sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Mercado gospel, seguindo a moda politicamente correta, cria a “Bíblia Verde”

Para adaptar a Bíblia ao gosto dos ambientalistas, a editora americana HarperCollins acaba de lançar a "Bíblia Verde", para ajudar os cristãos a entenderem a mensagem ambientalista da Bíblia.

O livro, feito com 10 por cento de papel reciclado e impresso em tinta verde, apresenta passagens frisadas em verde que tratam do dever de se cuidar da terra. O site da editora afirma que a Bíblia Verde "equipará e incentivará as pessoas a verem a visão de Deus acerca da criação e as ajudará a se envolver na cura e manutenção da terra".

A Bíblia Verde contém 1.000 referências à terra — em comparação com apenas 530 referências ao amor e 490 ao céu.

"A Bíblia Verde" usa comentários de São Francisco de Assis, Papa João Paulo 2 e do ultra-liberal bispo anglicano Desmond Tutu, que apóia o "casamento" entre homossexuais. Foram impressos mais de 37.000 exemplares — e os primeiros 25.000 foram totalmente vendidos em poucas semanas.

Além da "Bíblia Verde", HarperCollins publica os livros Bíblia Satânica e Rituais Satânicos, escritos por Anton La Vey, conhecido como o Papa Negro do satanismo.

HarperCollins é dona da editora evangélica americana Zondervan, que por muitos anos foi dona da Editora Vida no Brasil.

Traduzido, adaptado e editado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Nenhum comentário: