terça-feira, 22 de julho de 2008

EUA: Programas de abstinência sexual entre adolescentes mostram bons resultados

Programas oficiais de abstinência sexual entre adolescentes, mantidos pelo governo americano, mostram resultado na queda de casos de gravidez e aborto no segmento.

Publicidade

(Fonte: Cristianismo Hoje) - O polêmico programa de incentivo à abstinência sexual entre jovens solteiros americanos, uma iniciativa do governo republicano do presidente George W.Bush bancada com dinheiro público, está mostrando resultados práticos. De acordo com o relatório oficial Abstinence education: Assessing the evidence, o número de casos de gravidez entre adolescentes caiu 38%. Já os casos de aborto envolvendo teens caíram pela metade. Os números referem-se ao período compreendido entre 1990-2004 – logo, não podem ser atribuídos exclusivamente ao incentivo à abstinência, incentivado principalmente a partir de 2001, quando Bush assumiu a Casa Branca e levantou bandeiras conservadoras como a da moralidade. Mesmo assim, os resultado do programa são considerados significativos.

Ao todo, as políticas oficiais de incentivo ao adiamento do início da vida sexual já investiram cerca de US$ 1,3 milhão (cerca de 2 milhões de reais) em campanhas educativas. Um exemplo é o programa Reasons of heart ("Razões do coração"). Em um ano de implementação, o trabalho atestou que jovens resolveram manter a virgindade por mais tempo. Outro programa, o Best friends ("Melhores amigos"), obteve resultados estatísticos favoráveis entre meninas que assumiram o compromisso de abster-se das relações sexuais pré-conjugais do uso do cigarro e de drogas. De acordo com os autores do relatório, "os programas de formação para a abstinência não afetam apenas o comportamento sexual, mas possibilitam aos jovens tomar decisões, fundamentar sua responsabilidade pessoal e desenvolver relações e casamentos sadios no futuro."

O relatório também mostra que os programas dão bons resultados em uma área extremamente importante da cultura americana: a redução de custos. O estudo aponta que os governos federal e estaduais gastam até 12 vezes mais em fomentar a educação sexual contraceptiva do que a abstinência. A Associação Nacional de Educação para a Abstinência, em um estudo de janeiro de 2008, calculou que a cada dólar gasto em educação para a abstinência, os contribuintes economizam outros 6 dólares em custos relacionados com a gravidez e a maternidade precoce.
  

Nenhum comentário: