sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

EUA pretendem destruir satélite na semana que vem

O satélite espião dos Estados Unidos que está desgovernado e pode cair na Terra deve ser destruído já na semana que vem, esperam os militares norte-americanos. Na quinta-feira (14), o governo dos EUA anunciou que irá lançar um míssil para poder destruir o objeto espacial antes que ele volte para a atmosfera terrestre.

A medida tem por objetivo evitar o vazamento de substância tóxica do tanque de combustível do satélite, que pode não se destruir com a sua reentrada na atmosfera.

A destruição deve acontecer com o lançamento de um míssil a partir de um navio da marinha no oceano Pacífico.

Para evitar especulações a respeito a finalidade do disparo do míssil, o governo dos EUA pretende entrar em contato com outros países para explicar o plano de destruir o satélite.

No anúncio de quinta-feira, militares e representantes do governo informaram que o satélite contém cerca de 450 kg de hidrazina, produto altamente tóxico que pode causar mortes quando atingir o solo. Apenas este motivo, informaram eles, convenceu o presidente George W. Bush a ordenar a destruição.

Segundo informou o governo, a destruição do satélite fora da atmosfera terrestre não oferece risco para os seres humanos e a probabilidade de dar errado é pequena

Segundo o representante do Pentágono, James Cartwright, são grandes as chances do satélite ser atingido logo na primeira tentativa --mais de 80%.

Lançado em 2006, o satélite espião registrado como US 193 perdeu energia e seus sistemas de controles falharam logo após ser colocado em órbita, deixando-o descontrolado.

Caso a destruição do objeto pelo míssil tenha sucesso, muitos dos fragmentos do satélite devem se desintegrar ao reentrarem na atmosfera, informaram os representantes do governo. Porém alguns continuariam na órbita terrestre como "lixo espacial".

Com Associated Press

Nenhum comentário: