosa. Para tal situación, él deberá estar primeramente dominado por el Espíritu Santo. La señal evidente del bautismo del Espíritu Santo es hablar en lenguas y la evangelización de poder. Cuando los dones del Espíritu Santo(señales externos) y los frutos del Espíritu Santo (señales internos) continúan manifestando, entonces será llamado llenos del Espíritu Santo.



III. El Evangelio de la Sanidad Divina

De acuerdo a la Biblia, Jesucristo fue un gran predicador quien divulgó las Buenas Nuevas, enseñó a sus discípulos, y un gran sanador que sanó a muchos de sus enfermedades física (Mateo 4:23), pues se puede decir que la sanidad de los enfermos fue uno de su ministerio, en consecuencia esto es un gran regalo y bendición que Dios ha dado a la humanidad.

1. La fuente de nuestra enfermedad

Aunque existen muchas fuentes para la existencia de enfermedades, si nosotros nos reflejamos a la Palabra de Dios podemos determinarlos en tres fuentes, los cuales son: Satanás, el pecado y la maldición.
Primero, hay momento en que el diablo nos oprime causando enfermedad (Marcos 9:25)
Segundo, como resultado del pecado cometido consiente o inconscientemente provocando enfermedad.
Tercero, por la rebelión en contra de la ley de Dios, somos malditos en consecuencia padecemos enfermedad durante nuestra vida (Deuteronomio 28:58-62).

2. Jesucristo que nos redime de las enfermedades

En el Antiguo Testamento tenemos algunas analogías sobre la forma de representar a Cristo quien nos redimió de nuestras enfermedades; como el cordero de la Pascua (Exodos 12, Número 9), el árbol que transformo el agua amarga a dulce (Exodos 15) y serpiente de bronce hecho por Moisés (Número 21:4-9).

Dos cosa ha hecho Jesús a dondequiera que vaya es el perdón de pecado y la sanidad. Cada vez que Cristo sanaba a alguien ligaba al perdón de pecado como algo inseparable, luego sanaba de la enfermedad completamente (Marcos 2:9,10).

Como Jesús estaba destinado a recibir la sentencia de muerte, aún en la cruz, ¢¯había alguna necesidad en él de ser azotado y rasgar su cuerpo? La Biblia, sin embargo, nos dice que él fue azotado para llevar en él las enfermedades. Con el azote él nos redimió de nuestras enfermedades y de nuestras debilidades (Isaías 53:4; I Pedro 2:24).

3. Condición previa a la sanidad divina

La condición previa a la sanidad divina es la oración, la fe y vivir nuestra vida de acuerdo a la Palabra de Dios.

Primero, la Biblia registra muchos momentos de la Sanidad Divina por medio de la oración. Así en Santiago 5:14,15 tenemos "¢¯Está alguno enfermo entre vosotros? Llame a los ancianos de la iglesia, y oren por él, ungiéndole con aceite en el nombre del Señor. Y la oración de fe salvará al enfermo, y el Señor lo levantará; y si hubiere cometido pecados, le serán perdonados" De modo que los cristianos no debemos darnos por vencidos sino seguir en la oración persistentemente, entonces experimentará la Sanidad Divina.

Segundo, la Sanidad Divina se puede manifestarse por su propia fe o también de los otros. En Marcos capítulo 5 tiene el ejemplo de una mujer que padeció del flujo de sangre durante doce años, sin embargo, cuando toco el manto del Señor, recibió la sanidad. Este es un ejemplo de la sanidad por su propia fe (Marcos 5:25-34) Por otro lado, el siervo del centurión fue sanado no por su propia fe sino a través de la fe del centurión (Mateo 8:13).

Por último, La Biblia nos dice que cuando los creyentes guardaren las Palabras de Dios, esto nos protegerá de enfermedades (Exodos 15:26).



IV. El Evangelio de Bendición

Todo hombre anhela vivir feliz y tener bendición. También es el deseo de Dios, el creador del cielo y la tierra y todo lo que en él hay, que vivamos una vida de bendición y bajo la gracia abundante.

1. El entendimiento correcto de este mundo material

La bendición de Dios comienza desde la creación del mundo. Dios antes de crear al hombre, creó al mundo material y vio y fue bueno para Dios (Génesis 1) Toda la creación de este mundo fue creado bueno. El hombre el primer día de su vida consistía en gozar del mundo material abundantemente lleno por la creación de Dios. Esto era la intensión de Dios para el hombre.

2. La redención en la cruz y la bendición

"Porque ya conocéis la gracia de nuestro Señor Jesucristo, que por amor a vosotros se hizo pobre, siendo rico, para que vosotros con su pobreza fueseis enriquecidos" (II Corintios 8:9) "Cristo nos redimió de la maldición de la ley, hecho por nosotros maldición (porque está escrito: Maldito todo el que es colgado en un madero)" (Gálatas 3:13)

La razón por la que Cristo vivió pobre durante su estancia aquí en la tierra fue para darnos riquezas, es para liberarnos de la maldición. Si de alguna manera nosotros no tomamos esta Palabra de Dios y no apropiamos de ella, estamos menospreciando la pobreza que padeció Jesús.

También la Biblia nos dice en Hechos 20:35 "Mas bienaventurado es dar que recibir" El fundamento de la doctrina cristiana concierne en cómo podemos "dar" Dar amor, esperanza, oración, ofrenda porque al compartir gozaremos de verdadera bendición.



V. El Evangelio de Advenimiento

El advenimiento de Jesús no se trata de una vaga ilusión religiosa, sino es el plan misericordioso de Dios, es la promesa fiel de Jesucristo y es una historia exacta de los acontecimientos del futuro que nos manifiesta la Biblia.

1. El propósito del advenimiento

Primero, el Señor vendrá para cumplir las profecías del Antiguo Testamento. Segundo, Cristo vendrá para levantar a los muertos en Cristo y para transformarlos al cuerpo de gloria. (Filipenses 3:20,21)
Tercero, Cristo vendrá par destruir la muerte (Apocalipsis 20:14)
Cuarto, Cristo vendrá para dirigir a los cristianos escogidos al lugar preparado por él. (Juan 14:2,3)
Quinto, Cristo vendrá para juzgar a los vivos y a los muertos (II Timoteo 4:1)

2. El tiempo del advenimiento

El tiempo exacto de la Segunda Venida del Señor es desconocido. Jesús dijo en Mateo 24:36 "Pero el día y la hora nadie sabe, ni aun los ángeles de los cielos, sino sólo mi Padre" Mas dice la palabra que vendrá cuando el Evangelio llegue a todo el mundo (Mateo 24:14), vendrá cuando haga aparición el anticristo (II Tesalonisense 2:2,3), vendrá con el sonido de la trompeta (I Corintios 15:51,52) vendrá como en el tiempo de Noé (Mateo 24:37-39).

3. Los eventos antes y después del advenimiento

Primero, la venida del Señor en las nubes, así como esta escrita en I Teslonisense 4:16,17, el Señor con voz de mando, con voz de arcángel y con trompeta descenderá del cielo. En este momento el Señor, llamará a la iglesia preparada el aceite de la lámpara a las nubes, esto es el rapto.

Segundo, son los 7 años de gran tribulación. Mientras que los cristianos raptados celebren la fiesta de la boda con el Cordero, en la tierra habrá extrema tribulación. La duración de esta tribulación es de 7 años por lo que se le llama " años de Gran Tribulación" (Daniel 9:27).

Tercera, es la venida del Señor a la tierra. Cuando termine la fiesta de boda con Jesús, el Señor regresará nuevamente a la tierra con los cristianos raptados.

Cuarto, es el reino milenio. Una vez que la serpiente antigua, Satanás sea atado y encerrado al abismo(Apocalipsis 20:1-3), entonces habrá mil años del cielo en la tierra. Y este reino es de Cristo.

Quinto, es el juicio ante el gran trono blanco (Apocalipsis 20:11). Dios establecerá un trono de juicio en algún lugar del mundo, y este trono es el gran trono blanco. Entonces comenzará el juicio y los muertos resucitados estarán de pie ante Dios, y de acuerdo a la obra de cada uno serán juzgados.

Por último, es el establecimiento del cielo nuevo y tierra nueva. El reino de Dios a donde los cristianos entrarán es nuevo (Apocalipsis 21:1), cielo nuevo y tierra nueva, vendrá del cielo también la santa ciudad, la nueva Jerusalén (Apocalipsis 21:2). Este Jerusalén es pues, la capital de este cielo nuevo y tierra nueva. Será Jerusalén tan hermosa que lo comparó con la novia ataviada para el esposo (Apocalipsis 21:2).

4. Las actitudes de vida para los últimos días

Los cristianos deberán estar siempre despiertos para recibir al Señor como las 5 mujeres prudentes que tomaron aceite consigo y permanecieron despiertas (Mateo 24:42; 25:-2-13).

También deberá evangelizar arduamente. Porque la evangelización es una orden del Señor (Mateo 28:18-20; Marcos 16:15-18; Hechos 1:8), y es de gran interés del Señor. De modo que los cristianos debemos anunciar el evangelio a tiempo y fuera de tiempo(II Timoteo 4:2) Porque nuestro mayor interés deberá ser la salvación de alma.

Por último, los cristianos debemos esperar la Segunda Venida de Cristo con entusiasmo. Porque nuestra esperanza no esta en este mundo, sino en el reino de Dios y en la Segunda Vendida del Señor. De modo que nosotros debemos vivir añorando el reino de Dios, y esperar la venida del Nuevo Jerusalén (II Pedro 3:11,12) "Amén Señor, ven pronto"


O Evangelho segundo Barack Obama

em 26/02/2009 08:00:00 (60 leituras)

Embora vitória de Obama seja vista como o triunfo da irreligião "ao estilo europeu", ela só foi possível por causa do eleitorado evangélico. A observação de que os EUA são o único país rico do mundo em que a religião ainda exerce papel central já virou clichê -e, como é o caso de quase todos os clichês, contém muita verdade.

Mas o papel e o impacto da fé no cenário americano são, também, muito mais complexos do que frequentemente aparentam ser à primeira vista -especialmente à primeira vista de estrangeiros vindos de sociedades em grande medida pós-cristãs da Europa Ocidental ou das sociedades pós-budistas e pós-confucianas da Ásia oriental, sendo a Coréia do Sul e Mianmar as grandes exceções piedosas.

Comecemos pelo saber convencional: é inquestionável que qualquer pessoa interessada em ocupar cargos políticos de alto nível nos EUA hoje precisa afirmar-se como uma pessoa de fé.

Isso não quer dizer que o candidato precise ir tão longe quanto foi George W. Bush na campanha presidencial de 2000, ao dizer que a maior influência em sua vida foi Jesus Cristo (o 43º presidente insistiria, mais tarde, em que não tinha necessidade de consultar seu pai, o 41º presidente, porque podia consultar o Divino).

Pelo contrário -presidentes americanos tão diferentes quanto Richard Nixon, Ronald Reagan e Bill Clinton não deram grande destaque a sua fé e, embora fizessem todos os gestos corretos para assinalar a obediência à religião, dificilmente se poderia afirmar que a piedade fosse um traço essencial do caráter de qualquer um dos três. Mas nunca houve nenhuma dúvida de que demonstrassem respeito, ao menos da boca para fora, à ideia de devoção religiosa.

Barack Obama enfrenta uma situação mais complexa.

Ele assumiu a Presidência depois de oito anos de um governo Bush possibilitado pelos votos de protestantes evangélicos e católicos socialmente conservadores -incluindo, na eleição de 2000, um número considerável de eleitores de origem latina nascidos nos Estados Unidos.

Durante algum tempo, até as obsessões xenófobas da linha dura do Partido Republicano terem desagradado tanto aos eleitores imigrantes que acabaram prejudicando até mesmo Bush -cujas posições sobre a imigração na realidade são surpreendentemente esclarecidas-, comentava-se entre os altos assessores de Bush que o partido poderia garantir seu futuro ao assegurar a fidelidade dos imigrantes latinos.

Isso seria conseguido enfatizando os pontos em comum identificados em eleições -sobretudo a oposição ao casamento gay-, o respaldo ao apoio dado pelo governo às fundações religiosas, apesar dos impedimentos constitucionais, e, enfim, a ênfase nos valores familiares tradicionais.

Recriação

Entretanto a adesão suicida do Partido Republicano a uma plataforma anti-imigração extrema não levou os democratas a perder de vista a necessidade de tentar atrair os eleitores religiosos.

De fato, nos últimos anos da administração Bush, vários nomes de destaque do Partido Democrata -entre eles, sobretudo, a muito influente ex-secretária de Estado do governo Clinton, Madeleine Albright- escreveram livros exortando o partido a reconhecer o papel fundamental exercido pela religião na vida americana e acabar com a reputação do partido de indiferença às preocupações dos eleitores religiosos.

De fato, esse apelo por um "compromisso histórico" com os crentes fez parte do projeto do Partido Democrata de se recriar -um acréscimo à compreensão pelos democratas de que, enquanto não conseguissem enfraquecer a acusação republicana de que eram fracos em questões de segurança nacional, jamais retornariam ao poder em Washington.

É claro que havia questões importantes para os eleitores religiosos com as quais os democratas se negavam totalmente a conciliar -sobretudo o direito legal das mulheres ao aborto e os direitos dos gays (embora não necessariamente o casamento gay, algo ao qual o candidato Barack Obama fez questão de se opor).

Mas, excetuando algumas figuras periféricas da extrema esquerda do partido, houve pouca ou nenhuma divergência de opinião quanto à necessidade de trazer os eleitores religiosos de volta ao rebanho democrata, pois os estrategistas do partido compreendiam que, sem fazer pelo menos alguns dos eleitores se afastarem do Partido Republicano -assim como estrategistas republicanos, como o assessor de Bush Karl Rove, pretendiam atrair os eleitores imigrantes-, os democratas jamais conseguiriam reconstruir uma coalizão governante.

Margem estreita

É importante lembrar que as eleições nos EUA costumam ser decididas por margens relativamente estreitas.

Num país tão igualmente dividido politicamente, a vitória por cinco pontos percentuais numa eleição presidencial é considerada decisiva, e uma vitória por dez pontos é vista como avassaladora.

É por isso que eleitorados que, demograficamente falando, são relativamente pequenos exercem influência tão desproporcional, quer se trate de um grupo étnico, como os judeus americanos, ou dos eleitores obcecados por uma questão única, como os defensores dos "direitos às armas".

Não se trata de modo nenhum de conspiração, não importa o que possam imaginar alguns paranóicos -em lugar disso, essa situação reflete a realidade política americana, na qual mudanças relativamente pequenas nos padrões de voto em um dado Estado podem alterar todo o rumo de uma eleição.

E os eleitores evangélicos não são um contingente pequeno: são contabilizados em dezenas de milhões.

Eleitores distantes

O que os democratas acabaram por entender durante os longos anos dos dois mandatos de Bush foi que, sem esses eleitores comparecendo em números avassaladores para votar nos republicanos, os democratas provavelmente venceriam.

O corolário, é claro, era que o distanciamento desses eleitores em relação ao Partido Democrata foi o que abriu a porta a Bush em primeiro lugar.

O que surpreende é quanto tempo foi preciso para os democratas se darem conta dessa verdade. Afinal, se, nos países da Europa ocidental, a exclusão da fé das campanhas eleitorais se tornou praticamente uma lei inabalável da política, nos EUA há no mínimo um imperativo igualmente forte para fazer o contrário.

Como candidato, Obama estava bem posicionado para capitalizar sobre essa nova ortodoxia democrata (nos dois sentidos do termo).

Igrejas e política

As igrejas sempre estiveram no centro da política afro-americana. De fato, existem poucos políticos afro-americanos importantes nos EUA, hoje, que não saíram eles próprios das igrejas (como pastores ou diáconos) ou ascenderam graças ao apoio dedicado de líderes religiosos em suas comunidades.

Como sempre se queixam os americanos de direita -e com razão-, apesar de ser ilegal líderes religiosos endossarem políticos no púlpito e ainda conservarem o status de isenção de impostos de suas igrejas, essas leis nunca foram aplicadas às igrejas afro-americanas.

Qual é a natureza da fé pessoal de Obama, sua profundidade e até que ponto é central para ele são questões que permanecem um enigma para quem não o conhece pessoalmente.

Mas não há dúvida sobre os vínculos profundos que ele tem com sua igreja. Embora a lealdade pessoal tenha inegavelmente exercido um papel, foram esses vínculos uma razão importante pela qual Obama, o candidato, relutou tanto em cortar seus laços com seu pastor radical, o reverendo Jeremiah Wright.

É também isso o que ajuda a explicar por que, desagradando os elementos mais de esquerda de sua base política, o presidente eleito Obama achou tão fácil convidar um evangélico (branco) popular, o reverendo Rick Warren -homem que já afirmou que acredita no criacionismo e que vem se opondo inflexivelmente ao casamento gay e, na visão de muitos, aos direitos dos gays de modo mais geral- para fazer a evocação (religiosa) em sua posse, em 20/1.

A decisão levou muitos a acreditarem que o papel da religião na política americana poderá ser tão forte sob o governo de Obama quanto foi no de Bush. Mas não é assim que os evangélicos de direita enxergam a situação.

Pelo contrário -nesses círculos a vitória de Obama está sendo vista como vitória da irreligião "ao estilo europeu".

Como disse o teólogo evangélico de linha dura J.D. Moreland no programa de rádio de Hugh Hewitt (após o programa de Rush Limbaugh, um dos programas de entrevistas de direita na rádio mais ouvidos no país), após a vitória de Obama, "os evangélicos recuaram, foram expulsos, e a cultura está se deslocando rapidamente em direção à Europa. Está cada vez mais secularizada".

Em um dado momento, Hewitt adota tom ainda mais apocalíptico. Os evangélicos, diz, "foram absolutamente destruídos nas urnas e estão sentados ali, se perguntando o que aconteceu -"onde foi que erramos, por que este governo é tão de extrema esquerda?'".

Assim, ao mesmo tempo em que o papel da fé no início da administração Obama pode parecer, visto de fora, uma continuação do monopólio que a religião vem desfrutando na vida política americana, os conservadores religiosos militantes temem o exato oposto -que estejam perdendo o controle.

E a cooptação por Obama de figuras como Warren apenas intensifica sua perplexidade e exacerba sua desorganização política. Assim, não surpreende que os vários elementos constituintes da coalizão que elegeu Bush duas vezes -conservadores religiosos, neoconservadores e conservadores empresariais- estejam culpando uns aos outros pela derrota.

Isso não significa que a religiosidade americana esteja se desfazendo da maneira como imaginam os católicos de direita e a liderança evangélica.

Mudança para o centro

Uma explicação mais provável é que o centro de gravidade política entre os eleitores religiosos esteja se deslocando para o centro.

Afinal, mesmo a hierarquia atual da Igreja Católica americana, socialmente bastante conservadora, enfatiza a justiça social pelo menos tanto quanto enfatiza a oposição ao aborto e aposta em seu futuro demográfico -imigrantes do México e da América Central, que são o futuro demográfico do mundo católico praticante nos EUA.

E, mesmo entre os evangélicos, há uma divisão de gerações: os evangélicos mais jovens são quase tão atraídos pela candidatura Obama quanto os jovens seculares.

Em outras palavras, não há razões para supor que as duas perguntas que visitantes europeus vêm fazendo desde o século 19 -por que os americanos são tão religiosos e por que o socialismo nunca deitou raízes entre eles?- vão se tornar ultrapassadas no futuro próximo.

Ou, para dizer a mesma coisa com mais cautela, a questão da religião dificilmente irá se tornar irrelevante.

Em vista da implosão do capitalismo caubói dos últimos 25 anos e do opróbrio universal hoje dedicado a Wall Street, o socialismo americano hoje tem uma chance muito melhor de finalmente emergir do que tem a religião americana de ser relegada às margens culturais e políticas -não importa o que a direita possa temer ou o que os frustrados cosmopolitas americanos possam esperar.

Fonte: Folha de São Paulo

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Nos EUA, profissionais de saúde cristãos querem somente seguir suas crenças religiosas

em 25/02/2009 08:00:00 (29 leituras)

Os farmacêuticos Glenn Kosirog e Luke Vander Bleek voltarão em breve ao tribunal para defender que eles não deveriam ser forçados a distribuir contracepção de emergência, graças a uma recente decisão da Corte Suprema de Illinois.

O Tribunal declara que os empresários têm o direito legal de contestar uma ordem, criada em 2005, que obriga as farmácias a oferecerem a pílula do dia seguinte, determinação considerada uma violação das crenças religiosas dos requerentes.

"Se nós não podemos fazer uma decisão sobre quais drogas nós podemos ou não dar, que direitos nós temos como cidadãos americanos?", pergunta Kosirog, membro da College Church, uma proeminente congregação evangélica em Wheaton, Illinois.

Em um número crescente de locais, as consciências dos profissionais de saúde tem se chocado com o direito dos pacientes. As batalhas em torno de questões como, por exemplo, se um médico religioso deveria fazer uma inseminação artificial em uma lésbica, como é permitido na Califórnia, ou fornecer uma contracepção emergencial, como acontece em Illinois e Washington, se estendem para a capital da nação.

Parlamentares de ambos os lados antecipam uma iminente ação do congresso ou do presidente para anular um dos últimos atos do ex-presidente George W. Bush: uma resolução mantendo os direitos de consciência no campo médico. Na semana anterior a que Bush deixou o cargo, a União Americana de Liberdade Civil, a Paternidade Planejada e sete estados liderados por Connecticut abriram um processo contra a regulamentação federal, a qual protege os direitos dos profissionais de saúde a recusar a cuidar de casos que eles acham ser moralmente ou eticamente questionáveis.

"Há um crescente reconhecimento da parte dos profissionais de saúde de que seja defendido seu ponto de vista religioso, segundo o qual se deve proteger qualquer vida, e eles estão começando a impor isso", diz Steve Aden, conselheiro sênior do Fundo de Defesa da Aliança.

O CEO da Associação Médica Cristã, David Stevens, afirma que o objetivo final dos advogados dos direitos dos pacientes é tirar os cristãos da área de saúde. Ele disse que grupos pró-escolha têm feito da rejeição de regras de consciência uma alta prioridade.

"Eu penso que haverá um nocaute, uma batalha", diz Stevens. "Doutores cristãos sabem que se eles perderem essa, todas as outras questões - como clonagem e eutanásia - serão obsoletas porque nós não estaremos na mesa de negociação".

Defensores dos direitos dos pacientes argumentam que a cláusula da consciência mascara o fato de que o cuidado médico é freqüentemente negado aos pobres ou aqueles com visões religiosas diferentes. A questão é particularmente aguda na região rural, onde são poucas as opções entre os provedores de saúde, ou quando as companhias de seguro determinam que os pacientes utilizem determinadas farmácias particulares.

A advogada Louise Melling, diretora do projeto de Liberdade Reprodutora da ACLU, disse que sua organização respeita os direitos de consciência, mas traça a linha nas instituições que servem ao público. "Você não pode negar as pessoas os cuidados básicos de saúde que os trazem à porta", diz ela.

O chefe da Coalisão Religiosa para Escolhas Reprodutivas concorda que muitos casos em litígio apresentam dilemas interessantes, mas diz que os serviços de saúde deveriam ser fornecidos sem discriminação.

"O que nós fazemos com as pessoas que precisam desses serviços e são de outras religiões?", pergunta Carlton Veazey. "Nós somos fortes em direitos de consciência, mas pensamos num mínimo de médicos que deveriam ser capazes de encaminhar pessoas aos serviços", completa.

Algumas reivindicações parecem dirigidas a Suprema Corte dos Estados Unidos, mas o estudioso em lei constitucional Barry McDonald, da Universidade Pepperdine, diz que a Constituição não garante explicitamente a liberdade de consciência. Os testes legais, ele diz, giram em torno das cláusulas constitucionais de liberdade de discurso ou religião.

"Eu acho que isso depende do caso que a justiça conceder revisão", diz Mc Donald. "Quanto mais a corte perceber que uma sobrecarga está sendo imposta na liberdade de consciência, mais preocupados eles serão com um caso como esse", afirma.

Um profissional de ética médica da Universidade de Chicago avisa que forçar doutores a desempenhar certos procedimentos ou deixar a demanda de pacientes usurpar julgamentos médicos pode fomentar desconfiança, corroer a possibilidade de prática responsável e colocar médicos e pacientes uns contra os outros.

Farr Curlin, um profissional associado do Centro MacLean para Ética da Clínica Médica, disse que essas controvérsias não são sobre direitos, mas sobre médicos se recusando a tomar ações antiéticas enquanto satisfazem obrigações éticas.

"A obrigação de praticar conscientemente é a obrigação na qual todas as outras éticas médicas são construídas", Curlin diz. "Eu não acho que isso é demonstrado, ou que possa vir a ser, quando médicos assumem o compromisso de fornecer ou participar na gama completa de intervenções legais que as pessoas podem buscar legitimamente", completa.

Fonte: Cristianismo Hoje

domingo, 22 de fevereiro de 2009

O outro lado do crescimento das igrejas

em 22/02/2009 08:00:00 (22 leituras)

Historiador Phillip Jenkins afirma que precisamos de uma teologia de extinção de igrejas. Em nossos dias, temos testemunhado um extraordinário fenômeno: a vertiginosa queda da igreja em lugares nos quais existe há 2000 anos. A situação das comunidades cristãs no Iraque nos mostra que a expansão da igreja não é tão constante assim.

Em seu livro lançado em 2002, The Next Christendon: the comming of global Christianity, o historiador Phillip Jenkins mostrou ao mundo onde o Cristianismo havia chegado. Em seu mais recente livro - The Lost History of Christianity: The Thousand-Year Golden Age of the Church in the Middle East, Africa, and Asia – Jenkins olha para o lugar de onde essa fé veio. Professor de humanidades na Universidade Penn State, Jenkins inicialmente afirma que a fé cristã não está limitada a nenhuma cultura. "Quanto mais você olha para a história, mais você se dá conta de que o cristianismo não é uma religião [apenas] européia", afirma ele. "É européia, mas também é asiática, africana e tem uma longa história de desenvolvimento nas mais diversas sociedades".

Além disso, Jenkins mostra como e porque igrejas inteiras têm morrido em determinadas regiões. O gerente especial de projetos da Christianity Today, Stan Guthrie, conversou com Jenkins.

O que causa a morte de igrejas?

Não conheço nenhum caso de igreja que morreu por causa de indiferença. A igreja morre por causa de perseguição. Ela morre por força armada, geralmente vinculada ao interesse de outra religião ou de uma ideologia anti-religião. Isso, algumas vezes, acaba com toda uma etnia que vive o cristianismo. Portanto, a igreja morre pela força. Ela é morta!

Mas o que dizer do antigo ditado "o sangue dos mártires é a semente da igreja"?

Isso foi dito por Tertuliano, que veio da igreja do Norte da África, igreja que foi dissipada. Se você procurasse a igreja mais saudável nos anos 400 e 500, olharia para o que chamamos de Tunísia e Algéria; o norte da África. Foi a terra de Agostinho. Depois, os árabes, os muçulmanos, chegaram. Eles conquistaram Cartago em 698 A.D e 100 anos depois – eu não diria que não há cristãos lá, mas o número é bem pequeno - Aquela igreja morreu.

Por que a perseguição ora fortalece uma igreja, ora a destrói?

A diferença está até que ponto uma igreja se estabelece em um grupo de pessoas e não se torna a igreja de apenas um segmento, de uma classe ou grupo étnico. No norte da África, é basicamente uma religião de romanos e pessoas de língua latina, em oposição à igreja dos camponeses, com a qual os romanos não têm muita comunhão. Quando os romanos se vão, a fé cristã vai com eles.
O cristianismo se estabeleceu desde sempre como a religião do povo, religião do dia a dia dos egípcios, à medida que as coisas eram traduzidas para o copta. Como resultado, depois de quase 1400 anos de império muçulmano, ainda há uma impactante igreja copta que representa [talvez] 10% dos egípcios – que eu considero o exemplo de sobrevivência mais brilhante na história do cristianismo.

Como histórias como essa podem se aplicar no Iraque, onde pessoas sofrem debaixo do domínio islâmico?

O Iraque é um exemplo clássico de uma igreja que morre com o passar do tempo. A igreja lá deixará de existir provavelmente antes de eu morrer. Nos últimos 50 anos, ela passou de 5% para 0.5% da população. Não dá pra continuar morrendo como naquele lugar para todo sempre. Em algum momento, faltarão apenas um ou dois para serem mortos. Você acha que eu acredito que literalmente não haverá mais cristãos no Iraque? Não! Todavia, eu acredito que as comunidades serão todas eliminadas, enquanto entidades. Há comunidades ímpares, especialmente na planície de Nínive, mas elas são pequenas e estão à espera de vistos. Portanto, para falar porque as igrejas estão morrendo no Iraque, eu volto a afirmar que o problema é a perseguição, o crescimento das ideologias radicais islâmicas que pregam a intolerância às minorias. Além disso, contam muito as leis do estado – ou a falta delas. Se você tirasse o estado, que de alguma forma controla tudo, os grupos de minorias já teriam sido extintos há muito.

Você escreveu sobre o efeito catraca. O que você quer dizer com isso?

É uma das coisas mais assustadoras. Perseguição não existe constantemente por mais de 500, 1000 anos. As minorias costumam viver bem por 50 anos e, então, uma perseguição vem e acaba com tudo. A catraca segura o movimento. Pode girar em uma direção, mas não voltará no sentido oposto. Esse tipo de perseguição esporádica ao longo dos séculos é o que pode realmente destruir a fé.

De que forma a igreja pode responder a essa perseguição, fazer crescer sua comunidade e fortalecer sua fé?

Depende muito do tipo de desafio que está sendo enfrentado. Se você está diante de uma perseguição armada, então você está em um modo de sobrevivência. Enquanto escrevia esse livro, me dei conta de algo: a forma pela qual você mede o sucesso de uma igreja. Sou tentado a medir em termos de números, se são 5% da população, 40% ou outro percentual. Porém, creio que um menonita ou batista levantará o argumento de que o sucesso não se mede pela quantidade, mas pela qualidade do testemunho; o NT não garante sucesso mundial ou crescimento de mega igrejas. Na verdade, inclui perseguição como parte do pacote. Portanto, talvez essa seja uma realidade com a qual devamos lidar.

Você diz que nós estamos perdendo uma teologia de extinção das igrejas. Por que precisamos delas?

Às vezes pergunto a um público quantos deles já leram livros sobre plantação ou crescimento de igrejas. Muitos levantam suas mãos. Então pergunto quantos leram algum livro sobre morte e extinção da igreja, ninguém levanta a mão. Contudo, na história o fenômeno de extinção de igrejas é bem comum. A fé cristã migra de uma região para outra, mas também acontece de um lugar - no qual o cristianismo foi sólido – perder sua força cristã. Esse fato quebra uma série de ideais que temos sobre crescimento de igreja. Nós temos uma teologia de missões, não uma teologia de retração. Logo, como explicamos esses episódios? Dizemos que a igreja está fazendo algo terrível? Consideramos tudo isso como parte natural do desenvolvimento da igreja? Entendemos que se os muçulmanos eliminarem os cristãos do Iraque será um sinal de que a vontade de Deus é essa? Como os cristãos lidam com situações como a destruição da igreja no Iraque não tem sido um assunto em pauta. Não damos atenção a isso porque nada sabemos a respeito desse assunto.

Será nossa ignorância fruto de nossa situação histórica e, talvez, de um voluntário desvio de olhar da carnificina que acontece?

Em parte digo que sim. Mas eu não quero criticar os americanos que estão bastante conscientes do que está acontecendo, por exemplo. Eles têm tentado aliviar esse sofrimento e intervir politicamente. Contudo, acredito que as igrejas continuam a desaparecer. No Oriente Médio, a situação tem sido catastrófica desde 1915 em termos de destruição e aniquilação da igreja. De fato, não conheço quem esteja pesquisando sobre isso, ou fazendo teologia sobre esses aspectos.

Como você relaciona essa necessidade com o patente crescimento da igreja ao redor do mundo?

Creio que coincidência não é uma palavra que deva ser usada por ninguém que tenha noção do que é a providência divina, mas o ano de 1915 marca o começo do fim do cristianismo no Oriente Médio e o início do crescimento massivo do cristianismo na África. É como se uma porta fosse fechada e a outra fosse aberta. Não vou afirmar que Deus abriu um olho e fechou o outro, mas quando o cristianismo sofre em uma área, incríveis oportunidades surgem em outras regiões. Minha preocupação é que escrevamos a história do cristianismo tão somente com a seguinte idéia: "Vamos observar o crescimento e as novas oportunidades". Nós não temos visto as portas que têm sido fechadas – o que daria um bom título de um livro.

Fonte: Cristianismo Hoje

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Italianas vão receber "GPS rosa" para evitar estupros

da BBC Brasil

Cerca de 200 mulheres da cidade italiana de Monza vão ter aparelhos de GPS, batizados de "caixas rosas", que serão instalados em seus veículos nas próximas semanas, em uma iniciativa da prefeitura local de evitar crimes sexuais. O serviço irá funcionar 24h e alertar a patrulha mais próxima da área de onde partir o pedido de socorro.

Inicialmente, o uso seria como um sistema antifurto instalado gratuitamente nos veículos das mulheres, que podem ser acionados à distância, num raio de 150 metros do veículo. A distribuição do aparelho tinha sido prevista para dar maior segurança às mulheres que pudessem estar em dificuldades devido a um acidente rodoviário, por exemplo.

Divulgação
"GPS rosa" para evitar estupros serão distribuídos às mulheres italianas; preferência é dada àquelas que trabalham durante a noite
GPS rosas serão distribuídos às mulheres italianas para evitar estupros; preferência é dada àquelas que trabalham durante a noite

Mas, diante da atenção despertada por alguns casos de estupros, o aparelho ganha uma importância ainda maior e uma nova interpretação.

Monza tem cerca de 120 mil habitantes, 63% do sexo feminino. A seleção das candidatas para usar o equipamento segue a orientação do CADOM, o Centro de Ajuda de Mulheres Maltratadas, mas muitas preferem não revelar que foram vítimas de agressão.

Tiveram preferência as mulheres que trabalham de noite ou durante a madrugada e vítimas que já denunciaram agressões ou viveram ou vivem situações de risco de abuso sexual, ameaças e perseguição por parte de ex-companheiros ou desconhecidos.

Outras grandes cidades italianas também pretendem adotar a medida.

A prefeitura de Milão anunciou a distribuição de mil aparelhos de GPS. Eles vão ser doados para moradoras de quarteirões com maiores índices de criminalidade e instalados de graça. As mulheres irão ficar com o aparelho durante três anos.

"A mesma experiência vai ser repetida em Roma. Nos já tínhamos pensado nesta utilização contra a agressão sexual", disse Matteo Avico, diretor de comunicação da fundação Ania (ONG que promove a segurança rodoviária), que apresentou o projeto em 2007.

Pulseira

A experiência dos aparelhos de GPS colocados à disposição das proprietárias de veículos pode minimizar o problema, mas as mulheres que não possuem carros ainda continuam sem opção de proteção.

"A minha grande preocupação também é com as mulheres que usam os transportes públicos, caminham a pé e que precisam de segurança. Estamos estudando uma parceria para dar a elas um instrumento de ajuda eficaz", disse Martina Sassoli.

Uma das hipóteses é o uso de uma sofisticada pulseira com um chip embutido. A emissão dos sinais começa quando a pessoa aciona um dispositivo que, por sua vez, acende o radiotransmissor preso ao corpo ou dentro da bolsa, ao alcance da mão. O sinal de socorro chegaria diretamente à central de polícia.
 
 

Cantora Soraya Moraes é indicada ao prêmio GMA Dove A­wards

Depois de ser a melhor representante do Brasil no Grammy Latino 2008, com vitória em três categorias, Soraya Moraes rompeu mais uma barreira. Dessa vez, a artista da Line Records foi indicada ao GMA Dove A­wards, maior premiação da música cristã norte-americana. A cantora concorre na categoria "Spanish Language Album", com o CD "Tengo Sed de Ti", já con­sagrado pela academia do Latin Grammy como o "Melhor Álbum Cristão em Língua Espanhola".

Promovido pela Gospel Music Association, o prêmio contempla, desde 1969, artistas, produtores e compositores que se destacam na música gospel americana. É considerado o mais importante do mundo para o setor e recebe total atenção da mídia e de empresas que investem na associação de suas marcas à transmissão da festividade ao vivo e em cadeia nacional.

Produzido por Marco Moraes, esposo de Soraya, o álbum "Tengo Sed de Ti" é considerado uma versão em espanhol do CD "Deixa O Teu Rio Me Levar", com o qual a cantora conquistou quatro estatuetas no Troféu Talento 2005, Disco de Ouro e, para completar, o Grammy Latino 2005 de Melhor Álbum Cristão em Língua Portuguesa.

Para garantir a qualidade da produção deste trabalho, a Line Records contratou os serviços de asses­soria especializada da empresa Idiomas e Cia. e contou com a orientação de equipes da Rádio CVC de Miami e de colaboradores da Guatemala e Porto Rico. A indicação ao GMA Dove Awards é a prova de que o investimento valeu a pena.

A cerimônia de premiação será realizada no dia 23 de abril, em Nashville-TN, mais conhecida como "Cidade da Música", nos Estados Unidos.

Fonte: Line Records

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Ainda não avaliado)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Liberação da maconha: reduzindo gastos

expresidentes

Valmir.Nascimento

A liberação da maconha voltou a ser assunto de debate na última semana depois que os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (Brasil), César Gaviria (Colômbia) e Ernesto Zedillo proporam mudanças na política mundial de drogas.

Além de outros meios de comunicação, o assunto é matéria de capa da revista Época desta semana.

Os três ex-presidentes fazem parte da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia, e como não encontraram maiores fundamentos para a liberação da cannabis, voltaram a expor o velho e fraco argumento econômico dizendo que "os governos gastam bilhões de dólares por ano, mata-se, prende-se, mas o tráfico se sofistica, cria poderes paralelos e se infiltra na polícia e na política".

Até onde eu sei os governos gastam bilhões não somente para reprimir o uso de entorpecentes, mas também para acabar com outras formas de criminalidade como o roubo, homicídio, estelionato, etc. Portanto, a criminalidade se sofistica não somente em relação aos entorpecentes.

Assim, se aplicarmos a lógica dos defensores da liberação da maconha segundo o argumento acima exposto, pergunto se seria o caso também de não tipificar como crime o roubo, o homicidio e o estelionato?!?! Essa é a conclusão a que chegamos baseado nessa idéia estapafúrdia dos ex-presidentes. Afinal, esses crimes também provocam grandes gastos para o poder público.

O que precisam entender é que o valor gasto pelo Estado na repreensão do crime não pode ser analisado simplesmente pela ótica financeira. Não se retira o potencial criminoso de um determinado ato (usar/vender droga) somente para diminuir o gasto do país com a criminalidade.

Quando a questão é a segurança pública não se faz contas de quanto poderiamos economizar, como se estivéssemos fazendo a lista de compras de nossa casa. De forma alguma. A tipificação de um crime nunca, jamais, leva em consideração o impacto financeiro ao Estado, ao revés, considera o bem jurídico a ser tutelado, no caso do uso/venda da maconha considera-se o efeito nocivo à toda sociedade. 

Como escreveu Milton Corrêa da Costa: "Três conseqüências advirão de tal permissividade: a diminuição do estigma social, a redução do preço e o aumento do consumo. Uma porção de maconha custará o mesmo que um saquinho de chá e em qualquer esquina ou no pátio de uma escola não haverá problema em fumar um baseado. Imaginem um piloto de avião que resolve, antes do vôo, fazer uso de maconha ou cheirar cocaína? Liberar a droga significa escancarar, ainda mais, a perigosa porta de entrada para o caminho da destruição, por onde ingressarão mais e mais jovens. O resultado na Holanda não foi dos mais promissores. Cerca de 5 mil dos 25 mil dependentes lá existentes são responsáveis pela metade dos crimes leves. O uso da maconha subiu 400% em razão da liberação".

Além dos mais, no âmbito econômico a experiência da Holanda demonstra que a liberaçào da maconha é um tiro no pé, isso porque, como noticiamos aqui no blog, com a liberação do comércio de drogas Amsterdã atraiu "os turistas de entorpecentes" dispostos a consumir de tudo, não apenas maconha. Isso fez proliferar o narcotráfico nas ruas do bairro boêmio. O preço da cocaína, da heroína e do ecstasy na capital holandesa está entre os mais baixos da Europa.

E tem mais. Além de ofender os principios éticos, provocar males na saúde física e psicologica do usuário e também atentar contra a saúde pública, a liberação do maconha é um notório retrocesso social. Enquanto o mundo caminha no sentido de acabar com o uso do cigarro, com medidas cada vez mais intolerantes, outro grupo tenta agora liberar o uso da maconha. Paradoxo. Verdadeiro paradoxo!

Postado em Ateísmo, Drogas.

Deixe um comentário

Como ouvir a voz de Deus


Photobucket

João Cruzué

Sempre fui um ávido leitor de livros cristãos. A princípio fui lendo tudo, depois, quando os assuntos ficaram repetitivos, passei, então, a escolher os que pudessem adicionar conhecimentos novos. O gosto pela leitura veio de minha mãe, a professora Glória, que por sua vez aprendera com meu avô. Sei Deus fala de várias maneiras: pela palavra, pela leitura bíblica diária, pelos pais, pastores... mas fala principalmente pela voz do silêncio que apenas a alma pode ouvir.

Em um país ainda com tantos analfabetos ter aprendido a ler com seis anos, foi uma grande bênção. Ter concluído um curso universitário ao custo de cinco anos de salário também foi mais uma bênção. Mais dois anos de um curso de inglês. Para um jovem que criou-se e viveu no campo, em um sítio, ter conseguido estas três coisas seriam motivos de muita satisfação. Mas, o melhor veio depois: além daquelas três coisas, tive um encontro real com o Senhor aos 18 anos.

O conhecimento é algo maravilhoso, alicerçado no temor de Deus é melhor ainda, porque Ele é quem dá relevância a nossa vida e nos mostra o propósito para o qual fomos criados. Ainda que para isso, Ele possa até permitir que sejamos moídos em moendas de ferro. Diz a Bíblia que Deus é Pai e sabe corrigir bem seus filhos, para que eles adquiram um carater parecido com o dEle. Quem aceita a correção e persiste na busca, conseguirá o favor de Sua intimidade, isto é, quando você ora, Ele responde.

Quando escrevi pela primeira vez esta mensagem tinha 50 anos. Hoje, ao reescrevê-la, estou com 52. Não penso mais como há 10 anos, pois, a medida que os anos passam posso ver uma realidade que antes não conseguia ver. Eu sei que as receitas para uma aproximação com Deus são mais teóricas que práticas, por isso, quem não tem o poder de Deus, costuma exibir-se com pavonices, palavrórios, empáfia, que são de pouco proveito. É uma experiência pessoal, que não pode ser passada por tradição.

Para ouvir a voz de Deus é preciso: fé, sede, fidelidade a Deus, comunhão, paciência e trabalho.

FÉ EM JESUS CRISTO

"Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz
não endureçais o vosso coração". Hebreus 3:15

Deus, o Criador, nos amou de tal maneira que enviou seu único filho, Jesus Cristo, para nos trazer uma mensagem - O Evangelho - que significa Boas Novas. A missão de Jesus Cristo era reconciliar todos os pecadores com Deus, pagando um alto preço em resgate da vida de cada homem e cada mulher, sujeitos à condenação eterna por causa do pecado. O preço da liberdade já foi pago, mas para que cada pecador seja livre do senhorio do diabo, é necessário que ele tenha um encontro com o Senhor Jesus para aceitá-lo com salvador de sua alma e Senhor de sua vida. Todos os que aceitam publicamente a salvação por meio da fé em Jesus Cristo, tem o direito de ser chamados de filhos de Deus e de ter seus nomes escritos no Livro da Vida. Não há nenhum outro nome no céu, nem na terra, que possa trazer salvação e reconciliação entre um pecador e Deus, a não ser o nome do Senhor Jesus Cristo.

SEDE DA PALAVRA DEUS
"Eis que vêm dias, diz o SENHOR Deus,
em que enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água,
mas de ouvir as palavras do SENHOR". Amós :11

Quem aceita o Senhor Jesus como Salvador e Senhor naturalmente tem um desejo profundo de compreender a vontade de Deus, que se acha disponível nas Escrituras - A Bíblia Sagrada. Esta sede de Deus a fome pela sua Palavra é uma característica básica de um cristão sincero, tanto novo quanto maduro.

COMPROMISSO DE FIDELIDADE
"Então, o SENHOR, do meio de um redemoinho,
respondeu a Jó: Cinge agora os lombos como homem;
eu te perguntarei, e tu me responderás". Jó 40:5-6

A característica de um cristão sincero está resumida no primeiro capítulo do Livro de Jó: "Perguntou ainda o SENHOR a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal. Integridade, retidão, temor de Deus e distância do mal. Integridade: Jó não era um homem corrupto nem era amigo de gente corrupta; retidão: entre o certo e o errado, o santo e o pecado: Jó seguia a justiça e a santidade; temor de Deus: Jó andava em justiça e retidão porque sabia que Deus abominava o pecado; distância do mal: Jó desviava-se do mal porque não queria perder a comunhão com Deus. Depois de sua provação, o próprio Deus respondeu a Jó.

O EXERCÍCIO DA COMUNHÃO

"Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto,
orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice!
Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres". Mateus 26:39.

Comunhão é ouvir e falar. É preciso ter tempo para conversar com Deus. Orar. A oração nunca está completa enquanto conversamos com Deus. Depois que falamos tudo, é preciso exercitar o silêncio para aprender a ouvir. Aqui está o detalhe porquê existem pessoas que passam muito tempo diante do Senhor enquanto outras ficam apenas 15 minutos. A voz de Deus são palavras que se ouvem com a alma, e não com os ouvidos. Em uma geração tão apressada como a nossa, isto soa muito estranho ao nosso entendimento.

Deus não tem pressa, pois é onipresente; na verdade, nascemos apressados, pois nossa vida também é um sopro. Todavia, as grandes escolhas de nossa vida podem correr perigo por causa da pressa. Deus pode responder uma oração de apenas uma palavra, mas quando se trata de comunhão, ele ama estar conosco para dizer principalmente - que nos ama! Aqui vou corrigir uma frase que considero errada: "Muita oração, muito poder" na verdade, precisamos mudar um pouco: "Mais comunhão, mais poder de Deus."

PACIÊNCIA PARA ALCANÇAR AS PROMESSAS
"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim,
negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me".Lucas 9:23

Para chegar a ser "árvore madura" que produz muitos frutos, demanda algum tempo. Temos também uma tendência natural e ruim à presunção, isto é, quer ser aquilo que ainda não é; e pensar que já se sabe tudo. Ao estudar a história de Abrão, Moisés, Saul e Pedro uma coisa pode ser compreendida: eles erraram por achar que sabiam mais que Deus. Não estavam ainda maduros, Abrão, Moisés e Pedro alcançaram o favor de Deus, pois não insistiram no erro. O rei Saul não teve a mesma sorte, pois era teimoso em fazer escolhas erradas achando que sua vontade era a vontade do Senhor.

O importante a essa altura da vida cristã, já perto da maturidade, é não jogar tudo fora por falta de paciência; em querer ser algo sem ter vocação de Deus, baseando-se em chamado de homens. Ou trocar a visão de Deus por uma coisa superior aos olhos dos homens. Em nossos dias, quem seguiria o conselho de Paulo em Romanos 12:16 "Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos"?

O TRABALHO COMO ATRIBUTO DE CARÁTER
"E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora,
e Eu trabalho também". João 5:17

Em todas as fases de nosso crescimento espiritual Deus espera que sejamos produtivos e laboriosos. O trabalho é o atributo natural de um cristão sincero. Por outro lado, o diabo é o pai de todo ocioso. Não existe nenhum homem ou mulher na história reportada pela Bíblia Sagrada que ouviram a voz de Deus e continuaram no sono dos mortos, no ócio dos pecadores ou árvores que não produziram frutos. Quem crê verdadeiramente no Senhor tem alegria de trabalhar tanto na vida secular quanto espiritual.

Quando o profeta Samuel à casa de Jessé ungir um de seus filhos para ser o novo rei para Israel, não disse antecipadamente quem seria. E por não ter ouvido ainda a voz do Senhor, diante da beleza e altura de Eliabe - o primogênito - o profeta se enganou. Todos os filhos de Jessé que estavam em casa, ociosos, foram rejeitados. David, o mais moço, estava no campo t r a b a l h a n d o. Havia uma diferença entre o caráter deles que significou a rejeição do ócio e o prêmio da unção ao trabalho. Louvado seja o nome do Senhor, que hoje, 01 de maio de 2008 - dia mundialmente comemorado como Dia do Trabalho, este atributo seja uma das principais características de seu caráter.

Photobucket

Espero que estas palavras simples possam agradar ao Espírito Santo e ao concluir esta leitura, você esteja sentindo algo diferente alegrando a sua alma.

Irmão João Cruzué
SP-01/05/2008
cruzue@gmail.com

Roberto Brum garante que curou lesão na coxa com oração

A volta do volante Roberto Brum do Santos, contra o Guarani, no último domingo, contrariou a previsão dos médicos. O jogador havia sofrido uma contratura muscular na coxa durante confronto contra o Palmeiras, no dia 8 de fevereiro. Ele voltaria em 15 dias, mas diminuiu em uma semana a estimativa dos médicos. Evangélico, o jogador garante que foi curado por intervenção divina.

O jogador conta que, na véspera do jogo, acordou desanimado, pensando que teria mais uma chata sessão de fisioterapia pela frente, enquanto seus companheiros se preparavam para a partida contra o Bugre. Então, Brum diz que resolveu fazer um teste. Ele mora a cerca de dois quilômetros do CT Rei Pelé e resolveu ir a pé até saber se estava curado da lesão. Diz que confiava que Deus não iria lhe conceder a graça de não sentir mais a lesão.

- Deixei a chave do carro de lado, coloquei uma bermuda e comecei a caminhar. Fui me sentindo bem e resolvi dar um trote. Quando cheguei em frente à Santa Casa (já na rua do CT), pensei: vou dar um pique. Cheguei bem na porta do hotel do Santos e freei com força. Não senti nada e já agradeci: 'obrigado, meu Senhor, estou curado' - contou, arrancando gargalhadas dos repórteres.

Brum diz foi procurar diretamente o fisioterapeuta do Peixe, Nilton Petrone, o Filé, avisando que iria jogar.

- Eu entrei no CT e falei que queria falar com o Filé. Parecia até o Marcelo Teixeira (presidente do clube). Ele disse que eu era louco, que nunca tinha visto um caso como o meu ser curado tão rápido. Mas eu provei que estava bem, que iria jogar e joguei - comenta.

Fonte: Globo Esporte

Abacate está liberado!

 
  
Abacate está liberado!
 
FOTO: SHUTTERSTOCK        
 
Por muitos anos a fruta foi excluída das refeições por ser considerada muito calórica. Agora, volta ao
cardápio para controlar as taxas de colesterol

POR JANETE TIR

 

Calorias e gordura não faltam ao abacate. Dois motivos mais do que suficientes para tachá-lo erroneamente como vilão do emagrecimento e do controle de colesterol. Mas recentes pesquisas científicas são unânimes em afirmar que a gordura encontrada na fruta é monoinsaturada e essencial ao bom funcionamento do organismo.

Estudos do Centro de Nutrição Humana da Califórnia (Ucla), nos EUA, comprovam que o consumo regular desse tipo de gordura é capaz de diminuir os níveis de LDL (mau colesterol) e aumentar os de HDL (o bom colesterol). Segundo Durval Ribas Filho, nutrólogo e presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), "a presença da gordura monoinsaturada é sempre recomendada para qualquer dieta equilibrada, mas sempre levando em consideração o volume calórico total diário". Isso porque em apenas 100 g da polpa de abacate há 167 calorias. Para poder aproveitar os benefícios da fruta, sem medo de o ponteiro da balança subir, o especialista recomenda o consumo de duas a três porções por semana, lembrando que cada porção equivale a 1 colher de sopa.

Doce inofensivo
Todas as frutas são benéficas e podem ser consumidas por quem tem diabetes, "mas aquelas que possuem um índice glicêmico menor são as mais adequadas, como o abacate, o pêssego, a ameixa, o morango, a cereja, a amora", afirma Durval Ribas Filho, da (Abran - Associação Brasileira de Nutrologia).

BOM PARA O FÍGADO
Um outro ponto a favor do abacate foi marcado pela Universidade Shizuoka, no Japão. Depois de investigarem 22 frutas, os pesquisadores japoneses chegaram à conclusão de que o abacate é muito mais potente para proteger o corpo contra toxinas prejudiciais ao fígado. Estas toxinas, de acordo com o estudo, são semelhantes às encontradas nas hepatites virais.

Joaquim Neto                                                                                                                                                                                                       Goiânia - GO


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Cidade do sexo

Divulgação  
Surpresa: com formas fálicas que passam a idéia de acasalamento, o complexo está orçado em R$ 260 mi  
Conheça o projeto
 

Polêmica
Cidade do sexo
Projeto de um ambicioso centro
para estudos e práticas sexuais
causa barulhenta controvérsia
no Rio de Janeiro
Por Francisco Alves Filho

A arquitetura contemporânea é pródiga em idéias polêmicas. A mais nova delas é de autoria do arquiteto carioca Igor de Vetyemy, 25 anos, criador de um projeto que detonou um debate acalorado. Como trabalho de graduação, ele criou um estranho projeto para ser construído na ligação entre as avenidas Princesa Isabel e Atlântica, em Copacabana, cujo nome não deixa dúvidas quanto à função: Cidade do Sexo. É um complexo dedicado ao sexo, com centro de estudos, lojas, consultórios médicos e – detalhe mais polêmico – uma área para a prática sexual. "A idéia é quebrar tabus", instiga Vetyemy. A proposta mobilizou líderes comunitários, arquitetos, prostitutas e o próprio prefeito Cesar Maia, que a princípio se mostrou favorável à idéia, mas voltou atrás. "Será que esse é um belo factóide de um arquiteto jovem para atrair a atenção sobre seu talento?", questionou. Entre os defensores da proposta há profissionais como Nigel Coates, o influente arquiteto e designer inglês, que declarou ao jornal The Guardian: "Não há ninguém mais entusiasmado do que eu. Se for adiante, gostaria de me envolver no processo."

Satiago Lyon/AP
O Museu Guggenheim, em Bilbao, alterou a paisagem industrial da cidade, mas não escapou das críticas

Nada na Cidade do Sexo é convencional – a começar pela sua inspiração. Vetyemy teve a idéia depois que a amiga Olivia von der Weid comentou sobre o seu trabalho de graduação em ciências sociais pela UFRJ, que tratava da troca de casais, o popular swing. "Fiquei impressionado ao constatar que até mesmo a traição é mais aceita que o sexo feito em consenso entre casais", comenta ele. Decidido a interferir através da arquitetura para ajudar a quebrar tabus sexuais, Vetyemy criou o controvertido projeto e recebeu nota 10 com louvor da banca da UFRJ. O complexo, orçado em R$ 260 milhões, foi projetado em formas fálicas ou que passam a idéia de acasalamento e espalha-se pela avenida Princesa Isabel em um design quase sem retas. "Usei o conceito de 'arquitetura líquida', que é a grande novidade mundial."

A construção do Centre Pompidou em Paris
foi condenada e até
hoje gera polêmica

A audácia, no entanto, foi mal recebida por muitos. As oito associações de moradores de Copacabana se manifestaram contra a Cidade do Sexo. "Há coisas mais importantes para se gastar dinheiro público, como saúde e educação", diz a presidente da Associação de Moradores e Amigos de Copacabana, Myriam Barbosa. Presidente da ONG Davida, que reúne as prostitutas cariocas, Gabriela Leite é outra crítica. "Essa idéia de unir consultórios médicos e centro cultural a uma área de prática sexual é um meio de domesticar o sexo, coisa ultrapassada", diz ela. "Além do mais, esse complexo é muito feio".

A favor estão principalmente os artistas e arquitetos. "Estamos diante de algo completamente novo", opina Manuel Sanches, arquiteto e sociólogo da UFRJ. Soluções inovadoras não faltam ao projeto, como a cápsula projetada para a prática das posições do Kama Sutra ou os recintos destinados ao swing. Mas da originalidade à implantação, há uma longa distância. Ouvido por ISTOÉ, o prefeito Cesar Maia juntou mais um argumento contrário: "Li no jornal que custaria R$ 200 milhões ao setor privado. Quem pagaria?" Conceitos arquitetônicos criativos geram discussão, como foram os casos do Centro Georges Pompidou, em Paris, e do museu de Bilbao, na Espanha. A diferença quanto à Cidade do Sexo é que esta última parece fadada a não ir além da polêmica.
 
fonte; istoe