segunda-feira, 30 de junho de 2008

Crivella é confirmado como candidato a prefeito do Rio

Em convenção, senador pede minuto de silêncio a jovens da Providência. Obra na favela foi embargada pelo TRE e depois retomada por moradores.

Publicidade

(Fonte: G1) - Na convenção que reuniu representantes do PRB e do PR realizada neste sábado (28), em Bangu, na Zona Oeste do Rio, foi confirmada a candidatura do senador Marcelo Crivella, pela coligação PRB, PR e PSDC, para disputar a eleição para a Prefeitura do Rio. O senador, que chegou acompanhado do presidente em exercício José Alencar, leu seu discurso do início ao fim e pediu um minuto de silêncio pelos três jovens do Morro da Providência, no Centro, que morreram após serem entregues por militares a traficantes do Morro da Mineira.

"Há duas semanas, no Morro da Providência, num sábado como esse, ocorreu o assassinato brutal de três jovens, que chocou a todos. Gostaria de pedir que todos fizessem um minuto de silêncio por eles e pelo Rio de Janeiro que agoniza diante de trágicos acontecimentos", pediu o senador, no início de seu discurso.

Crivella é o autor do projeto Cimento Social, que promove a reforma de casas em comunidades carentes e que estava sendo realizado por profissionais do Exército, no Morro da Providência.

Justiça Eleitoral embargou obras

Na última terça-feira (24), a Justiça Eleitoral embargou as obras do projeto alegando que a obra tinha cunho eleitoral e beneficiava o senador. No dia seguinte, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) autorizou a continuação das obras.

A polêmica em torno do projeto e da presença do Exército na favela começou há duas semanas, quando os militares que faziam a segurança da obra no morro entregaram três moradores a traficantes do Morro da Mineira, favela que é dominada pelo tráfico de drogas de uma facção rival. Os rapazes foram torturados, mortos e os corpos deixados num lixão.

Crise na saúde e na educação

O candidato da chapa "Vamos arrumar o Rio" disse que a cidade enfrenta uma grande crise na saúde, na educação e no setor de habitação popular. Crivella afirmou ainda que a política de isolamento atualmente em andamento é resultado da falta de entrosamento entre o município e os governos estadual e federal e prometeu reverter essa situação.

"Deus me deu o privilégio de servir à causa do Rio. Vamos revolucionar os conceitos de serviços públicos em todos os bairros. Nossa prioridade serão as crianças e os jovens", disse o senador.

O PRB vai lançar 77 vereadores para a eleição de 2009, enquanto que o PR terá 66 candidatos para disputar uma vaga na Câmara dos Vereadores.
  

Nenhum comentário: