quinta-feira, 19 de abril de 2007

WWF alerta para risco de extinção de leopardo no leste da Rússia


WWF alerta para risco de extinção de leopardo no leste da Rússia WWF (Fundo Mundial para a Natureza) pediu ao governo da Rússia nesta quarta-feira que crie uma reserva nacional no extremo leste do país para proteger o leopardo amur, espécie ameaçada de extinção. Segundo um censo realizado por cientistas americanos e russos, existem apenas entre 24 e 35 leopardos amur (Panthera pardus orientalis) vivendo no seu habitat, que se espalha por três reservas localizadas perto da fronteira com a China e ao longo do rio Amur.A contagem foi feita em uma faixa de território de pelo menos 5.000 quilômetros quadrados, na região de Primorie, na fronteira com a China, segundo Pavel Fomenko, diretor do Instituto de Geografia do Pacífico.Igor Tchestine, chefe do braço russo do WWF, disse que o governo poderia criar uma reserva de mais de 200 mil hectares. "Os zoológicos possuem centenas de leopardos amur que poderiam ser soltos", afirmou. O felino habitava as florestas da Rússia, China e Coréia do Norte, mas a caça ilegal, o desmatamento e outras atividades humanas limitaram seu habitat a uma área de 400 mil hectares nas florestas ao redor do lago Jasan, em Primorie.Quando adulto, o macho pode alcançar 1,70 metro de comprimento e pesar até 60 kg. A subespécie de leopardo é a que vive mais ao norte do globo.A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o WWF financiam a Reserva de Biosfera Kedrovaya, em Primorie. O local pretende ajudar a proteger espécies naturais em risco de extinção, dentre as quais o leopardo.Com agências internacionais

Nenhum comentário: