segunda-feira, 25 de junho de 2007

TRANSFORMAÇÃO OPERADA POR DEUS


TRANSFORMAÇÃO OPERADA POR DEUS
DOS PALCOS PARA O PÚLPITO

Aos 4 anos pisei no palco pela 1a.vez, aos 9 anos(jan/1969), já era profissional com o espetáculo “Mogli, o menino lobo”. Agora em 2007, completo 38 anos de carreira, trilhando uma estrada por todos os veículos artísticos: 6 novelas e um “caso especial” na TV Globo, 1 novela na TV Manchete, 7 longas metragens, programas humorísticos e de auditório, 24 fotonovelas(revistas), entrevistas, espetáculos adultos,18espetaculos
Infantis, dublagens, anúncios para TV e rádio, além de 27 capas de Revistas.Alem de também ter produzido espetáculos adultos e infantis, de autoria e direção de Jonas Bloch, Oswaldo Loureiro, Lupe Gigliotti, etc.
E A GRAÇA DE DEUS CAIU SOBRE NOSSAS VIDAS:
Havia feito minha 4a. novela na Tv Globo “Paraíso”, e fiquei afastada por 6 anos.Não entendia o porque e me indagava sobre algo errado que eu poderia ter feito. Ouvi o conselho de uma amiga, que levou-me para as mãos de uma espírita. Paguei um determinado valor e assim o “trabalho” foi realizado. Uma semana após a Globo convidou-me para fazer a novela “TIETA”. Ao término da novela, novamente recorri a “mãe de santo”. O “trabalho” custou mais caro e a “benção” foi menor. Voltei a “mãe de santo” e fiz um 3o.trabalho. Tendo que recorrer a agiotas, vender jóias... sabe o que me aconteceu? NADA!. Cuidado, o diabo engana você! Ele lhe compra com presentes e facilidades, porém depois vem buscar sua alma...o preço é caro!
Nesse momento, achava ter uma aliança com as entidades, pois, tudo que eles pediam, eu ofertava e os servia, tinha muitas imagens, andava com guia no pescoço, no bolso e no carro. Acendia velas para “Tranca Ruas” e “Maria Padilha”. Fiz promessas para São Jorge e Cosme e Damião: reverenciava “obaluaê” (rei dos cemitérios) que disseram ser o meu “pai” e a “Oxum” minha “mãe”. MAS DEUS MARCOU UM ENCONTRO COMIGO E COM MINHA FAMILIA1
Em um almoço de sábado, quando meu filho viu o que havia à mesa, revoltado disse: “para os santos você dá o que eles pedem, para mim, seu filho, você dá o que tem”. A discussão tomou um rumo desastroso, começou a comparar-me com outras mães e a ofender-me... naquele momento olhei para o alto e perguntei: Cadê Deus? Deus existe? Então, Cláudio lançou sobre mim a pior frase que já ouvi em toda a minha vida: “Preferia ter morrido a ter uma mãe como você, mulher!” Completamente fora de mim, lancei uma faca na direção do rosto de meu filho. A guerra espiritual era muito grande: de um lado “satanás” dizia: “eu tiro a vista deste moleque”, e do outro lado estava o Senhor Deus com a sua legião de anjos e. naquele momento, quando a faca foi lançada e não atingiu o rosto do meu filho, foi porque as mãos do anjo do Senhor a desviou!!! Naquele instante a graça de Deus caiu sobre nossas vidas! Hoje nós somos a luz do mundo, o sal da terra. Eu clamava o nome de Deus. Ele se fez presente. Estava sendo cumprido o plano de salvação em nossas vidas, SL: 139.16.
Converti-me em 15 de junho de 1997, a 10 anos na missão evangelística, já comemoramos 700 testemunhos e palavra, Glória a Deus!.Tenho vivido exclusivamente da obra do Senhor.Minha conversão foi radical! Nasci novamente, senti que tinha de começar do ZERO. Fiz vários pequenos seminários, e hoje diplomada Bacharel em teologia na AGRADE-Academia Teológica da Graça de Deus,dirigida pelo Miss. R.R. Soares. Também ordenada Pastora da Comunidade Vida Cristã, Barra da Tijuca-Rio, Bp.Tom e Bpa. Regina.
SIMONE CARVALHO
Contatos: http://by110fd.bay110.hotmail.msn.com/cgi-bin/compose?mailto=1&msg=C38FB57F-A3D9-4494-A77F-1CF4A9941E5B&start=0&len=555869&src=&type=x&to=so-gospel@hotmail.com&cc=&bcc=&subject=&body=&curmbox=00000000-0000-0000-0000-000000000001&a=cdfd2f8ab5d65f36f7b067187327f47a45f34bde5a5dfc56dfe5a21734c98cbd ou (21)2437.3863 e 99734934

sexta-feira, 22 de junho de 2007

UM PAÍS DE LARÁPIOS?

UM PAÍS DE LARÁPIOS?


Públio José – jornalista
(publiojose@digizap.com.br)

Já se disse muita coisa acerca do Brasil – tanto por aqui como por aí afora. País do futuro, nação em desenvolvimento, país emergente, futura potência mundial, etc, etc. A isso tudo eu assisto e, em certas ocasiões, dependendo do tamanho e da lógica do elogio, até me ufano. Realmente, é bom você ser natural de uma região que vem recebendo menções favoráveis à medida que o tempo avança e que novas realidades se impõem. Isso nos massageia o ego, não é verdade? Mas, ultimamente, apesar da repetência dessas expressões colocando o Brasil num patamar até razoável, certos fatos vêm contribuindo para deixar nosso otimismo abaixo de zero. E o que se vê, como conseqüência daí advinda, é o pessimismo em galope solto tomando conta dos corações e das mentes dos brasileiros diante da dura rotina posta diante dos nossos olhos. É lamentável, não resta dúvida, o que vem ocorrendo no e com o Brasil.
À medida que o tempo passa mais se cristaliza nas pessoas a inclinação de que não há vantagem nenhuma em permanecer por estas latitudes numa posição de honestidade. E muito menos no cultivo de um caráter reto, firme, voltado para a defesa de valores e princípios que norteiem o bom proceder. A realidade que se vê, por onde se anda, é a presunção, assumida de forma acintosa, na grande maioria das pessoas, de que o negócio é levar vantagem – não importam os meios, os instrumentos, as condições. Haverá exceções? É a grande esperança que nos resta. De que um remanescente, mesmo que uma diminuta semente brasileira, segure, mantenha, preserve a bandeira da dignidade, da moralidade, da honestidade, da nobreza de caráter, enfim. E de onde virá tal contingente? De qual extrato social surgirão estes defensores da implantação de novos hábitos, de novos costumes?
Se olharmos hoje para os Olimpos nacionais, onde vicejam e transitam o que se convencionou denominar de lideranças, a coisa está feia. Pois é das tais lideranças – quer sejam políticas, governamentais, empresariais, judiciais, policiais e mais outros ais que não me lembro agora – de onde surgem e prosperam os piores exemplos de corrução, indignidade, desfaçatez, desonestidade, hipocrisia, roubo, e outros predicados semelhantes. Aí está, portanto, o grande dilema nacional: para quem olhar, a quem recorrer. Pois em qualquer ajuntamento civilizado, nos momentos das piores crises, sempre há que se buscar exemplos em pessoas que exalem confiança, que transmitam dignidade, que impregnem o ambiente nacional com o halo de sua sabedoria, com a firmeza de seu caráter. Agora me responda sinceramente. No Brasil atual em quem nos mirar? Há quem seguir? Há quem ouvir? Em quem confiar?
Na qualidade de brasileiro, me vejo assim em situação bastante desvantajosa em relação a habitantes de outros países. Não que, com isso, eu queira dizer que tudo lá fora é bom e que por aqui nada presta. Não é isso. Mas vejo o exemplo do Primeiro Ministro inglês renunciando ao cargo em função de medidas, por ele adotadas, em desacordo com o povo, relacionadas à guerra do Iraque. Já por aqui... Por aqui o Presidente do Senado Federal, flagrado em convivência escandalosa com a tesouraria de uma empreiteira, permanece ancorado na sua cadeira por conta de uma vergonhosa operação de blindagem executada pela grande maioria de seus pares. Será que terei de concluir, então, que brasileiro é brasileiro e que inglês é inglês, espécimes, portanto, de origens e escopos diferentes? Recuso-me a aceitar isso. Prefiro sonhar com um horizonte diferente. Será que me darão, pelo menos, direito a isso?

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Capacete da Salvação

Salvação:Precisamos estar certos que somos salvos. Ef. 2:8,9 `Porque, pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus, não vem de obras para que ninguém se glorie`.Se somos salvos, somos espirituais. Em Jo 3: 6 Jesus disse: "O que é nascido da carne, é carne e o que é nascido do Espírito é espírito". Isto significa que, estávamos mortos e revivemos, pelo novo nascimento.Nascemos de novo, isto é,... somos novas criaturas, "Se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo".II Co. 5:17. Nada mais pode interferir no nosso relacionamento com Deus e, também não pode nos deixar dúvida com relação à nossa salvação.Então, por que tanta coisa interfere entre eu e Jesus ?¬-- Porque você ainda não tem usado a armadura de Deus que está à nossa disposição; porque você está lutando ou, pelo menos, tentando lutar com as armas da carne: sabedoria, habilidade, riqueza, capacidade de organização, influência, intelecto, força de vontade, determinação, orgulho, etc., etc...Você pode estar lutando com a força da carne, mas a armadura de Deus é Espiritual e, a nossa luta não é contra a carne e sangue, mas, sim, contra os principados e contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.Veja Efésios 6: 10-17.Mente: Campo de Batalha EspiritualSatanás é ardiloso, ele nos pega onde achamos que ninguém nos acha. O único lugar do homem que ninguém conhece é em sua mente. Sabemos que Deus conhece nossos pensamentos, mas Satanás não conhece, aí então achamos, porque ele não conhece, os pensamentos são nossos mesmos. Errado..., Satanás não pode saber nossos pensamentos, mas ele pode induzir pensamentos (dardos inflamados, setas malignas).Esta é a área em que ele tem o maior sucesso, é, quando ele nos induz pensamentos como se fossemos nós mesmos, aí então, conforme nossa expressão, pelo nosso comportamento ele sabe se caímos na armadiEsta mensagem foi enviada por Pr. Inácio Pinto. Para ver o perfil de Pr. Inácio, clique em:http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=11750816878267789582* * *

quarta-feira, 13 de junho de 2007

22: 27 E, vendo a jumenta o Anjo do SENHOR, deitou-se debaixo de Balaão; e a ira de Balaão acendeu-se, e espancou a jumenta com o bordão.

22: 27 E, vendo a jumenta o Anjo do SENHOR, deitou-se debaixo de Balaão; e a ira de Balaão acendeu-se, e espancou a jumenta com o bordão.
28 Então, o SENHOR abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes?
29 E Balaão disse à jumenta: Porque zombaste de mim; tomara que tivera eu uma espada na mão, porque agora te mataria.
30 E a jumenta disse a Balaão: Porventura, não sou a tua jumenta, em que cavalgaste desde o tempo que eu fui tua até hoje? Costumei eu alguma vez fazer assim contigo? E ele respondeu: Não.
31 Então, o SENHOR abriu os olhos a Balaão, e ele viu o Anjo do SENHOR, que estava no caminho, e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça e prostrou-se sobre a sua face.

E a jumenta falou.
É brincadeira? Uma jumenta falou para um profeta. Um animal foi usado por Deus para mostrar a um profeta, o cara que se acreditava que tinha intimidade com o Senhor, coisas que ele como homem experiente e experimentado não enxergava. Decerto, como muitos homens e mulheres hoje, estava tão “acostumado a ouvir a voz de Deus” que achava isso um fato comum, corriqueiro na sua vida e por isso “distraiu-se”, teve um “lapso” e na pode ver o que até um animal irracional via.
Muitas coisas cegam os grandes e poderosos, os que acham-se inatingíveis e donos da verdade, mas a pior de todas é a vaidade. Assisti um filme chamado Advogado do Diabo, onde o cão dizia ao final que o pecado que ele mais gostava no homem é a vaidade. Eita!
O melhor dessa historia, da bíblica acerca de Balaao, é que a jumenta não era vaidosa. Ela foi usada por Deus, falou, profetizou, maravilhas aconteceram através dela e depois ela se calou e até hoje as jumentas descendentes dessa ilustre personagem aguardam o momento que, porventura queira o Senhor usá-las novamente. Já imaginou se essa jumentinha tivesse agido como muitos conhecidos nossos que somente porque foram usados uma única vez por Deus, se autoproclamam sucessores de Paulo, de João Batista e até do próprio Jesus? Certamente teríamos uma linhagem de jumentas proféticas por ai atazanando nosso juízo.
Ela foi usada uma vez e pronto.
Não sei quantas vezes você foi usado por Deus, mas sei que o melhor é somente falar por Ele quando ELE mandar. Esperar que Ele determine o que fazer e acima de tudo, principalmente ser humilde como o REI DOS REIS o foi.
Eu, humildemente, rogo ao Senhor que hoje te de um dia de vitórias e que o nome dEle, não o teu, seja exaltado em tua vida.
Deus te abençoe, FARTA e PODEROSAMENTE em nome de Jesus.
Pr ROBERTO Dantas

Visite nosso site www.clinicadalma.com.br
http://flogao.com.br/pwluismartins

terça-feira, 12 de junho de 2007

Joel 2:12) Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto.


Joel 2:12) Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto.
(2:13) E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em beneficência e se arrepende do mal.
(2:14) Quem sabe [se] se voltará, e se arrependerá, e deixará após si uma bênção, [em] oferta de manjar e libação para o SENHOR, vosso Deus?

Qual seria a sua reação se um desconhecido lhe parasse na rua, em meio ao seu caminho do trabalho e começasse a contar as suas dificuldades, a falar de suas noites sem dormir, de suas dores... Muitos de nós, provavelmente, nem parariam, dariam uma desculpa qualquer e seguiriam seu caminho, afinal somos muito ocupados.
Se fosse talvez um conhecido que só aparece de vez em quando, principalmente em suas dificuldades, se lamentando e sempre pedindo socorro, talvez nossa reação não fosse diferente, viraríamos as costas àquele inconveniente e rapidamente sumiríamos.
Mas se por outro lado, fossemos procurados por um filho querido, um amigo caro ou o amor que alegra nosso coração, certamente não mediríamos esforços e, se necessário, moveríamos céus e terras para atende-lo.
É justamente isso que Deus está querendo de nós nos versículos acima. Ele não quer nos ver como o cara chato que só o procura para pedir e se queixar, mas espera de nós um relacionamento de adoração, de busca verdadeira e de amor a todo tempo.
Deus não é um ídolo de pau ou pedra, insensível e inerte que não se dê conta do que se passa em volta. Ele é o Criador de todas as coisas, pleno de amor pelos homens a ponto de dar seu filho por nós que não merecíamos e continuamos a não merecer tal sacrifício.
Deus quer te ver com olhos de pai que é amado pelo filho, com quem tem intimidade e um relacionamento de gratidão e carinho.
Procure o Senhor enquanto se pode achá-lO e tenha a proteção e os cuidados deste pai extremante zeloso.
Deus te abençoe FARTA e PODEROSAMENTE em nome de Jesus.

Pr ROBERTO Dantas

Visite nosso site www.clinicadalma.com.br TEMOS NOVIDADES!

Gn29:18) E Jacó amava a Raquel e disse: Sete anos te servirei por Raquel, tua filha menor. (29:19) Então, disse Labão: Melhor [é] que eu ta dê do que


Eita amor bonito esse. Valeu 14 anos de trabalho, porque ele trabalhou sete e mais sete para ter suas amada ao seu lado. Acho que uma garota como essa não precisa mais ter duvidas do seu amor.
Me lembro que quando eu era adolescente, minha segunda namorada pediu uma prova de amor e eu fiquei meio temeroso pelo que iria pedir, mas ate que não foi coisa muito impossível, ainda bem que ela não tinha a imaginação muito fértil.
Dia a dias nós temos que dar provas de amor a quem esta ao nosso lado, porque simplesmente falar EU TE AMO não é suficiente, é necessário viver e demonstrar esse amor proclamado. É necessário que nossos amados sintam a nossa presença em amor, ao seu lado intensa e permanentemente.
Não podemos estar presos a datas e momentos para provar e aprovar nosso amor, mas constantemente temos que fazer declarações e mimos para agradar a quem acelera nosso coração. Mas ainda fico pensando que trabalhar 14 anos por um amor é muito. Levanta a
mão ai quem faria isso... Eu não posso levantar porque estou escrevendo, mas se não estivesse não sei se o faria. É muito tempo... Talvez se fosse em menos tempo, né?

Mas se essa simples prova de amor já é pesada pra mim, pra eu entender, o que me dá um nó na cabeça é tentar entender o tamanho do amor que leva alguém a dar a sua vida por um amigo. E por um inimigo então? Aí é loucura, é coisa que não dá pra entender mesmo.
Não foram 14 anos, foram dois dias de angustia e sofrimento que levaram o ÚNICO homem que NUNCA PECOU, cordeiro sem mácula, sem defeito, a dar a sua vida por mim, que nunca mereci e continuo a não merecer. Que deu sua vida por você que acredito merecer tanto quanto eu.
Mas Ele fez isso sem pestanejar, suportou todas as humilhações, torturas, dores e sofrimentos simplesmente para ter propriedade em dizer ao teu ouvido hoje, te abraçando ternamente: EU TE AMO.
Jesus te ama.
Eu também te amo em Cristo Jesus. Seja feliz, seja vitorioso no dia de hoje.

Deus te abençoe, FARTA e PODEROSAMENTE em nome de Jesus.

Pr ROBERTO Dantas


PS. Por favor, se você não quiser mais receber essas mensagens diárias, me avise que tiro seu nome da lista e já te peço desculpas pelo incomodo. Se esta gostando, mande o email de pessoas que você quer abençoar também.


Visite nosso site www.clinicadalma.com.br

Igreja Batista Lírio dos Vales – Costa Azul

segunda-feira, 11 de junho de 2007

RENAN, O BONZINHO


Públio José – jornalista
(publiojose@digizap.com.br)

Uma cena que muito me emocionou ultimamente aconteceu durante entrevista dada à Imprensa pelo senador Renan Calheiros, no saguão do Senado Federal, logo após ter feito sua defesa às denúncias de recebimento de doações ilegais por parte de uma empreiteira. Ali, diante de uma montanha de microfones, de uma multidão de repórteres do país inteiro, com semblante angelical, o parlamentar deu uma verdadeira aula de bondade, de piedade, de altruísmo, de preocupação com o bem estar do próximo. Quanta sabedoria, quanto discernimento, quanto conhecimento, demonstrado diante de todos, de práticas familiares e de conceitos cristãos! Quase fui às lágrimas. Em primeiro lugar se disse tranqüilo, não temendo nada que pudesse lhe acontecer como resultado às denúncias de pagamento de contas pessoais suas por uma empresa prestadora de serviço a órgãos do governo.
Em segundo lugar, quase choroso (que peninha!), confessou-se zeloso cumpridor de suas obrigações como pai, mesmo de criança gerada em relação extraconjugal. Disse lá pras tantas que protegeu a mãe e o rebento, dando-lhes toda provisão necessária à travessia do período de gestação. Quanta bondade! Fico até pensando, cá com meus botões, se a partir de agora não me inclino a sugerir o nome do senador Renan Calheiros como conselheiro, aliás, bastante qualificado, em assuntos envolvendo a família brasileira. A preocupação por ele demonstrada com o destino da criança, incluindo nesse rol de atitudes uma bela quantia para um fundo de educação e cultura (que golaço, Renan, que golaço!) nos passa uma idéia bem aproximada do caráter e dos nobres sentimentos que se aninham no coração do ilustre parlamentar. E nos levam a concluir pela absoluta validade de conceder-se a ele mais este título.
Renan, o conselheiro da família brasileira! Renan, o bom! A entrega da comenda dar-se-ia, com certeza, em seção solene do Congresso Nacional, com a presença, além dos seus pares, de padres, bispos, pastores, cardeais e demais lideranças das várias correntes religiosas que lustram o céu cristão do Brasil. Com o adendo de que, logo em seguida, na Praça dos Três Poderes, uma estátua do exemplar alagoano seria inaugurada – para glória dos ditames, diretrizes e políticas voltadas para a defesa, o engrandecimento e a solidificação da família brasileira. Depois, num encadeamento lógico, em reunião ministerial, presidida pelo Presidente da República, ao lado o ilustre senador, haveria o lançamento de um novo plano governamental: o PDDF – Plano de Desenvolvimento e Defesa da Família. Muitas palmas para o senador, reconhecimento internacional também. Viva! Viva Renan!
Convém não esquecermos, mesmo diante de tanto ufanismo, da primeira parte da entrevista do senador. Aquela na qual afirmou está tranqüilo – apesar da metralha das denúncias. Momentos depois da afirmativa, o Brasil inteiro passou a ver, nos detalhes, o motivo de tanta tranqüilidade. O Senado inteiro, com raríssimas exceções, passou a trabalhar, com denodo, no sentido de blindar o acusado, de livrá-lo acintosamente da sua inexorável prestação de contas com o fruto de suas capiloçadas. Coisa feia! Anexando-se a esta farsa a outra, na qual Renan Calheiros posa de angelical defensor de si mesmo como pai zeloso, teremos o retrato fiel do ponto em que chegou a devassidão moral e a certeza da impunidade que permeia, hoje em dia, o ambiente parlamentar brasileiro. Enquanto isso, a alma da nação brasileira chora, convulsivamente, clamando por justiça. Justiça, nada mais que justiça.

sexta-feira, 8 de junho de 2007

G8 encerra cúpula hoje sem acordo sobre Kosovo


Ao final da cúpula do G8 (sete países mais industrializados mais a Rússia) nesta sexta-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que o único tema sobre o qual não foi alcançado um consenso é a questão da independência de Kosovo. A polêmica discussão sobre a Província sérvia separatista colocou de lados opostos a Rússia, aliada de Belgrado, e os outros parceiros do bloco.
A ONU estuda oferecer uma independência tutelada à Província, o que é rejeitado pelo Kremlin por abrir o caminho para a independência total no futuro. O plano da ONU prevê que Kosovo deveria ter sua própria Constituição, hino e bandeira, e que a Província pode pedir para ser membro de organizações internacionais --o que daria efetivamente a ela um status de governo soberano.
Editoria de Arte/Folha Online
Kosovo tem sido um protetorado internacional desde a guerra de 1998-1999 entre tropas sérvias e descendentes de albaneses lutando por independência. O governo em Belgrado ofereceu ampla autonomia à Província, mas rejeita uma separação total como exigida pelos kosovares albaneses. A Sérvia considera Kosovo como seu território histórico, além do berço original do Estado e da religião sérvios.
O presidente francês, Nicolas Sarkozy, lamentou hoje que não tenha sido alcançado nenhum progresso a respeito de Kosovo. Sarkozy tentou sem sucesso convencer a Rússia a reconhecer que a separação entre Kosovo e a Sérvia é "inevitável". Uma proposta de adiar por seis meses a votação sobre o plano no Conselho de Segurança da ONU também foi rechaçada pelo Kremlin.
A falta de acordo já era prevista. O presidente russo, Vladimir Putin, deixou recentemente patente sua postura ao negar que o caso do Kosovo seja diferente dos de outras regiões com movimentos separatistas, como a Abkházia, a Ossétia do Sul, a Transnístria e o País Basco --para os quais não há pressão internacional a favor de independência. "Não entendemos por que teríamos que apoiar uma série de princípios em uma parte da Europa e outra em outras regiões do continente", disse Putin.
Acordos firmados
Em seu discurso de encerramento da cúpula, que se realizou durante três dias em Heiligendamm, na Alemanha, Merkel comemorou os acordos firmados sobre medidas para conter o aquecimento global e as negociações para aplacar a tensão entre Estados Unidos e Rússia.
O acordo firmado ontem sobre medidas para deter o avanço das mudanças climáticas foi considerado um "grande êxito" por Merkel e outros líderes do G8, como Sarkozy e o premiê britânico, Tony Blair.
AP
Angela Merkel (de verde) afirmou que novo acordo sobre clima é "grande êxito"
Apesar disso da oratória, na prática o acordo não fixou a obrigatoriedade de redução pela metade das emissões de gases do efeito estufa até 2050, como pretendia Merkel. Sob pressão dos EUA, o texto do acordo diz apenas que os países "considerarão seriamente" estes valores de redução.
O conselheiro de segurança nacional americano Stephen Hadley afirmou hoje que o acordo não traz nenhum limite de cumprimento obrigatório. Para ele, há diferentes propostas de "objetivos a longo prazo" que são desejáveis, mas o G8 "não escolheu uma meta" entre essas propostas.
Ainda assim, o acordo traz avanços. O texto mostra que há um novo impulso para aumentar os objetivos do Protocolo de Kyoto para além de 2012. 'Merkel pode ser prática e pragmática, e acho que ela alcançou mais do que esperava', disse Hans-Joachim Schellnhumber, líder de um instituto de pesquisa sobre clima alemão e conselheiro da chanceler.
EUA x Rússia
Após meses de tensão, a cúpula do G8 trouxe uma nova esperança para a disputa entre EUA e Rússia a respeito do sistema de defesa americano que a Casa Branca quer implementar no Leste Europeu.
O plano enfrenta dura resistência da Rússia, que ameaçou retaliações caso os EUA levem adiante a implantação do sistema.
Gerald Herbert/AP
Bush (ao fundo) e Putin estudam cooperação em segurança
Ontem, porém, Putin apresentou uma contraproposta inesperada para substituir o plano: ele propôs a Bush que os dois países utilizem conjuntamente o radar de Gabalá (no Azerbaijão), que permite detectar a trajetória de eventuais mísseis disparados a partir do Irã ou do Iraque.
"Podemos utilizar o radar em regime automático e todo o sistema protegeria não apenas uma parte do continente, mas toda a Europa, sem exceções", afirmou Putin à imprensa russa, segundo a agência Interfax. "Isso excluiria a ameaça de que restos de foguetes caiam sobre o território dos países europeus", completou.
Bush disse após a reunião com Putin ontem que eles concordaram em manter o diálogo estratégico sobre formas de cooperação. Ainda nesta sexta-feira, ele deverá viajar para a Polônia para discutir o escudo antimísseis, que no plano original seria implantado neste país e na República Tcheca.
África
Antes de encerrar a reunião na Alemanha, os países do G8 renovaram o compromisso de destinar US$ 60 bilhões em ajuda à África, especialmente em sua luta contra doenças como a Aids e a malária.
"Nós cumpriremos nossas promessas, mas também esperamos que se possa controlar o que os países africanos farão com o dinheiro", afirmou Merkel, que falou à imprensa hoje ao lado do presidente de Gana e da União Africana, John A. Kufour.
Merkel enfatizou que a ajuda será condicionada às provas de boa governança dos países receptores. "Sem um bom governo, todas as outras reformas terão impacto limitado", afirmou um comunicado emitido pelo G8 sobre a África.
O compromisso irritou membros de organizações humanitárias que acompanhavam as evoluções da cúpula. De acordo com os críticos, a soma de US$ 60 bilhões acordada não cumpre um acordo anterior, firmado em 2005 na Escócia, que previa dobrar a ajuda humanitária à África.
"Estou exasperado", disse o ativista e músico Bono Vox. "Acho que usaram deliberadamente uma linguagem imprecisa. Estão deliberadamente nos enganando", completou ele.
O acordo da cúpula não especifica datas para a liberação do montante e diz apenas que o dinheiro será enviado "durante os próximos anos".
O presidente dos EUA, George W. Bush, não compareceu a algumas sessões da cúpula sobre a África devido a um mal-estar estomacal na manhã de hoje, segundo seus assessores. Ele se recuperou após atendimento médico e foi a outras reuniões.

Lula diz que Chávez foi democrático ao não renovar concessão de TV

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que a não-renovação da concessão da RCTV pelo presidente venezuelano Hugo Chávez foi um ato tão democrático quanto seria a possível manutenção da concessão da emissora.
Em entrevista exclusiva à Folha (só para assinantes), Lula ressaltou que não dá para "ideologizar" o tema, pois o mesmo Estado que dá uma concessão é o mesmo que não dá.
"O Chávez teria praticado uma violência se tivesse, após o fracasso do golpe [contra o venezuelano em 2002], feito a intervenção na televisão", disse durante a entrevista, concedida ao colunista da Folha Clóvis Rossi, na embaixada brasileira em Berlim.
Lula está na capital da Alemanha para a reunião da cúpula de chefes de Estado e governo dos sete países mais industrializados do mundo e a Rússia (G8). No encontro de hoje, o presidente brasileiro deverá propor a convocação de uma nova conferência ambiental no Rio.
Na entrevista, Lula só falou sobre política externa, principalmente sobre a relação entre Venezuela e Brasil. O presidente disse que nos quatro anos de mandato já viu muitas brigas entre países latino-americanos, e ressaltou que é preciso tomar cuidado com discursos porque, às vezes, "a radicalização verbal atrapalha muita coisa".
"Você dá uma declaração num lugar e, dependendo do interesse local, a imprensa dá uma manchete e cria-se uma animosidade nacional numa coisa que não precisaria. A nota que o Senado brasileiro fez em relação à televisão do Chávez é uma nota branda. É um apelo, não tem nenhuma agressão. Agora como é que chegou a ele, eu não sei", afirmou Lula, sobre o posicionamento do Senado brasileiro em relação ao fechamento da RCTV.
Após tomar conhecimento de parlamentares brasileiros, Chávez disse que o Senado agia "como um papagaio" do Congresso americano e que era mais fácil o Brasil voltar a ser colônia portuguesa do que o seu governo devolver a concessão ao canal oposicionista RCTV.
PT
O PT, partido do presidente Lula, também apoiou a decisão de Chávez de não renovar a concessão da RCTV. O posicionamento do partido foi por meio de nota da Secretaria de Relações Internacionais do partido.
Na nota, o PT informa que a não renovação da concessão da RCTV "seguiu todos os trâmites previstos pela legislação venezuelana".
"É público e notório que a RCTV envolveu-se abertamente com o golpe fracassado contra o governo Chávez, atitude que em qualquer país do mundo justificaria o questionamento da concessão pública a uma rede de televisão", diz nota da Secretaria de Relações Internacionais do partido.

terça-feira, 5 de junho de 2007

O OLHAR DE VERÔNICA

Públio José – jornalista
(publiojose@digizap.com.br)

Os jornais previram e, de fato, foi o que se viu. O auditório do Senado Federal lotado em plena segunda-feira, fato realmente admirável, registrado pela crônica política por todo o Brasil. Dias antes, o presidente do órgão, senador Renan Calheiros, ao telefone, mantivera contato com todos (ou quase todos) os senadores, mesmo os de partidos de oposição, instando-os a se fazerem presentes à seção na qual se defenderia das acusações que a revista Veja lhe fizera, de receber doações ilegais da construtora Mendes Junior. Afirmava, em tais contatos, está devidamente documentado para provar sua inocência no caso, além de está em condições, também dizia, de colocar, de uma vez por todas, ponto final na questão. Político bem sucedido, e bom marqueteiro, como demonstrado em vários episódios, Renan soube “enfeitar o pavão” de tal maneira que a presença em plenário foi além das expectativas.
\u003c/span\>\u003c/b\>\u003c/p\>\n\u003cp style\u003d\"margin:0cm 0cm 0pt;text-align:justify\"\>\u003cb\>\u003cspan style\u003d\"font-size:12pt\"\>\u003cfont face\u003d\"Times New Roman\"\>\u003cspan\> \n\u003c/span\>Estavam todos lá – inclusive os cardeais mais reverenciados dos grandes \npartidos. Reinava no auditório um ar solene. E o semblante dos parlamentares se \nafigurava extremamente circunspecto. Alguns olhavam para o senador Renan \nCalheiros com um acentuado sentimento de esperança, como se dissessem “vai, \nRenan, que a bola é tua!” Já outros parlamentares tinham no senador um político \nà beira do precipício, crendo que em mais um pouco de tempo sua reluzente \ncadeira presidencial caminharia célere para a vacância. De um lado ou de outro, \nindependente em qual bloco o parlamentar se situava, a expectativa era grande \npelo conteúdo do discurso de Sua Excelência. Nas galerias, igualmente, todos \nesperavam a sua fala com ansiedade, enquanto repórteres, cinegrafistas e demais \nprofissionais da Imprensa se acotovelavam em busca do detalhe que enriquecesse \nmais ainda suas matérias.\u003c/font\>\u003c/span\>\u003c/b\>\u003c/p\>\n\u003cp style\u003d\"margin:0cm 0cm 0pt;text-align:justify\"\>\u003cb\>\u003cspan style\u003d\"font-size:12pt\"\>\u003cfont face\u003d\"Times New Roman\"\>\u003cspan\> \n\u003c/span\>O cenário, portanto, estava pronto. Tudo, enfim, que se fizesse \nnecessário a uma proveitosa repercussão do discurso do senador fora \nprovidenciado. Entretanto, nenhum detalhe me chamou mais a atenção do que o \nsemblante de uma senhora vestido de preto, com ar mais solene ainda do que o dos \ndemais circunstantes, situada num lugar privilegiado do auditório. Seu nome? \nVerônica – a esposa do ilustre senador. Minha atenção fixou-se nela em virtude \nde sua expressão, de seu semblante que aparentemente nada dizia, mas que, na \nverdade, muito proclamava. Calada, com uma postura firme, Verônica não expressou \nnenhum gesto digno de nota durante a seção. A tudo ouvia, a tudo assistia sem \ndenotar nenhuma reação que chamasse a atenção sobre si. Entretanto, seu olhar, \ncarregado de silêncio, externava o verdadeiro turbilhão de sentimentos e \nsensações que habitavam seu interior.",1]
);
//-->

Estavam todos lá – inclusive os cardeais mais reverenciados dos grandes partidos. Reinava no auditório um ar solene. E o semblante dos parlamentares se afigurava extremamente circunspecto. Alguns olhavam para o senador Renan Calheiros com um acentuado sentimento de esperança, como se dissessem “vai, Renan, que a bola é tua!” Já outros parlamentares tinham no senador um político à beira do precipício, crendo que em mais um pouco de tempo sua reluzente cadeira presidencial caminharia célere para a vacância. De um lado ou de outro, independente em qual bloco o parlamentar se situava, a expectativa era grande pelo conteúdo do discurso de Sua Excelência. Nas galerias, igualmente, todos esperavam a sua fala com ansiedade, enquanto repórteres, cinegrafistas e demais profissionais da Imprensa se acotovelavam em busca do detalhe que enriquecesse mais ainda suas matérias.
O cenário, portanto, estava pronto. Tudo, enfim, que se fizesse necessário a uma proveitosa repercussão do discurso do senador fora providenciado. Entretanto, nenhum detalhe me chamou mais a atenção do que o semblante de uma senhora vestido de preto, com ar mais solene ainda do que o dos demais circunstantes, situada num lugar privilegiado do auditório. Seu nome? Verônica – a esposa do ilustre senador. Minha atenção fixou-se nela em virtude de sua expressão, de seu semblante que aparentemente nada dizia, mas que, na verdade, muito proclamava. Calada, com uma postura firme, Verônica não expressou nenhum gesto digno de nota durante a seção. A tudo ouvia, a tudo assistia sem denotar nenhuma reação que chamasse a atenção sobre si. Entretanto, seu olhar, carregado de silêncio, externava o verdadeiro turbilhão de sentimentos e sensações que habitavam seu interior.
Dos presentes era a mais ausente. Momentos houve em que seu olhar movia-se de um lado para outro, vago, sem se fixar em nenhum ponto em \nparticular, como se estivesse se perguntando, interiormente, o que ali fazia. \nOuvir o marido confessar o adultério cometido diante de um país inteiro não era \nincumbência das mais fáceis de administrar. Vê-lo antes respeitado e, agora, \njogado ao tiroteio de denúncias difíceis de contestar também não era algo que \ntivesse pretendido para a sua vida – nem tão pouco para a dele. Nas fotos \nmostradas pelos jornais no dia seguinte a expressão de Verônica continha o mesmo \nar de apatia, de dolorosa ausência. E naquelas que figurou ao lado do marido o \nolhar reluzia a sensação de está vivendo um episódio em sua vida que jamais \nimaginara acontecer. Em momento algum se viu em Verônica um olhar de \nsolidariedade ao senador. Somente de tristeza. Contida. Mas de profunda Roman\
Dos presentes era a mais ausente. Momentos houve em que seu olhar movia-se de um lado para outro, vago, sem se fixar em nenhum ponto em particular, como se estivesse se perguntando, interiormente, o que ali fazia. Ouvir o marido confessar o adultério cometido diante de um país inteiro não era incumbência das mais fáceis de administrar. Vê-lo antes respeitado e, agora, jogado ao tiroteio de denúncias difíceis de contestar também não era algo que tivesse pretendido para a sua vida – nem tão pouco para a dele. Nas fotos mostradas pelos jornais no dia seguinte a expressão de Verônica continha o mesmo ar de apatia, de dolorosa ausência. E naquelas que figurou ao lado do marido o olhar reluzia a sensação de está vivendo um episódio em sua vida que jamais imaginara acontecer. Em momento algum se viu em Verônica um olhar de solidariedade ao senador. Somente de tristeza. Contida. Mas de profunda tristeza.