segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Tragédia na sede da Renascer: no passado, imóvel já havia apresentado problemas no teto. Assista

Templo da Renascer já havia sido lacrado em 1999 por problemas no teto. Na época, imóvel apresentou problemas nas vigas do telhado, que desabou neste domingo (18).

O teto do templo da Igreja Cristã Apostólica Renascer em Cristo na Avenida Lins de Vasconcellos, no Cambuci, Zona Sul de São Paulo, já apresentava problemas há dez anos. Em junho de 1999, a igreja foi lacrada pelo Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) porque os religiosos haviam desobedecido à instrução do órgão de desocupar o imóvel.

O prédio foi interditado por apresentar problemas justamente nas vigas do telhado, conforme revelou um laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), emitido em fevereiro de 1999. O laudo descrevia que "uma das tesouras (estrutura de madeira que dá sustentação ao teto) está corrompida por cupim."

Na ocasião, o fundador da Igreja Renascer em Cristo, Estevam Hernandes, disse que a igreja já havia colocado andaimes para escorar a estrutura do templo, como recomendava o laudo do IPT, e que "as providências tomadas já eliminam os riscos apontados pelo instituto", disse Hernandes à época.

Frequentadores já haviam reclamado de prédio da Renascer, diz vítima

Uma das vítimas do desabamento e um morador da região disseram que já havia reclamações sobre a presença de rachaduras no prédio. Outro fiel disse que parte do teto já havia desabado na semana passada. O prédio, onde funcionava a sede mundial da Renascer, era uma antiga sala de cinema.

- Vimos durante essa semana o teto quebrar, caindo um pedaço e ser remendado até para poder dar continuidade a outros cultos, né? - diz o fiel, que não quer ser identificado.

Alessandra Vieira, 24 anos, vendia brindes em frente ao prédio no momento que o teto desabou. Frequentadora da igreja há 11 anos, Alessandra relatou o que aconteceu no momento da tragédia: "Foi muito rápido, eu senti um vento forte, como se fosse de um helicóptero, quando vi estava tudo caindo. Foi um terror, pessoas desmaiadas, debaixo de vigas, com fraturas expostas sangrando muito", contou.

Segundo ela, já houve reclamações sobre goteiras e havia rachaduras visíveis no teto do prédio.

Outro morador, Mauricio, de 44 anos, que trabalha em frente ao local, afirmou que o prédio é muito antigo e que sentia o barulho mover a cristaleira do apartamento onde morava, que tem a parede colada a do templo. "Aqui eram feitos shows de rock há alguns anos e era muito barulho. Eu via os cristais da cristaleira balançando. Já fizemos abaixo-assinado e nada", relatou o morador sobre o período em que morava no apartamento do primeiro andar do prédio. Segundo ele, há agora apenas cultos, cinco ou seis em um domingo e o local é bastante frequentado.

O presidente da Renascer, Geraldo Tenuta Filho, o bispo Gê, disse que recentemente não houve reforma no teto. Ele garantiu que todo o imóvel estava em ordem e aprovado pelo Contru, órgão da Prefeitura responsável pela fiscalização de imóveis na capital.

- Não houve reforma do teto. Há três anos foi feita uma pintura na frente da igreja. Estava tudo em ordem, aprovado pelo Contru, que é um órgão rigoroso - diz o bispo Gê.

Interditadas 8 casas próximas à igreja

A Defesa Civil Municipal de São Paulo interditou oito casas próximas ao prédio que abrigava a igreja Renascer, na avenida Lins de Vasconcelos, no bairro Cambuci, em São Paulo.

Os moradores que tiveram de deixar suas casas receberam o auxílio da Defesa Civil, que ofereceu a estadia em hotéis. Mas, de acordo com o representante do órgão, Fernando Ricardo, a maioria preferiu ficar com parentes e vizinhos, em casas próximas às suas.

Cinco minutos antes, Bispa Sônia falou via satélite

Segundo o segurança Donizete Daniel Gomes, da Fundação Renascer, a bispa Sonia havia falado por satélite cinco minutos antes do desabamento. O culto havia acabado de terminar e começaria outro a seguir. O segurança estava no banheiro no momento da tragédia.

Confusão com jornalistas

Supostos fiéis e simpatizantes da Igreja hostilizaram e agrediram jornalistas neste domingo (18), quando a imprensa fazia a cobertura do desabamento do teto.

Uma equipe de reportagem da TV Globo foi ameaçada e agredida pelas pessoas, algumas eram voluntárias para ajudar os bombeiros no resgate. A Renascer se desculpou com os jornalistas. Afirmou também desconhecer quais são os agressores e pediu compreensão aos jornalistas, pois a tragédia havia deixado os fiéis tensos.

Os voluntários também ajudaram doando sangue para as vítimas que estavam no hospital.

A vizinhança não dormiu de domingo para esta segunda-feira (19). Das janelas e da rua, muita gente acompanhou de perto o trabalho dos bombeiros. Mesmo durante a madrugada, a rua ficou cheia. Mesmo abaladas pela proximidade da tragédia, muitas pessoas entraram na igreja para ajudar no resgate dos feridos.

Kassab dá entrevista sobre desabamento de teto de igreja

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, dará entrevista nesta segunda-feira (19) ao meio-dia sobre as providências que estão sendo tomadas com relação ao desabamento do teto da Igreja Renascer.

Segundo a Assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, 110 pessoas foram socorridas. Cerca de 40 homens do Corpo de Bombeiros continuam vasculhando os escombros.

Segundo a assessoria de imprensa da Igreja Renascer, o local funciona como sede mundial da instituição há mais de dez anos e estava com todos os alvarás de funcionamento em dia. A última vistoria do Departamento de Controle e Uso de Imóveis (Contru), órgão municipal responsável pela avaliação das condições das edificações, ocorreu no ano passado.

Assista a reportagem da Rede Globo desta manhã (19). Atualização: o número de mortos é de 9 pessoas.

Fontes: G1/24 Horas News/Jornal do Brasil/O Globo Online/DCI

Nenhum comentário: