segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Monges atacam policiais diante de Embaixada no Camboja

Monges atacam policiais diante de Embaixada no Camboja
Publicidade

da Efe, em Phnom Penh

Cerca de 50 monges cambojanos atacaram nesta segunda-feira (17) com pedras a Polícia depois de serem impedidos de entregar uma carta à Embaixada do Vietnã pedindo a libertação de um monge preso nesse país.

Os monges, pertencentes à etnia kampuchea krom, no delta do Mekong, realizavam uma manifestação pacífica em frente à Embaixada, em Phnom Penh, quando funcionários consulares impediram sua entrada.

A chegada de aproximadamente 60 policiais antidistúrbios, que segundo algumas testemunhas maltrataram os monges, foi respondida por estes com o lançamento de pedras e garrafas.

Os monges fugiram em seguida do local a pé e usando vários triciclos a motor. Nenhum deles foi detido.

"Os monges só queriam entregar o pedido, mas a Polícia se comportou tão mal que reagiram atirando objetos", disse An Sam Ath, da organização de direitos humanos Licadho.

O ativista acrescentou que é "uma vergonha que o governo cambojano critique Mianmar (antiga Birmânia) por atacar seus monges e faça o mesmo com os monges cambojanos".

Os monges reivindicavam a libertação de Tim Sakhorn, preso no Vietnã e que pode ser deportado caso Hanói aceite um pedido emitido pelo Camboja.

O governo cambojano alega que o monge foi detido devido a uma "inadequada conduta sexual", mas os grupos de direitos humanos dizem que o pedido de deportação possui a motivos políticos.

A etnia cambojana krom procede da parte do Mekong que foi cedida ao Vietnã após as negociações com a França, a antiga colonizadora, que desembocaram na independência.

 
                  Luis Martins
                 Conferencista
          jornalgenesis@gmail.com
      www.jornalgenesis.blogspot.com

Nenhum comentário: