terça-feira, 29 de maio de 2007

Renan diz que não se afasta do cargo; Peres defende licenciamento



GABRIELA GUERREIROda Folha Online, em Brasília
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje que não pretende se afastar do cargo durante as investigações da Corregedoria da Casa para apurar o suposto pagamento das despesas pessoais do senador pela construtora Mendes Júnior. Entre as despesas estaria aluguel e pensão para a jornalista Mônica Veloso, com quem Renan tem uma filha, segundo reportagem da revista "Veja".
"Não [pretendo pedir afastamento] porque não há nenhuma acusação contra mim", disse Renan ao chegar ao Senado nesta manhã.
O senador Jefferson Peres (PDT-AM) defendeu hoje que Renan se licencie do cargo até o fim das investigações pela Corregedoria. "Não quero nem propor isso, pois é uma iniciativa pessoal, mas o Renan deveria licenciar-se da presidência para deixar membros do Conselho [de Ética] mais à vontade", afirmou.
Renan evitou responder aos questionamentos dos jornalistas sobre a origem do dinheiro utilizado para pagar pensão de R$ 8.000 para a jornalista. Nos documentos apresentados ontem por Renan em sua defesa, o senador não comprovou se utilizou recursos próprios para o pagamento da pensão antes de dezembro de 2005.
"Eu já falei tudo o que tinha que falar. Falei ao Senado, falei ao país. Eu entreguei todas as minhas declarações, não está faltando nada", disse.
Apesar de negar a ausência de documentos, Renan afirmou nesta terça-feira por meio de assessores que vai encaminhar "a quem de direito" documentos que comprovam a utilização do seu dinheiro para o pagamento da pensão e de aluguel à jornalista.
Segundo assessores do senador, a maior parte dos R$ 8.000 pagos à jornalista foi depositada em sua própria conta bancária. Ela também teria em seu poder, segundo aliados de Renan, os recibos de pagamento do aluguel de um apartamento onde ela vive com a filha do senador.O corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma (DEM-SP), disse hoje que Renan também precisa comprovar a origem do dinheiro --cerca de R$ 100 mil-- que depositou, como foi alegado por ele, para constituir um fundo de educação e cultura para a filha de 3 anos.
Leia mais

Nenhum comentário: