quinta-feira, 18 de maio de 2017

Fachin autoriza abertura de inquérito contra Michel Temer

Fachin autoriza abertura de inquérito contra Michel Temer


Investigação vai apurar envolvimento na suposta "compra" do silêncio de Eduardo Cunha



O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), abriu um inquérito contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), a pedido da Procuradoria-Geral da República, em um desdobramento dos conteúdos apresentados pelos empresários Joesley e Wesley Batista em acordo de colaboração premiada homologado pelo ministro. A investigação é por suspeita de envolvimento do presidente na possível "compra" do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O caso veio à tona nesta quarta-feira (17) após matéria de O Globo revelar de que os donos da empresa JBS, Joesley Batista e o seu irmão Wesley Batista, disseram ter gravado uma conversa na qual o presidente teria dado aval a propina para garantir que Cunha ficasse calado.
A gravação, feita por Joesley em março com um gravador guardado no bolso do paletó, foi citada na declaração que os controladores da JBS deram à Procuradoria-Geral da República em abril durante o processo para firmar acordo de delação premiada.
Em nota, o presidente Michel Temer confirmou o encontro com Joesley Batista, mas negou ter dado aval à propina. A assessoria da JBS informou que a empresa não vai se pronunciar. A defesa do deputado Eduardo Cunha também disse que não vai se manifestar no momento.
Aécio Neves
Também segundo O Globo, o senador Aécio Neves aparece envolvido em corrupção ligada à JBS. Ele teria sido filmado pela PF (Polícia Federal) pedindo R$ 2 milhões para o dono a Joesley. O dinheiro teria sido entregue para primo de senador.
A PF rastreou o dinheiro e afirma que foi depositado em empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG). Na gravação, Aécio pedia por dinheiro para pagar as despesas da Lava Jato. Há gravações do senador pedindo dinheiro para Joesley e da entrega do dinheiro para o primo do senador.
Nesta quinta-feira, Fachin determinou o afastamento de Neves do cargo. Ao afastar o político da função parlamentar ou "de qualquer outra função pública", Fachin impôs duas medidas cautelares ao tucano: a proibição de contatar qualquer outro investigado ou réu no conjunto de fatos revelados na delação da JBS; e a proibição de se ausentar do País, devendo entregar seu passaporte.
O Supremo também autorizou a prisão preventiva da irmã do senador, a jornalista Andrea Neves. Ela foi presa pela Polícia Federal na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O primo do presidente do PSDB também foi preso preventivamente pela Polícia Federal. Frederico Pacheco de Medeiros, conhecido como Fred, teria sido filmado recebendo R$ 2 milhões a mando de Joesley Batista.
Além dele, Menderson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG) também foi preso. Todos foram citados na delação de Joesley Batista. Em todos os casos os mandados são de prisão preventiva e foram autorizados pelo STF.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Após 20 dias, JBS de Senador Canedo anuncia fim de férias coletivas

Medida havia sido tomada para ajustar produção e manter empregos. Quatro unidades seguem com funcionários parados até 2 de maio

A JBS informou, nesta segunda-feira (24/4), que os funcionários da sua unidade de Senador Canedo já retornaram das férias coletivas. No total, dez unidades do grupo adotaram a medida no último dia 3 de abril, após a deflagração da Operação Carne Fraca, que atingiu diretamente a empresa.
Na época, a JBS alegou que o objetivo da medida, já prevista para durar 20 dias, era ajustar os volumes de produção, visto que houve queda nas exportações, e manter o emprego de seus 125 mil colaboradores. Apesar das férias terem sido adotadas em Senador Canedo, as unidades de Goiânia e Mozarlândia seguiram em funcionamento.
Além da unidade de Senador Canedo, outras cinco também retomaram as atividades na segunda-feira: as de Alta Floresta (MT), Nova Andradina (MS), Juína (MT), Pedra Preta (MT) e Tucumã (PA). As demais – de Anastácio (MS), Naviraí (MS), Diamantino (MT) e Lins (SP) – retornarão a partir de 2 de maio, após reformas, ajustes operacionais e modernização de equipamentos.
Operação Carne Fraca
Deflagrada no último dia 17 de março, a Operação Carne Fraca pela Polícia investiga empresas supostamente envolvidas em esquema de pagamento de propina a fiscais agropecuários, incluindo as gigantes BRF – cujas vendas estão interditadas – e JBS. A investigação apontou que as fraudes permitiam a liberação de mercadorias adulteradas e estragadas.

sábado, 25 de março de 2017

Vereador Jaime Ferreira morre após fazer cirurgia bariátrica em Goiânia

Parlamentar de Senador Canedo ficou 15 dias em UTI após procedimento.
Ele sofreu parada cardiorrespiratória e não resistiu, segundo assessoria.



O vereador de Senador Canedo Jaime Ferreira (PROS), de 28 anos, morreu na noite de sexta-feira (24). De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura da cidade, ele passou por uma cirurgia bariátrica no Hospital Samaritano, em Goiânia, e teve complicações. Após ficar 15 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

G1 entrou em contato com o Hospital Samaritano, neste sábado (25), mas funcionários informaram que apenas a área administrativa pode falar sobre a morte do vereador. No entanto, não havia ninguém no setor nesta manhã.
O corpo do parlamentar é velado desde a noite de sexta-feira no Colégio Militar Pedro Xavier Teixeira, em Senador Canedo. O enterro está previsto para a tarde deste sábado no Cemitério Municipal da cidade.
Esse era o primeiro mandato de Jaime. Segundo a assessoria da prefeitura, ele foi eleito como suplente do vereador Sérgio Bravo Jr (PROS), que assumiu a Secretaria de Esporte e Lazer. Assim, o parlamentar tomou posse do cargo.
Nascido em São Paulo, Jaime se mudou para Senador Canedo em 2002. Em 2010, começou a dar aulas de biologia e química na escola onde é velado. Mais tarde, ao lado de irmãos, fundou uma rede de escolas na cidade, que mais tarde também passou a contar com uma faculdade e instituto de pós-graduação.
FONTE G1