quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Papa breca processo de canonização de Pio 12, diz jornal


Os esforços para transformar em santo o papa Pio 12, no comando do Vaticano durante a Segunda Guerra Mundial, foram paralisados porque o papa Bento 16 deseja um estudo mais aprofundado de alguns documentos, afirmou um jornal da Itália na terça-feira.

Publicidade

(Fonte: O Globo Online) - Segundo o Il Giornale, o líder católico decidiu criar uma comissão dentro de seu Secretariado de Estado, o órgão diplomático do Vaticano, para rever antigos documentos da época da Segunda Guerra e analisar novos documentos surgidos recentemente.

Alguns judeus acusam Pio 12, no comando da Igreja Católica de 1939 a 1958, de ser indiferente em relação ao Holocausto e de não se manifestar contra Hitler. Os defensores do papa vêem nele um homem santo que trabalhou desde os bastidores para ajudar os judeus na Europa toda.

Em maio passado, o departamento do Vaticano responsável pelos processos de canonização aprovou um decreto reconhecendo as "virtudes heróicas" de Pio 12, superando assim um obstáculo importante nos esforços para transformá-lo em santo, iniciados em 1967.

Mas, até agora, Bento 16 não sancionou o decreto, o que significa que o processo continua paralisado e que Pio 12 não pode ser beatificado, o primeiro passo rumo à canonização.

O repórter responsável pela informação, Andrea Tornielli, que escreveu quatro livros sobre Pio 12, disse que o Vaticano não questionava a santidade dele, mas se preocupava com as conseqüências de transformá-lo em santo cedo demais.

Um porta-voz do Vaticano disse que não poderia confirmar se o papa havia ou não criado uma comissão interna.

Integrantes do Vaticano dizem que cardeais aconselharam Bento 16 a diminuir o ritmo do processo de canonização de Pio 12 devido o eventual impacto dele sobre as relações com os judeus e com Israel.

O Vaticano argumenta que o papa da época da Segunda Guerra não deu declarações mais contundentes contra o Holocausto porque temia provocar uma reação nazista e tornar ainda mais difícil a vida dos católicos e dos judeus.

Defensores dele dizem que Pio 12 mandou igrejas e conventos de Roma receberem judeus depois de os alemães terem ocupado a cidade, em 1943.

Vários grupos judaicos, em especial a Liga Antidifamação, com sede nos EUA, já pediram que o Vaticano suspenda o processo de canonização enquanto não divulgar todos os seus documentos secretos referentes à Segunda Guerra.
  


                  Luis Martins
                 Conferencista
          jornalgenesis@gmail.com
       www.jornalgenesis.blogspot.com

Nenhum comentário: